A emergência das corridas de bicicleta em Curitiba (1895-1913)

idealizando pedagogias corporais

Autores

Palavras-chave:

Ciclismo, Curitiba, Clubes, Pedagogização, Corpo

Resumo

O presente artigo pretende investigar como se deu a emergência das corridas de bicicleta na cidade de Curitiba. Para tanto foram utilizados como fontes os jornais da época, delimitados entre os anos de 1895 a 1913. A análise dos materiais indicou uma relação da bicicleta com o ideário urbano nascente na capital paranaense na temporalidade em questão, bem como a necessidade de uma pedagogização do andar de bicicleta em virtude do crescimento da urbe. A título de conclusão, o artigo aponta que a presença das bicicletas e das corridas em Curitiba, na virada do século XIX para o XX, contribuiu significativamente na formação de gestualidades atléticas e na educação dos corpos nos indivíduos que interagiram com tais artefatos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Moraes e Silva, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professor da Universidade Federal do Paraná no Departamento de Educação Física, Curitiba, PR, Brasil.

Priscila Requião Lessa, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em andamento em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná.

Leonardo do Couto Gomes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorado em andamento em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

André Mendes Capraro, Universidade Federal do Paraná

Doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná. Professor da Universidade Federal do Paraná.

Referências

A Notícia, 25/04/1906, p. 1.

A Notícia, 12/05/1906, p. 4.

A Notícia, 14/05/1906, p. 1.

A Notícia, 17/05/1906, p. 1.

A Notícia, 15/03/1907, p. 1.

A República, 20/01/1901, p. 2.

A República, 23/09/1901, p. 1.

A República, 28/11/1901, p. 1.

A República, 23/12/1904, p. 2.

A República, 24/08/1906, p. 2.

A República, 27/11/1906, p. 2.

Assmann, A. B., Silva, C. F., & Mazo, J. Z. (2018). O ciclismo na cidade: pedaladas pela capital do estado do Rio Grande do Sul/Brasil. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 26 (2), 136-144.

Benvenutti, A. F. (2004). As reclamações do povo na Belle Époque: a cidade em discussão na imprensa curitibana (1909-1916) [Dissertação de Mestrado em História, Programa de Pós-Graduação em História, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes]. Universidade Federal do Paraná.

Bresciani, M. S. M. (1992). Londres e Paris no século XIX: o espetáculo da pobreza Brasiliense.

Capraro, A. M. (2002). Football, uma prática elitista e civilizadora: investigando o ambiente social e esportivo paranaense do início do século XX [Dissertação de Mestrado em História, Programa de Pós-Graduação em História, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes]. Universidade Federal do Paraná.

Corrêa, A. S. (2009). Imprensa política e pensamento republicano no Paraná no final do XIX. Revista de Sociologia e Política, 17(32), 139-158.

Diário da Tarde, 08/04/1899, p. 1.

Diário da Tarde, 10/04/1901, p. 2.

Diário da Tarde, 23/09/1901, p. 2.

Diário da Tarde, 04/11/1901, p. 2.

Diário da Tarde, 03/12/1901, p. 2.

Diário da Tarde, 16/11/1901, p. 2.

Diário da Tarde, 27/01/1902, p. 1.

Diário da Tarde, 01/02/1902, p. 4.

Diário da Tarde, 07/05/1902, p. 2.

Diário da Tarde, 19/04/1904, p. 2.

Diário da Tarde, 18/03/1905, p. 1.

Diário da Tarde, 25/09/1905, p. 1.

Diário da Tarde, 21/03/1907, p. 1.

Diário da Tarde, 13/06/1910, p. 1.

Gaboriau, P. (1991). Les trois âges du vélo en France. Vingtième Siècle, Revue d'Histoire, 29, 17-34.

Guttmann, A. ( 2004). From ritual to record Columbia University Press.

Kirk, D. (1999). Physical culture, physical education and relational analysis. Sport, Education and Society, 4(1), 63-73.

Moraes e Silva, M. (2011). Novos modos de olhar outras maneiras de se comportar: a emergência do dispositivo esportivo da cidade de Curitiba (1899-1918) [Tese de Doutorado em Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação]. Universidade Estadual de Campinas.

Moraes e Silva, M., & Capraro, A. M. (2015). O tiro de guerra 19 Rio Branco: apontamentos acerca da institucionalização esportiva de Curitiba (1909-1910). Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 29(2), 229-243.

Moraes e Silva, M., & Quitzau, E. A. (2018). A cultura física na cidade de Curitiba: a emergência de uma pedagogia corporal (1899-1909). Revista Ciencias Sociales, 27(40), 275-296.

Moraes e Silva, M., Quitzau, E. A., & Soares, C. L. (2018). Práticas educativas e de divertimento junto à natureza: a cultura física em Curitiba (1886-1914). Educação em Pesquisa, 44, e178293.

O Município, 03/12/1898, p. 3.

Pereira, M. R. M. (1996). Semeando iras rumo ao progresso Editora da UFPR.

Pesavento, S. J. (2002). O imaginário da cidade Visões literárias do urbano Editora da UFRGS.

Poyer, A. (2003). Les premiers temps des véloce-clubs: Apparition et diffusion du cyclisme associatif français entre 1870 et 1914 L’Harmattan.

Renaud, J-N. (2016). Du Vélocipède à la bicyclette: Le Nouvelliste du Morbihan sur le fil du rasoir (1887–1904). Movement & Sport Sciences-Science & Motricité, 91, 5-20.

Schetino, A. (2008). Pedalando na modernidade: a bicicleta e o ciclismo na transição dos séculos XIX e XX Apicuri.

Sêga, R. A. (2001). A capital Belle Époque: a reestruturação do quadro urbano de Curitiba durante a gestão do prefeito Cândido de Abreu (1913-1916) Aos Quatro Ventos.

Sevcenko, N. (1983). Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República Brasiliense.

Soares, C. L. (2014). Educação do corpo. In F. J. González, & P. E. Fensterseifer, Dicionário Crítico de Educação Física (pp. 219-225). Unijuí.

Souza, Y. V. (2016). Quando as rodas conquistam a cidade: cultura, tensões, conflitos e ações na prática do ciclismo em São Paulo [Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em História]. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Trindade, E. M. C. (1992). Clotildes ou Marias: mulheres de Curitiba na primeira república Farol do Saber.

Vechia, A. (2002). As sociedades alemãs em Curitiba no século XIX: espaço de sociabilidade e de educação da juventude. Anais do II Congresso Brasileiro de História da Educação Natal: UFRN.

Vigarello, G. (1999). História das Práticas de Saúde: a saúde e a doença desde a Idade Média Editorial Notícias.

Vigarello, G. (2018). Le corps redressé: histoire d’un pouvoir pédagogique Félin.

Vigarello, G., & Holt, R. (2005). Le corps travaillé. Gymnastes et sportifs au XIXe siècle. Histoire du corps, 2, 313-375.

Webber, E. J. (1988). França fin-de-siècle Companhia das Letras.

Publicado

2022-04-08

Como Citar

SILVA, M. M. e .; LESSA, P. R. .; GOMES, L. do C. .; CAPRARO, A. M. . A emergência das corridas de bicicleta em Curitiba (1895-1913): idealizando pedagogias corporais. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 33, p. e20190105, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668974. Acesso em: 2 dez. 2022.