Banner Portal
Autoria partilhada na literatura digital
PDF

Palavras-chave

Literatura digital
Fantasia Breve a Palavra Espuma
Coautoria

Como Citar

DEICKE, D. K.; PEREIRA, V. C. Autoria partilhada na literatura digital: notas sobre "Fantasia breve, a palavra-espuma". Remate de Males, Campinas, SP, v. 43, n. 2, 2023. DOI: 10.20396/remate.v43i2.8670614. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8670614. Acesso em: 24 fev. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Na literatura digital, ganham espaço práticas que por vezes transgridem noções mais convencionais de materialidade e autoria advindas da literatura impressa, sobretudo a associação um livro – um tema – um autor. Entre outras importantes obras de literatura digital lusófona, analisamos no presente artigo Fantasia breve, a palavra-espuma, gerador automático de poesia idealizado por Rui Torres, com programação de Nuno Ferreira, baseado em poemas de Ana Hatherly. Interessa-nos, acerca desse projeto, indagar a complexa dinâmica coautoral que se estabelece entre os criadores supracitados e o leitor, o qual também é responsável por aquilo que lê, dado que os poemas de Fantasia breve desaparecem muito rapidamente da tela, impondo ao leitor a necessidade de decidir quais porções do texto ler e quais ignorar. Assim, procuramos observar de que modo idealizador, programador, poetisa e leitor contribuem de maneira distinta e em tempos diferentes de produção/execução/recepção para a construção de sentidos a partir dos poemas automática e aleatoriamente gerados pelo software. Em nossa pesquisa, destacamos como operadores analíticos os conceitos de hiperleitura, combinatória, escrita não criativa e remixagem, e tentamos situar Fantasia breve, a palavra-espuma na série literária lusitana com relação a outros experimentos poéticos combinatório-procedimentais, especialmente a poesia ibérica maneirista e barroca e a poesia experimental portuguesa do século XX.

https://doi.org/10.20396/remate.v43i2.8670614
PDF

Referências

AARSETH, Espen. Cybertext: Perspectives on Ergodic Literature. Baltimore: The John Hopkins University Press, 1997.

BARTHES, Roland. A morte do autor. In: O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004, pp. 57-64.

BLOCK, Friedrich W.; TORRES, Rui. Poetic Transformations in(to) the Digital. 2007. Disponível em: <https://po-ex.net/taxonomia/transtextualidades/metatextualidadesalografas/torres-block-poetic-transformations-into-the-digital/>. Acesso em: 2 jan. 2022.

BORDINI, Maria da Glória. Variações sobre um tema de Joyce: Ana Hatherly e a reinvenção de si mesma. In: ALVES, Ida; BARBOSA, Rogério (Orgs.). Encontros com Ana Hatherly. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2015, pp. 140-154.

CULTURAL TREND LISBON. Programação Festival do Silêncio. 2016. Disponível em: https://encurtador.com.br/jmwRW>. Acesso em: 1 abr. 2021.

DEICKE, Débora Keppi; PEREIRA, Vinícius Carvalho. A dissolução das noções de materialidade e autoria na ciberliteratura: um olhar para a obra Fantasia breve, a palavra-espuma. Scripta, v. 24, n. 52, 2020, pp. 210-234.

DOS SANTOS, Alckmar Luiz. Leituras de nós: ciberespaço e literatura. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

EDMONDS, Ernest. Generative Art: A Semiotic Exchange. In: BARBOSA, Simone; BREITMAN, Karin (Eds.). Conversations Around Semiotic Engineering. New York City: Springer International Publishing, 2017, pp. 71-79.

FERNANDES, Annie Gisele. Ana Hatherly, o espaço crítico e sua poesia. In: ALVES, Ida; BARBOSA, Rogério (Orgs.). Encontros com Ana Hatherly. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2015, pp. 15-34.

FERREIRA, Nuno. Linkedin. 2021. Disponível em: <https://pt.linkedin.com/in/nunofferreira>. Acesso em: 2 fev. 2022.

GAINZA, Carolina Cortés. Nuevos escenarios literários: hacia una cartografía de la literatura digital latino-americana. In: GUERRERO, Gustavo; LOY, Benjamin; MÜLLER, Gesine. World Editors: Dynamics of Global Publishing and the Latin American Case between the Archive and the Digital Age. Berlim: De Gruyter, 2020, pp. 331-349.

