Desafios da Arqueologia Preventiva: como gerir e socializar o imenso volume de materiais e documentos por ela produzidos?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rap.v11i2.8649552

Palavras-chave:

Musealização da arqueologia. Arqueologia preventiva. Impacto ambiental.

Resumo

O artigo discute o grande desafio que se coloca no presente para os responsáveis pelas pesquisas arqueológicas preventivas, associadas à Avaliação Ambiental: como gerir e socializar o imenso acervo material e documental produzido por estas pesquisas, em parceria com os órgãos de proteção ao patrimônio cultural e do campo museal.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Bezerra Caldarelli, Scientia Consultoria Científica

Doutora em Ciências Humanas (FFLCH/USP, 1984); pesquisadora do Instituto de Pré-História da USP (1977-1985); Coordenadora, pelo lado brasileiro, de Acordo de Cooperação Internacional CNPq/CNRS (1982/1985), entre o IPH-USP e a URA28-CNRS; Pesquisadora de Desenvolvimento Científico Regional/CNPq, junto ao Museu Paraense Emílio Goeldi (1986/1988); Diretora da Scientia Consultoria Científica desde 1989. 

Manuelina Maria Duarte Cândido, Universidade Federal de Goiás

Professora Adjunta do Curso de Museologia da Universidade Federal de Goiás. Licenciada em História (UECE, 1997), especialista em Museologia e mestre em Arqueologia (USP, 2000 e 2004), doutora em Museologia (ULHT, 2012). Realizou em 2014/15 estágio pós-doutoral em Museologia na Universidade Paris III – Sorbonne Nouvelle. Ex-Diretora do Departamento de Processos Museais do Ibram.

Referências

ARAÚJO COSTA, Fernanda. Projeto Baixo Tocantins: Salvamento Arqueológico na Região de Tucuruí. Dissertação de Mestrados, FFLCH-USP, 1983.

ARAÚJO-COSTA, Fernanda; CALDARELLI, Solange B. (Org.). Programa de Estudos Arqueológicos na Área do Reservatório de Kararaô (PA) - Relatório Viabilidade. Belém, MPEG, 2 vol., 1988.

BEZERRA DE MENEZES, U. T. Cultura e Cidade. In: Revista Brasileira de História, São Paulo, 5, 1985: 197-205.

BONNOT, Thierry. L’Attachement aux choses. Paris, CNRS Éditions, 2014.

BOWDLER, Sharon. Archaeological significance as a mutable quality. In: SULLIVAN, Sharon; Sandra BOWDLER (Ed.), Site surveys and assessments in Australian Archaeology. Canberra, Dept. of Prehistoria, Research School of Pacific Studies, The Australian National Univ., 1984.

BRUNO, Cristina. Estudos de cultura material e coleções museológicas: avanços, retrocessos e desafios. In: GRANATO, Marcus; RANGEL, Márcio F. (Orgs.) Cultura material e patrimônio da ciência e tecnologia. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST, 2009. p. 14-25. (Livro eletrônico).

BRUNO, M. Cristina O.. Musealização da Arqueologia: um estudo de modelos para o Projeto Paranapanema. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 1999 (Cadernos de Sociomuseologia, 17)

CALDARELLI, Solange B. O Patrimônio Arqueológico na Avaliação Ambiental Integrada de Bacias Hidrográficas. Trabalho apresentado no 1º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto / 2ª conferência da REDE de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactos. Disponível em: http://avaliacaodeimpacto.org.br/wp-content/uploads/ 2012/10/027_ Arqueologia_AAl-de-BaciasHidrográficas_Texto.pdf

CALDARELLI, Solange B. Arqueologia Preventiva: uma disciplina na confluência da Arqueologia Pública e da avaliação ambiental. Goiânia, Revista Habitus, v. 14, n. 1, p. 05-30, jan./jun. 2015.

