A caracterização de “elite” em produções acadêmicas sobre o ensino secundário (2004 – 2015)

Autores

  • Fernando Vendrame Menezes Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande

DOI:

https://doi.org/10.20396/resgate.v29i1.8663625

Palavras-chave:

Ensino secundário, Conceito de elite, Produção acadêmica

Resumo

Este trabalho apresenta parte de uma pesquisa desenvolvida no curso de Doutorado de um Programa de Pós-Graduação em Educação, cujo objetivo foi investigar a implementação do ensino secundário nas cidades de Belo Horizonte – MG e Campo Grande – MS, numa perspectiva histórico-comparada, tomando como fonte e objeto produções acadêmicas produzidas entre 2004 e 2015 em programas de pós-graduação de duas universidades federais destes estados. Para este texto em específico, vamos discutir como estas produções acadêmicas caracterizaram o seu entendimento sobre o conceito de elite. Em linhas gerais, argumentamos que o conceito de elite foi pouco desenvolvido e problematizado, pois partiam de um entendimento a priori, já cristalizado pela historiografia, de que o ensino secundário era destinado a formação da “elite”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Vendrame Menezes, Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.  Professor  do ensino fundamental e médio pela Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande (Mato Grosso do Sul - Brasil).

 

Referências

ARANTES, Gabriela Vilella. Educação Física entra em cena: olhares sobre o Colégio Estadual de Minas Gerais (1956-1973). 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

BRAGA, Horácio dos Santos. O ensino de latim na escola Maria Constança Barros Machado como reflexo da história da disciplina no Brasil (1939-1971). 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2005.

BRAGA, Paulo Henrique Azuaga. A disciplina educação física no Maria Constança: expressões da cultura escolar no período de 1954 – 1964. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2006.

BRASIL. Decreto n. 19.890, de 18/04/1931b. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/. Acesso em: fev. 2013.

BRASIL. Decreto-Lei n. 4.244, de 09/04/1942. Lei Orgânica do ensino secundário.

Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/fontes_escritas/. Acesso em: abr. 2011.

CARDOSO, Ciro Flamarion; BRIGNOLI, Hector Pérez. O método comparativo na História. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; BRIGNOLI, Hector Pérez. Os Métodos da História. Tradução: José Maia. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1979, p. 409-420.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3. ed. Tradução: Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

CERTEAU, Michel de. A operação historiográfica. In: CERTEAU, Michel de. A escrita da História. 2 ed. Tradução: Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010, p. 56 – 108.

CHAVES JÚNIOR, Ilton de Oliveira. Provocar, auxiliar e fiscalizar: o lugar do Estado na produção do ensino secundário em Belo Horizonte (1898-1931). 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

CHERVEL, André; COMPÈRE, Marie-Madeleine. As humanidades no ensino. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 149-170, jul./dez. 1999. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27826/29598. Acesso em: 15 mar. 2017.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Tradução: Pedro Süssekind; prefácio: Roger Chartier. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Tradução: Vera Ribeiro; revisão técnica e notas de Renato Janine Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GONÇALVES NETO, Wenceslau; CARVALHO, Carlos Henrique de. Tendências e perspectivas em história comparada no campo da educação. Cadernos de História da Educação, Uberlândia, n. 4, p. 183-190, jan./dez. 2005. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/395/376. Acesso em: 23 abr. 2017.

MELLO, João Manuel Cardoso de; NOVAIS, Fernando. Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz (Org). História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 559-658.

MORAIS, Rosana Sant’Ana de. A história da disciplina língua espanhola expressa nas leis e na cultura escolar do colégio “Maria Constança” em Campo Grande –MT (1953-1961). 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2007.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, nº 14, p. 35-59, maio-ago. 2000. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=27501404. Acesso em: 10 nov. 2010.

OLIVEIRA, Stella Sanches de. A história da disciplina escolar francês no Colégio Estadual Campo-grandense (1942-1962). 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2009.

OLIVEIRA, Stella Sanches de. Implantação e organização do curso ginasial no sul de Mato Grosso: expressões de um projeto de modernização (1917-1942). 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.

PESSANHA, Eurize Caldas et al. Tempo de cidade, lugar de escola: um estudo comparativo sobre a cultura escolar de instituições escolares exemplares constituídas no processo de urbanização e modernização das cidades brasileiras (1880-1970). Campo Grande/MS: Relatório final de projeto de pesquisa financiado pelo CNPq (Processo: 481397/2004-3), out. 2007.

RAHE, Marta Banducci. A disciplina língua inglesa e o “sotaque norte-americano”: uma investigação das práticas docentes no Maria Constança (1955-2005). 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2006.

RAHE, Marta Banducci. Invocações incorporadas ou “modernidades abandonadas”? Uma investigação dos materiais didáticos para as aulas de línguas vivas em dois ginásios de Campo Grande, sul do estado de Mato Grosso (1931-1961). 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2015.

RIBEIRO, Luci Silva. Processo e figuração: um estudo sobre a sociologia de Norbert Elias. 2010. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

ROCHA, Adriana Alves de Lima. Por uma história do currículo no/do colégio Maria Constança na década de 1960: cultura docente, práticas e materiais curriculares. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2007.

SAVIANI, Dermeval. História comparada da educação: algumas aproximações. Revista História da Educação, Pelotas, v. 5, n. 10, p. 5-16, jul./dez. 2001. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4053145. Acesso 09 set. 2014.

TARGA, Luiz Roberto Pecoits. Comentário sobre a utilização do método comparativo em análise regional. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 265-271, 1991. Disponível em: http://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/view/1424/1788. Acesso em: 02 ago. 2014.

TEIXEIRA, Aleluia Heringer Lisboa. “Uma escola sem muros” Colégio Estadual de Minas Gerais (1956-1964). 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

VENDRAME MENEZES, Fernando. Indícios das práticas curriculares na disciplina

História em uma escola exemplar de Campo Grande entre 1942 e 1970. 2012. Dissertação

(Mestrado em Educação), Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: Campo Grande, 2012.

VIANA, Nathércia Micheletti. Juventude, cidade e educação: a experiência do Ginásio Mineiro em Belo Horizonte (1898-1914). 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

VIDAL, Diana Gonçalves. História da educação comparada: reflexões iniciais e relato de uma experiência. História da Educação, Pelotas, v. 5, n. 10, p. 31-41, jul./dez. 2001. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4053145. Acesso em: 09 set. 2014.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

VENDRAME MENEZES, F. A caracterização de “elite” em produções acadêmicas sobre o ensino secundário (2004 – 2015) . Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e021013, 2021. DOI: 10.20396/resgate.v29i1.8663625. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8663625. Acesso em: 17 out. 2021.