Fotografia como arte do trauma e imagem-ação: jogo de espectros na fotografia de desaparecidos das ditaduras na América Latina

Autores

  • Márcio Seligmann-Silva Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v18i19.8645678

Palavras-chave:

Fotografia e trauma. Imagens da violência. Imagens do desaparecimento.

Resumo

Ernst Simmel descreveu o trauma de guerra com uma fórmula que deixa clara a relação entre técnica, trauma, violência e o registro de imagens: “A luz do flash do terror cunha/estampa uma impressão fotograficamente exata”. O trabalho analisa a relação entre fotografia e trauma no contexto das ditaduras da América Latina entre os anos 1960 e 1980. Pensa-se nas imagens na sua relação com a violência e sobre a nova era digital que favorece uma cultura da amnésia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Seligmann-Silva, Universidade Estadual de Campinas

Docente e pesquisador do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL-Unicamp).

Referências

ARISTÓTELES. De Memoria et Reminiscentia. W.S. Hett (transl.). Cambridge: Loeb Classical Library, 1995.

ASSMANN, Aleida. Erinnerungsräume. Formen und Wandlungen des kulturellen Gedächtnisses. München: C.H. Beck, 1999.

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas, v. I, Magia e Técnica, Arte e Política. S.P. Rouanet (trad.). São Paulo: Brasiliense, 1985.

DIDI-HUBERMAN, G. et. al. Alfredo Jaar: La Politica de las Imágenes. Santiago: Metales Pesados, 2008.

DUBOIS, P. O Ato Fotográfico e Outros Ensaios. Marina Appenzeller (trad.). Campinas: Papirus, 1993.

HERTZ, C. “Desaparición forzada de personas: método de terror y exterminio permanente.” In: Políticas y Estéticas de la Memoria. Org. por Nelly Richard. Santiago: Editorial Cuarto Proprio, 2000.

LEIVA QUIJADA, G. Luis Navarro. La Potencia de la Memoria. Santiago de Chile: Imprenta Edición, 2004.

LEIVA QUIJADA, G. Multitudes en Sombras, AFI. Santiago: Ocho Libros Editores, 2008.

RENNÓ, R. Rosângela Rennó: O Arquivo Universal e Outros Arquivos São Paulo: Cosac Naify, 2003.

SELIGMANN-SILVA, M. “História como Trauma”, in: M. SeligmannSilva e A. Nestrovski (org.) Catástrofe e Representação, São Paulo: Escuta, 2000. Pp. 73-98.

SELIGMANN-SILVA, M. “A arte de dar face às datas: A topografia da memória na arte contemporânea.” In: Horst Hoheisel, Marcelo Brodsky, Andreas Knitz e Fulvia Molina (orgs.). A Alma dos Edifícios. S. Paulo: Imprensa Oficial do Estado de S. Paulo, 2004.

Downloads

Publicado

2010-02-12

Como Citar

SELIGMANN-SILVA, M. Fotografia como arte do trauma e imagem-ação: jogo de espectros na fotografia de desaparecidos das ditaduras na América Latina. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 46-66, 2010. DOI: 10.20396/resgate.v18i19.8645678. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645678. Acesso em: 30 out. 2020.