CALDARELLI, Solange B.; SANTOS, Maria do Carmo Mattos Monteiro dos, Arqueologia de Contrato no Brasil. São Paulo, Revista USP, 44: 52-73, 2000.

CALDERÓN DE LA VARA, V.; Y. JÁCOME e I. SOARES. Relatório do Projeto Sobradinho de Salvamento Arqueológico, Salvador, Convênio CHESF/A.A.P.H.BA, 1977.

CARMAN, John. The value “Debate” in Archaeology. In: CARMAN, John, Archaeology & Heritage: An Introduction. London, New York, 2002: 148-185.

CHMYZ, Igor. As realidades políticas e sociais da arqueologia de salvamento no Brasil. Arqueologia, 5: 1-15, 1985.

COMMISSION ON PRESERVATION & ACCESS. Prefácio para a Edição Americana. In: CONWAY, Paul, Preservação no universo digital. Rio de Janeiro, Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos. 2001.

CUNHA, Marcelo Nascimento Bernardo da. “Algumas considerações sobre museus digitais”. In: SANSONE, Lívio (Org). A política do intangível: museus e patrimônios em nova perspectiva. Salvador: Edufba, 2012.

DANS, Eva P. The analysis of an emerging sector: comercial archaeology and its rising and development from the sectoral system of innovation. PhD Thesis Outline. Heritage Laboratory, Spanish Council for Scientific Research, 2010.

DELOCHE, Bernard. El museo virtual. Gijón: Ediciones Trea, 2002.

DEMOULE, Jean Paul. “Rescue Archaeology: A European View”. In: Annual Review of Anthropology, v. 41: 611-626, 2012.

DUARTE CÂNDIDO, Manuelina Maria. Gestão de museus, um desafio contemporâneo: diagnóstico museológico e planejamento. (2a ed.) Porto Alegre: Medianiz, 2014.

DUARTE CÂNDIDO, Manuelina Maria. “Gestão do patrimônio arqueológico no centro-oeste: contribuições para a Rede de Museus e Acervos de Arqueologia e Etnologia (REMAAE)”. In: Revista de Arqueologia da Sociedade de Arqueologia Brasileira, SAB, vol. 26 n. 02 2013 + vol. 27 n. 01 2014, p. 132-140.

EVERILL, Paul. The Invisible Diggers: A Study of British Commercial Archaeology. Oxford, Oxbow Books, 2009.

FORD, Matt. “Hidden treasure” In: Nature, Vol 464|8 April 2010.

GEERTZ, C. The Interpretation of Cultures. Basic Books, New York, 2000.

GOULART, Marilandi. Projeto Salvamento Arqueológico do Uruguai, Vols. I/II. Itajaí: UNIVALI, 1997.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS [IBRAM]. Museus em Números. Brasília: Instituto Brasileiro de Museus, 2011.

JOHANSSON, N.; L. G. JOHANSSON, Rescue Archaeology. In: D. L. HARDESTY (Ed.), Archaeology, v. 2. UNESCO/EOLSS, 2001 (disponível em http://www.eolss.net/sample-chapters/c04/E6-21-04-04.pdf. Acesso em outubro/2015).

KERN, A. A.; J. O. DE SOUZA; F. SEFFNER. Arqueologia de salvamento e a ocupação pré-histórica do vale do Rio Pelotas. VERITAS, Porto Alegre, 1989, 35 (133): 99-127.

KINTIGH, K. The promise and challenge of archaeological data integration. American Antiquity, 2006, 7 (13): 567-578.

KRISTIANSEN, K. Contract archaeology in Europe: an experiment in diversity. World Archaeology, 41(4): 641–648, 2009.

McMANAMON, Francis P. Digital Antiquity and the Digital Archaeological Record (tDAR): Broadening Access and Ensuring Long-Term Preservation for Digital Archaeological Data. The CSA Newletter, 23 (2), 2010.

McMANAMON, Francis P.; Keith W. KINTIGH. DIGITAL ANTIQUITY - Transforming archaeological data into knowledge. The SAA Archaeological Record, 2010, 10 (2): 37-40.