GOLDSMITH, Kenneth. Uncreative Writing. Nova Yorque: Columbia University Press, 2011.

HATHERLY, Ana. A experiência do prodígio. Bases teóricas e antologia de textos-visuais portugueses dos séculos XVII e XVIII. Lisboa: Conselho da Europa, 1983.

HATHERLY, Ana. A casa das musas: uma releitura crítica da tradição. Lisboa: Estampa, 1995.

HATHERLY, Ana. Um calculador de improbabilidades. Coimbra: Quimera Editores, 2001.

HAYLES, Katherine. Literatura eletrônica: novos horizontes para o literário. Passo Fundo: UPF, 2009.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. Florianópolis: Editora da UFSC, 2011.

KIRCHOF, Edgar Roberto. O livro de literatura para crianças e jovens no universo digital: transformações, desafios e possibilidades. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 65, 2021, pp.1-18.

KLUCINSKAS, Jean; MOSER, Walter. Interculturalidade: a estética à prova da reciclagem cultural. Scripta, Belo Horizonte, v. 11, n. 20, 1º sem. 2007, pp. 17-42.

LANDOW, George. Hypertext: The Convergence of Contemporary Critical Theory and Technology. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1992.

MARINO, Mark. Critical Code Studies. Cambridge: MIT Press, 2020.

MELO E CASTRO, Ernesto Manuel de. Poética do ciborgue. Rio de Janeiro: Confraria do Vento, 2014.

MESA, Rafael García. Ciberliteratura: juegos de lenguaje y literatura virtual. In: ROSA, José Reyes et al. (Orgs.). Creatividad y literatura potencial: actas de las primeras jornadas hispanofrancesas de creatividad y literatura potencial. Córdoba: Universidad de Córdoba, 2006.

NAVAS, Eduardo. Remix Theory: The Aesthetics of Sampling. Nova Iorque/Viena: Springer, 2012.

PEREIRA, Vinícius Carvalho. O valor da letra e o sentido do número: Literatura e Matemática na produção do Oulipo. Cuiabá: EdUFMT, 2019a.

PEREIRA, Vinícius Carvalho. Poéticas da/na interface: uma leitura de Fantasia breve, a palavra-espuma – gerador automático de poemas com base em versos de Ana Hatherly. Verbo de Minas, Juiz de Fora, v. 20, n. 35, 2019b, pp. 35-54.

PEREIRA, Vinícius Carvalho. Textos artísticos que geram textos artísticos: uma análise semiótica de motores textuais de Rui Torres. MATLIT: Materialidades da Literatura, v. 7, n. 1, 2019, pp. 153-174.

QUENEAU, Raymond. Cent mille milliards de poèmes. Paris: Gallimard, 1961.

RETTBERG, Scott. Electronic Literature. Cambridge: Polity, 2019.

ROCHA, Rejane. Contribuições para uma reflexão sobre a Literatura em contexto digital. Revista da Anpoll, v. 1, n. 36, 2014, pp. 160-186.

SALGADO, Marcus Rogério. As metamorfoses na escrita: constelações de palavras e imagens na obra plástica de Ana Hatherly. In: ALVES, Ida; BARBOSA, Rogério (Orgs.). Encontros com Ana Hatherly. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2015, pp. 127-139.

SCHÄFER, Jörgen. Gutenberg Galaxy Revis(it)ed: A Brief History of Combinatory, Hypertextual and Collaborative Literature from the Baroque Period to the Present. In: GENDOLLA, Peter; SCHÄFER, Jörgen (Eds.). The Aesthetics of Net Literature. Bielefeld: Transcript Publishing, 2007, pp. 121-160.

SOSNOSKI, James. Hyper-Readers and Their Reading Engines. In: HAWISHER, Gail; SELFE, Cynthia (Eds.). Passions, Politics, and 21st Century Technologies. Logan, Utah and Urbana, Illinois: Utah State University Press‐NCTE, 1999, pp. 161-177.

TORRES, Rui. Fantasia breve: a palavra-espuma. 2016. Disponível em: <http://www.telepoesis.net/palavra-espuma/>. Acesso em: 3 set. 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Licença Creative Commons

Downloads

Não há dados estatísticos.