Henri Bergson

o bom senso e os estudos clássicos

Autores

Palavras-chave:

Henri Bergson, Estudos clássicos

Resumo

O texto que traduzimos é um discurso proferido por Henri Bergson no Grande Anfiteatro da Sorbonne por ocasião da distribuição dos prêmios do “Concours Général” em 1895. Bergson contava, então, 36 anos apenas, tendo já publicado sua primeira grande obra – o Ensaio sobre os dados imediatos da consciência (1889) – e estando prestes a publicar, no ano seguinte (1896), Matéria e memória, obra que igualmente teria um forte reconhecimento pela comunidade filosófica e científica de sua época, tornando-se um dos mais importantes livros da filosofia contemporânea. O discurso bergsoniano, portanto, situa-se num momento de plena e rica elaboração intelectual do filósofo, que dirige sua fala naquele momento sobretudo a jovens estudantes da principal universidade francesa. Justamente por isto, talvez, Bergson tenha escolhido tratar de um tema tão importante para vida humana e para a juventude: a educação. A reflexão que ele desenvolve é tão consistente, significativa e ao mesmo tempo bela em termos literários, que esse texto se tornou certamente um dos mais importantes discursos proferidos por ele e o mais representativo da sua contribuição para o campo educacional. Em relação a este último ponto, devemos destacar aqui que Bergson se refere não ao contexto da formação escolar em termos estritos, mas à educação num sentido amplo, aquela que constitui o humano ao longo de sua vida, passível de ser potencializada na escola e, em particular, na universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tarcísio Jorge Santos Pinto, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Professor Associado da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Aimberê Quintiliano, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutorado em Filosofia pela Universidade de Paris I, Panthéon-Sorbonne, UP1, França. Professor da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

Bergson, H. (1991). Oeuvres PUF.

Bergson, H. (1972a). Le bon sens et les études classiques. In H. Bergson, Mélanges (pp. 360-372). PUF.

Bergson, H. (1972b). Mélanges PUF.

Descartes, R. (1973). Textos escolhidos il.

Leopoldo e Silva, F. (1973). Reflexão e existência. Discurso – Revista do Departamento de Filosofia da USP, 4(4). https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.1973.37764

Mossé-Bastide, Rose-Marie. (1955). Bergson educateur PUF.

Santos Pinto, T. J. (2010). O método da intuição em Bergson e a sua dimensão ética e pedagógica Loyola.

Downloads

Publicado

2022-06-15

Como Citar

PINTO, T. J. S. .; QUINTILIANO, A. . Henri Bergson: o bom senso e os estudos clássicos. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 33, p. e20200142, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670596. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Diverso e Prosa