Hibridismo cultural e atualização da cultura: o Carimbó do Brasil

Autores

  • Silvio José de Lima Figueiredo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) Universidade Federal do Pará (UFPA).
  • Eliana Benassuly Bogéa Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) Universidade Federal do Pará (UFPA)

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v23i30.8645808

Palavras-chave:

Cultura popular. Hibridismo cultural. Carimbó

Resumo

Tratar de cultura popular na pós-modernidade é abordar o dinamismo da cultura e da sociedade em vários pontos do planeta. Se impossível negar a globalização, como a cultura popular se comporta atualmente é um tema necessário haja vista as teorias sobre a pós-modernidade que atualmente transformam um conceito inicialmente de oposição em um conceito de agregação ou inclusão. A discussão da mudança cultural, aculturação, fricção interétnica e todas as categorias criadas para designar fenômenos similares, traduz um histórico de como esse tema foi interpretado. Frente a essa questão, aparece outra de igual importância: como identificar o externo em uma sociedade que não é fechada, homogênea, que não se caracteriza como comunidade na sua conceituação mais pura? E onde estariam as sociedades desse tipo hoje em dia num mundo globalizado? O trabalho pretende compreender essa dinâmica, chamando-a de atualização, através de estudos da Cultura Popular na Amazônia brasileira. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvio José de Lima Figueiredo, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) Universidade Federal do Pará (UFPA).

Possui graduação em Administração pela Universidade da Amazônia (1990), graduação Turismo pela Universidade Federal do Pará (1993), Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento pela Universidade Federal do Pará (1998) e Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2005). Realizou estágio pós-doutoral em Sociologia na Université Rene Descartes, Paris V, Sorbonne (2010-2012). Atualmente é consultor do Ministério da Educação e professor/pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Umido (Mestrado e Doutorado), do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Planejamento Urbano e Regional, e também Planejamento do Turismo, atuando principalmente nos seguintes temas: Políticas Publicas, Gestão Pública, Turismo, Amazônia, Sustentabilidade, e Comunicaçao e Cultura.

Eliana Benassuly Bogéa, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutoranda do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará (NAEA UFPA). Mestra em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia pelo Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará (NUMA UFPA). Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP MG), 17111-B OAB PA. Professora do Curso de Direito da Faculdade Estácio do Pará (ESTÁCIO FAP), desde 02/2016. Parecerista do Ministério da Cultura, desde 08/2015. Professora Visitante da Especialização em Planejamento e Gestão Pública do Patrimônio Cultural do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará (NAEA UFPA), 2015-2016. Consultora UNESCO para o Ministério da Cultura, 2013-2014.

Referências

BOGÉA. E. A Cultura no Brasil pós-2003, um norte: Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS CULTURAIS, 5, 2014, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2014. p. 1 – 16. Disponível em: http://culturadigital.br/politicaculturalcasaderuibarbosa/files/2014/06/Eliana-Bog%C3%A9a.pdf. Acesso em: 09 nov. 2015.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O Divino, o Santo e a Senhora. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1978.

BRASIL. Ministério da Cultura. Notícias. Carimbó é agora patrimônio imaterial brasileiro, 11 set. 2014. Disponível em: http://www.cultura.gov.br/noticias-destaques/-/asset_publisher/OiKX3xlR9iTn/content/carimbo-e-agora-patrimonio-imaterial-brasileiro/10883. Acesso em: 2 ago. 2015.

CANCLINI, Néstor García. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983.

CANCLINI, Néstor García. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 1997.

CANCLINI, Néstor García. Consumidores e Cidadãos. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1995.

FIGUEIREDO, S. L.; TAVARES, A. E. P. Mestres da Cultura. Belém: EDUFPA, 2006.

FIGUEIREDO, S.L. Círio de Nazaré, festa e paixão. In: FIGUEIREDO, S. L. (Org.). Círio de Nazaré, festa e paixão. Belém: UFPA, 2005. p. 19-39.

FIGUEIREDO, S.L. Ecoturismo, Festas e Rituais na Amazônia. Belém: NAEA/UFPA, 1999.

FIGUEIREDO, S.L. Turismo e Cultura: mudança cultural em Soure (Marajó/PA) em decorência da exploração do ecotursimo. 1998. Dissertação (Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento) – Universidade Federal do Pará, Belém. 1998.

FURTADO, Lourdes G. Curralistas e Redeiros de Marudá: pescadores do litoral do Pará. Belém: MPEG, 1985. INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (Iphan). Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) Carimbó. Dossiê Iphan Carimbó. Belém-PA, 2013.

GABBAY, Marcelo M. O carimbó marajoara: por um conceito de comunicação poética na geração de valor comunitário. 2012. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2012.

KRIPPENDORF, Jost. Les Vacances et Après? Pour une nouvelle compréhension des loisirs et des voyages. Paris: L’Harmatan, 1987.

MACIEL, Antônio Francisco. Carimbó, um canto caboclo. 1983. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 1983.

MAGNANI, José G. C. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. A Ilha Encantada: medicina e xamanismo numa comunidade de pescadores. Belém: EDUFPA, 1990.

OLIVEIRA, Ana Gita. O Mundo Transformado: um estudo da cultura de fronteira no Alto Rio Negro. Belém: MPEG, 1995.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. Identidade, Etnia e Estrutura Social. São Paulo: Pioneira Editora, 1978.

ORTIZ, Renato. Cultura Brasileira e Identidade Nacional. 4. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

SALLES, Vicente; SALLES, Marena Isdebski. Carimbó: trabalho e lazer do caboclo. Revista Brasileira de Folclore, Rio de Janeiro, v. 9, n. 25, p. 257-282, set./dez. 1969.

TURNER, V. O Processo Ritual. Estrutura e Anti Estrutura. Petrópolis: Vozes, 1974.

Downloads

Publicado

2015-12-23

Como Citar

FIGUEIREDO, S. J. de L.; BOGÉA, E. . B. Hibridismo cultural e atualização da cultura: o Carimbó do Brasil. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 81-92, 2015. DOI: 10.20396/resgate.v23i30.8645808. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645808. Acesso em: 31 out. 2020.