Banner Portal
Coisas, e a morte que existe nelas. Murilo Mendes e o trabalho do poeta
PDF

Palavras-chave

Murilo Mendes. Poesia. Trabalho. Mercadoria. Sublime.

Como Citar

STERZI, Eduardo. Coisas, e a morte que existe nelas. Murilo Mendes e o trabalho do poeta. Remate de Males, Campinas, SP, v. 32, n. 1, p. 35–51, 2012. DOI: 10.20396/remate.v32i1.8636210. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8636210. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

É constante na obra de Murilo Mendes a crítica à ideia de trabalho. Se, por um lado, tal crítica coincide com aquela de Marx à alienação do trabalhador em seu produto, por outro Murilo, de maneira criticamente irônica, acaba por conceber o trabalho do poeta como uma espécie de mímese explicitadora – ao mesmo tempo que transfiguradora – deste processo de alienação e reificação. Do mesmo modo, o poeta compartilha da crítica marxista da mercadoria, sem, no entanto, abrir mão da energia implícita na lógica vertiginosa desta, tampouco da força plástica inerente a suas fantasmagorias. Com essa poética da ambivalência, de quem não crê em simples recusa ou abstenção frente à negatividade do real, Murilo parece buscar não fugir à história e à sua verdade.
https://doi.org/10.20396/remate.v32i1.8636210
PDF

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond de. Reunião. Rio de Janeiro: José Olympio, 1969.

AUERBACH, Erich. “Na mansão de la Mole”. In Mimesis. A representação da realidade na literatura ocidental. Trad. Suzi Frankl Sperber. São Paulo: Perspectiva, 1971, pp. 395-430.

BENJAMIN, Walter. “Brinquedo e brincadeira. Observações sobre uma obra monumental”. In Magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987, pp. 249-253.

BENJAMIN, Walter. “Parque central”. In Charles Baudelaire. Um lírico no auge do capitalismo. Trad. José Carlos Martins Barbosa e Hemerson Alves Baptista. São Paulo: Brasiliense, 1989.

CALASSO, Roberto. “Esconderijos”. In Os 49 degraus. Trad. Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

CALASSO, Roberto. Candido, Antonio. “O mundo desfeito e refeito”. In Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CALASSO, Roberto. “Pastor pianista/pianista pastor”. In Na sala de aula. Caderno de análise literária. São Paulo: Ática, 1985.

CURTIUS, Ernst Robert. “O mundo às avessas”. In Literatura europeia e Idade Média latina. São Paulo: Hucitec: Edusp, 1996.

EAGLETON, Terry. A ideologia da estética. Trad. Mário Sá Rego Costa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

FREITAS JÚNIOR, Otávio de. “Murilo Mendes”. In Ensaios de crítica de poesia. recife: Norte, 1941.

FREUD, Sigmund. “Além do princípio de prazer”. In Além do princípio de prazer. Psicologia de grupo e outros trabalhos. Trad. Christiano Monteiro Oiticica. Rio de Janeiro: Imago, 1988.

LINS, Alvaro. “Murilo Mendes: o positivo e o negativo na originalidade”. In Os mortos de sobrecasaca. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1963.

LONGINO, Do sublime. Trad. Filomena Hirata. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

MARX, Karl. Manuscritos: economía y filosofía. Trad. Francisco Rubio Llorente. Madrid: alianza, 1995.

MARX, Karl. e ENGELS, Friedrich. Sobre literatura e arte. Trad. Albano Lima. Lisboa: estampa, 1974.

MENDES, Murilo. Poesia completa e prosa. Org. Luciana Stegagno Picchio. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MENDES, Murilo. Recordações de Ismael Nery. São Paulo: Edusp; Giordano, 1996.

MERQUIOR, José Guilherme. “Murilo Mendes ou a poética do visionário”. In Razão do poema. Rio de Janeiro: Topbooks, 1996.

NEEDELL, Jeffrey D. Belle époque tropical. Sociedade e cultura de elite no Rio de Janeiro na virada do século. Trad. Celso Nogueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

PASCAL, Blaise. Pensamentos. Trad. Sérgio Milliet. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

PEREIRA, Lúcia Miguel. “Jorge de Lima e Murilo Mendes: harmonia e diferenças”. In A leitora e seus personagens. Rio de Janeiro: Graphia, 1992.

RÓNAI, Paulo. Balzac e A comédia humana. Porto Alegre: Globo, 1957.

SARTRE, Jean-Paul. “Aminadab o de lo fantástico considerado como un lenguaje”. In Escritos sobre literatura. Trad. Luis Echávarri, v. 1. Madrid: Alianza; Buenos Aires: losada, 1985.

SPITZER, Leo. “La enumeración caótica en la poesía moderna”. In Lingüística e historia literaria. Madrid: Gredos, 1974.

STERZI, Eduardo. “Murilo carioca. Espaço, metamorfose, catástrofe, poesia”. In Letterature d’America, 112 (2006).

Licença Creative Commons
O periódico Remate de Males utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.