Ler levantando a cabeça: caminhos e descaminhos da leitura literária na educação básica

Maria Paula Parisi Lauria

Resumo


O presente artigo, escrito por ocasião do  I Colóquio de Literatura e Ensino, realizado em 2012 na UNICAMP, foi revisto e ampliado, buscando aprofundar dois pontos importantes: as relações entre o ensino de literatura e os documentos oficiais que têm norteado os rumos da área de Língua Portuguesa, dos anos 1950 até 2004, e também as questões em jogo na interação entre leitor, texto e professor proporcionada pela escola. Com base na observação do cotidiano escolar, e de seus materiais de apoio didático, a autora destaca uma série de ações docentes que podem contribuir ou não para a formação do sujeito leitor.  Parte, para tanto, do estudo de documentos oficiais que dão visibilidade às concepções teóricas vigentes em diferentes períodos da educação brasileira, concretizadas nas propostas de livros e materiais didáticos, não raras vezes únicas fontes de referência do professor para as aulas de literatura. Apresenta ainda discussões e propostas para a formação do sujeito leitor aplicáveis à sala de aula.

Palavras-chave


Ensino de literatura. Formação do leitor. Documentos oficiais.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad. Mario Laranjeira. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa - 1º e 2º ciclos. Brasília: MEC/SENTEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa - 3º e 4º ciclos. Brasília: MEC/SENTEC, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros curriculares nacionais: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias – Ensino Médio. Brasília: MEC/SENTEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. PCN +: Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias – Ensino Médio. Brasília: MEC/SENTEC, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

DALVI, M.A. , REZENDE, N.L. e JOVER-FALEIROS (orgs.) Leitura de literatura na escola. São Paulo: Parábola, 2013.

JOUVE, Vincent. A leitura como retorno a si: sobre o interesse pedagógico das leituras subjetivas. Leitura subjetiva e ensino de literatura. ROUXEL, A., LANGLADE, G. e REZENDE, N.L. (orgs.). São Paulo: Alameda, 2013.

LAURIA, Maria Paula Parisi. Livro didático de Português: entre as concepções de ensino, os trilhos da lei e as sendas do texto. Tese (Doutorado). São Paulo, 2004. Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo (USP).

MAZAURIC, Catherine. Les moi volatils des guerrtre es perdues: a leitura, construção ou desconstrução do sujeito?. In: Leitura subjetiva e ensino de literatura. Trad. Gabriela Rodella de Oliveira. São Paulo: Alameda, 2013.

ROUXEL, A., LANGLADE, G. e REZENDE, N.L. (orgs.). Leitura subjetiva e ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

ROUXEL, Annie. Aspectos metodológicos do ensino de literatura. In: Leitura de literatura na escola. Trad. Neide Luzia de Rezende. São Paulo: Parábola, 2013.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: ANPED. No. 13. Jan/Fev/Mar/Abr, 2000.




DOI: https://doi.org/10.20396/remate.v34i2.8635854

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Remate de Males



(c) Remate de Males, Campinas (SP) - ISSN 2316-5758.