Desafios de leitura numa aula de literatura entre a história, o mito e a ficção

Autores

  • Luís Fernando Prado Telles Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v34i2.8635863

Palavras-chave:

Ensino de literatura. História ficção mito. D. Pedro e Inês de Castro. Lobo Antunes.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão sobre o processo de leitura do texto literário no contexto do ensino de literatura, enfocando, particularmente, o modo de tratamento dos conceitos de história, mito e ficção por meio de exercícios de leitura de textos que têm como eixo norteador o mito português de D. Pedro e Inês de Castro.  A partir dessa reflexão pretende-se extrair um dos sentidos possíveis de uma aula de literatura, qual seja, o de constituição de um sujeito leitor, capaz de estabelecer vínculos significativos com o seu passado e com sua herança cultural, por meio da tomada de consciência do protagonismo da língua e da linguagem nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Fernando Prado Telles, Universidade de São Paulo

Professor de Teoria Literária da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Possui bacharelado e licenciatura em Letras (1997), mestrado (2000) e doutorado (2009) em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente, desenvolve pesquisa de Pós-Doutorado junto ao Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência de ensino e pesquisa nas áreas de Letras, atuando, principalmente, nos  seguintes temas: teoria da literatura, teoria do romance, teoria da narrativa, narrativa contemporânea em literaturas de língua portuguesa.

Referências

ANTUNES, António Lobo. Memória de Elefante. Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1997.

BESSA-LUÍS, A. Adivinhas de Pedro e Inês. Lisboa: Guimarães & C. ª, Editores, 1983.

CAMÕES, Luís Vaz de. Os Lusíadas. Canto III (118 a135). Obras Completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1988.

CARDOSO, Norberto do Vale. Epístola de Judas aos Lusíadas: das Cartas aos romances de António Lobo Antunes. Revista Agulha. Fortaleza/São Paulo, nov. dez. 2008. http://www.revista.agulha.nom.br/ag66antunes.htm

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FERREIRA, António. Castro. Lisboa: Editora Ulisseia, 1998.

FRANCHETTI, Paulo. O cânone em língua portuguesa: algumas reflexões sobre o ensino de literatura brasileira e portuguesa no Brasil. Voz Luzíada. No. 18, São Paulo, 2002. pp. 71-78.

GOBBI, Márcia Valéria Zamboni. A ficcionalização da História: mito e paródia na narrativa portuguesa contemporânea. São Paulo: Unesp, 2011.

HELDER, Helberto. Teorema. In: MOISÉS, Massaud. (Org.). O conto português. São Paulo: Cultrix/Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

LOPES, FERNÃO. Crônicas de El Rei D. Pedro. In: Crônicas. Rio de Janeiro: Agir, 1968.

OSAKABE, Haquira. A Pátria de Inês de Castro. IN: IANNONE, C. A.; GOBBI, M. V. Z.; JUNQUEIRA, P. S. (ORG.). Sobre as naus da iniciação: estudos portugueses de literatura e história. São Paulo: Ed. UNESP, 1991.

PATRÍCIO, António. Pedro, o Cru. Teatro Completo. Lisboa: Assírio e Alvim, 1982.

RESENDE, Garcia de. Trovas à morte de D. Inês de Castro. In: Moisés, Massaud. A literatura portuguesa. São Paulo: Editora Cultrix, 1999.

VIEIRA, Afonso Lopes. Cancioneiro de Coimbra. Coimbra: França Amado, 1918. Disponível em: http://www.angelfire.com/pq/unica/il_alv_1918_cancioneiro_coimbra.htm

Downloads

Publicado

2014-11-25

Como Citar

TELLES, L. F. P. Desafios de leitura numa aula de literatura entre a história, o mito e a ficção. Remate de Males, Campinas, SP, v. 34, n. 2, p. 531–547, 2014. DOI: 10.20396/remate.v34i2.8635863. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8635863. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Ensino e literatura portuguesa