Banner Portal
Mímesis a contrapelo: ficção e autobiografia nos romances Berkeley em Bellagio e Lorde, de João Gilberto Noll
PDF

Palavras-chave

Teoria Literária. Crítica literária. Arquivos.

Como Citar

SILVA, M. R. P. da. Mímesis a contrapelo: ficção e autobiografia nos romances Berkeley em Bellagio e Lorde, de João Gilberto Noll. Remate de Males, Campinas, SP, v. 29, n. 2, p. 299–317, 2010. DOI: 10.20396/remate.v29i2.8636281. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8636281. Acesso em: 24 fev. 2024.

Resumo

Este artigo analisa a relação entre autobiografia e ficção em Berkeley em Bellagio (2002) e Lorde (2004), romances do escritor brasileiro contemporâneo João Gilberto Noll. Em um primeiro momento, a ficcionalização de referências da experiência do escritor no exterior torna incertas as fronteiras entre autobiografia e ficção. Mas a improbabilidade de muitos eventos, bem como muitas disjunções retóricas entre o que os personagens dizem que fazem e o que as narrativas realmente fazem, desfazen tal incerteza, mostrando que as duas narrativas podem ser mais bem lidas como ficção. Por outro lado, esses romances usam a autobiografia como uma técnica auto-reflexiva, i. e., precisamente, como uma maneira de criticar as condições de produção dos próprios romances, o que revela e, ao mesmo tempo, supera a equivalência entre miséria material e simbólica (ou ficcional).
https://doi.org/10.20396/remate.v29i2.8636281
PDF

Referências

ADORNO, Theodor W. Teoria estética. Trad. Artur Morão. Lisboa: Ed. 70, 1988.

ADORNO, Theodor W. Theory of pseudo-culture (1959). Trans. Deborah Cook. Telos: a quarterly journal of critical thought, New York, n. 95, p. 15-38, spring 1993.

ADORNO, Theodor W. Introducción a una discusión sobre la “Teoria de la pseudocultura”. In: ADORNO, Theodor W. Escritos sociológicos I. Org. Rolf Tiedemann; Gretel Adorno; Susan Buck-Morss; Klaus Schultz. Trad. Agustín González Ruiz. Madrid: Akal, 2004. p. 532-535. Obra Completa, v. 8.

ADORNO, Theodor W. Minima moralia: reflexões a partir da vida lesada. Trad. Gabriel Cohn. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2008.

ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Trad. Marco Antonio Casanova. Rev. Eduardo Soares Neves Silva. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Trad. Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

AFEGANISTÃO: frustradas, três famílias de refugiados deixam o Brasil. Folha de São Paulo, São Paulo, 21 mai. 2003. Folha Mundo. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ ft2105200319.htm. Acesso em: 16 jun. 2009.

AVELAR, Idelber. Bildungsroman em suspenso: quem ainda aprende com os relatos e viagens? In: AVELAR, Idelber. Alegorias da derrota: a ficção pós-ditatorial e o trabalho do luto na América latina. Trad. Saulo Gouveia. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003. p. 213-234.

CARNEIRO, Flávio. No país do presente: ficção brasileira no início do século XXI. Rio de Janeiro: Rocco, 2005.

COSTA LIMA, Luiz. Mímesis: desafio ao pensamento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

COSTA LIMA, Luiz. Limites da voz: Montaigne, Schlegel, Kafka. 2. ed. rev. Rio de Janeiro: Topbooks, 2005.

COSTA LIMA, Luiz. Sociedade e discurso ficcional. In: COSTA LIMA, Luiz. Trilogia do controle. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Topbooks, 2007. p. 233-521.

DE MAN, Paul. Autobiography as de-facement. Modern language notes, Baltimore, v . 94, n. 5, p. 919-930, 1979. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/2906560. Acesso em: 21 abr. 2009.

DOUBROVSKY , Serge. Autobiographie/autofiction. Revue des sciences humaines, Lille, n. 224, p.17-25, Octobre/Décembre 1991.

DUARTE, Rodrigo Antonio de Paiva. Mímesis e racionalidade: a concepção de domínio da natureza em Theodor W. Adorno. São Paulo: Loyola, 1993.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Do conceito de mímesis no pensamento de Adorno e de Benjamin. In: GAGNEBIN, Jeanne Marie. Setes aulas sobre linguagem, memória e história. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 2005. p. 79-104.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. “Após Auschwitz”. In: GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Ed. 34, 2006. p. 59-81.

KLINGER, Diana Irene. Escritas de si, escritas do outro: o retorno do autor e a virada etnográfica. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Org. Jovita Maria Gerheim Noronha. Trad. Jovita Maria Gerheim Noronha; Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

MORICONI, Ítalo. Circuitos contemporâneos do literário (indicações de pesquisa). Gragoatá, Niterói, n. 20, p. 147-163, 1° sem. 2006.

NOLL, João Gilberto. Berkeley em Bellagio. São Paulo: Francis, 2003. 106 p.

NOLL, João Gilberto. Lorde. São Paulo: Francis, 2004. 111 p.

PINTO, Manuel da Costa. Literatura brasileira hoje. São Paulo: Publifolha, 2005.

STENDHAL, Henry-Marie Beyle de. De l’amour. Paris: Michel Lévy Frères, 1857. Disponível em: http:// books.google.com.br/books?id=Ei-LxVVkyOUC&dq=de+l%27amour+Stendhal&source=gbs_ navlinks_s. Acesso em: 16 jun. 2009.

VIEGAS, Ana Cláudia Coutinho. O “retorno do autor”: relatos de e sobre escritores contemporâneos. In: VALLADARES, Henriqueta do Coutto Prado (Org.). Paisagens ficcionais: perspectivas entre o eu e o outro. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007. p. 13-26.

Licença Creative Commons
O periódico Remate de Males utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.