Projetos educacionais e políticas interventivas no campo do patrimônio histórico, cultural e arqueológico na região de Araraquara (SP)

  • Robson Rodrigues Fundação Araporã
  • Dulcelaine Nishikawa Fundação Araporã
Palavras-chave: Educação patrimonial. Estruturação. Desenvolvimento sustentável

Resumo

A presente comunicação tem por objetivo apresentar aspectos da atuação e do desenvolvimento de programas de preservação do patrimônio histórico, cultural e arqueológico na região de Araraquara (SP). Dentre as ações do grupo de pesquisa GEA/CEIMAM/Fundação Araporã, está a estruturação e a organização de um plano museal para o Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara, a criação de um programa educacional continuado, a valorização e afirmação do patrimônio cultural regional e a inserção social. As nossas atividades, a partir do ano de 2008, estruturaram-se na linha de uma proposta de ação educativa voltada para o desenvolvimento da Educação Patrimonial e Ambiental, por meio do Patrimônio Arqueológico Regional. Em nossa perspectiva, ao se dar ênfase em programas educacionais, criamos condições para que a sociedade possa se apropriar do conhecimento arqueológico regional. Acreditamos, ainda, que ao se desenvolver trabalhos nessa perspectiva, criam-se condições para que a sociedade se torne forte parceira na reafirmação dos valores culturais, na promoção de ecossistemas naturais e do desenvolvimento sustentável. Compreendemos que é na salvaguarda do patrimônio cultural, utilizando-se, para tanto, a metodologia da pesquisa-ação e outras abordagens participativas, que poderemos construir um diálogo com as sociedades democráticas, pois é pelo exercício da cidadania que os conhecimentos, as inovações e as práticas são orientadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robson Rodrigues, Fundação Araporã
Doutor em Arqueologia pelo MAE/USP e Pós-Doutor em Antropologia pelo CEIMAM/FCL/UNESP. GEA/CEIMAM/Fundação Araporã. Presidente da Fundação Araporã.
Dulcelaine Nishikawa, Fundação Araporã
Mestre em Engenharia Ambiental pelo CRHEA/USP e Doutora em Sociologia pela FCL/UNESP. GEA/CEIMAM/Fundação Araporã.

Referências

BEZERRA, M, de A, 2003. O australopiteco corcunda. As crianças e a Arqueologia em um Projeto de Arqueologia Pública na Escola. TESE defendida, na Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Arqueologia MAE/USP-SP: 180 p.

DALLABONA, Sandra Regina. MENDES, Sueli Maria Schimitt. O lúdico na educação infantil: jogar, brincar, uma forma de educador. In: Revista de divulgação técnico-científica Vol. 1 n. 4 - jan.-mar./2004. Disponível em: http://www.icpg.com.br/artigos/rev04-16.pdf acessado em jan.2013. Acessado em 02/01/2013

FREIRE, P. A. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. 5a ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981.149 p.

FREIRE, P. A. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos, Ed. Da UNESP, 2000.

FREIRE, P. A. Pedagogia do Oprimido. 17a Ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. A. Pedagogia Educação e Mudança. Tradução de Moacir Gadotti e Lilian Martin, Rio de Janeiro: 18aed. Paz e terra, 1979.

FREIRE, P. A. Educação Como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1967 (19 ed., 1989).

GADOTTI, M. Pedagogia da terra. Editora Peirópolis, São Paulo 2002.

LE GOFF, J. (2003). História e memória. Campinas, SP: Ed. UNICAMP.

LEITE, Maria Isabel. Museus e público infantil - alguns casos e várias reflexões. Revista eletrônica EducaMuseu, ano I, no1-agosto de 2011.

LEITE, Nívea. O ensino da Pré-História nas escolas de 1o e 2o graus. IN: KERN, Arno Alvarez. ANAIS, 8a Reunião científica da SAB – Sociedade de Arqueologia Brasileira. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996.

LUPORINI, T.J. “Lugares da memória” no Estado do Paraná: demandas e políticas pela preservação do patrimônio cultural. Disponível em http://www.revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/1340/984 Acesso em dez. de 2012.

LISBOA, P.F, MÜLLER, M, C. A educação patrimonial como projeto de desenvolvimento regional no pampa rio-grandense. Disponível em< http://www.pablolisboa.com/artigo-EDUCACAO-Patrimonial-LISBOA-maio2011.pdf >. Acesso em 02/02/2013.

MAURICIO, Juliana Tavares. Aprender brincando: o lúdico na aprendizagem. 2008. Disponível em: http://www.pedagogia.com.br/artigos/importanciadabrinquedoteca1/index.php?pagina=9. Acessado em 05/02/2013.

MORAES WICHERS, C. A. Patrimônio Arqueológico Paulista: proposições e provocações museológicas. Tese de doutorado apresentada ao programa de Pós-graduação do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, SP, 2011.

MORAIS, J. L, 2000. Tópicos de arqueologia da paisagem. Revista do Museu de Arqueologia, Universidade de São Paulo- no. 10, ISSN 0103-9709. 03-30.

RODRIGUES, R e NISHIKAWA, D. L. L. Reflexões a respeito da educação patrimonial e ambiental a partir da arqueologia desenvolvida na região de Araraquara/SP. Disponível em http://www.ambiente-augm.ufscar.br/uploads/A3-093.pdf Acesso, 20/10/2012. Acessado em 10/02/2013.

Publicado
2013-08-26
Como Citar
Rodrigues, R., & Nishikawa, D. (2013). Projetos educacionais e políticas interventivas no campo do patrimônio histórico, cultural e arqueológico na região de Araraquara (SP). Revista Arqueologia Pública, 7(1[7]), 60-74. https://doi.org/10.20396/rap.v7i1.8635670
Seção
Artigos