McMANAMON, Francis; Jode A. BARNES; Andrew STOUT. Introduction: Contemporary Archaeological Resource Management and the ‘Liberals’ Dilemma’. In: McMANAMON, Francis; Jode A. BARNES; Andrew STOUT, 2008: 17-33.

MERRIMAN, N. J. The Role of Museums. In: D. L. HARDESTY (Ed.), Archaeology, v. 2. UNESCO/EOLSS, 2001 (disponível em http://www.eolss.net/sample-chapters/c04/E6-21-04-02.pdf. Acesso em outubro/2015).

MARTINEZ, D.B. Conocimiento y acción en la Arqueología Aplicada. Complutum, 2006, 17: 205-219.

MILLER, E. T. Inventário arqueológico da bacia e sub-bacias do Rio Madeira. São Paulo, CNEC, 1987.

MORAES WICHERS, C. A. de. Museus e antropofagia do patrimônio arqueológico: (des) caminhos da prática brasileira. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 2010. (Tese de Doutorado em Museologia).

OLIVEIRA, Vania D. E. de A pesquisa sobre o Acervo. In: Anais do IV Seminário sobre Museus-Casa. Edições Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, 2000: 106-112.

RUIZ, Rafael Azuar. Museos, arqueologia, democracia y crisis. Gijón: Ediciones Trea, 2013.

SANTOS, Maria do Carmo Mattos Monteiro dos. Musealização em projetos de arqueologia consultiva: perspectivas patrimoniais para a Estrada de Ferro Carajás (MA/PA). Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, 2011. (Tese de Doutorado em Museologia).

SANTOS, Maria Célia T. Moura. Um compromisso social com a museologia. In: Cadernos do CEOM, 41, 2014: 71-114

SCHIFFER, M.; GUMERMANN (Ed.), Conservation Archaeology. New York, Academic Press, 1977.

SCHMITZ, P. I. Trabalho de salvamento arqueológico nos locais das represas do alto Uruguai, RS/SC. In: ELETROSUL, Bacia Hidrográfica do Rio Uruguai: Estudo de Inventário Hidroenergético, Apêndice IV e V. Florianópolis, ELETROSUL, 1978: 93-97.

SERRA, Ordep (Org). O Simbolismo da Cultura. Salvador: EDUFBA, 2001.

SILVA, Catarina E. F. da; LIMA, Francisca H. B. A preservação dos registros documentais de Arqueologia in: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 33, 2007.

SIMÕES, M. F. Salvamento arqueológico em Carajás. In: Carajás Desafio Político, Ecológico e Desenvolvimento. São Paulo, Brasiliense, 1986.

SIMÕES, Mário F. & ARAUJO-COSTA, F. Pesquisas arqueológicas no Baixo Tocantins (Pará). Revista de Arqueologia. Belém, CNPq/Museu Paraense Emílio Goeldi, 1987, 4 (1): 11-27.

SOUSA, Ana C. de. Arqueologia da Paisagem e a potencialidade interpretativa dos espaços sociais. Habitus, 3 (2): 291-300.

ZULAUF, W.E. O meio ambiente e o futuro. Estudos Avançados, USP, 2000, 14 (39), versão on line (http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142000000200009).

WAGSTAFF, J. M. Landscape & Culture: Geographical & Archaeological Perspectives. London, Blackwell, 1987.

Downloads

Publicado

2017-11-30

Como Citar

CALDARELLI, S. B.; CÂNDIDO, M. M. D. Desafios da Arqueologia Preventiva: como gerir e socializar o imenso volume de materiais e documentos por ela produzidos?. Revista Arqueologia Pública, Campinas, SP, v. 11, n. 2[19], p. 186–214, 2017. DOI: 10.20396/rap.v11i2.8649552. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rap/article/view/8649552. Acesso em: 3 fev. 2023.