Formação de professores da educação básica no ensino superior: diretrizes curriculares pós 1996

  • Leda Scheibe Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Vera Lúcia Bazzo Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Formação de professores. Ensino superior. Diretrizes curriculares nacionais.

Resumo

O presente estudo apresenta e analisa as políticas de formação de professores para a educação básica nos cursos de graduação, licenciaturas, conforme suas principais regulações após a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), Lei n 9.394/1996, de 20 de dezembro de 1996 (BRASIL, 1996), atualmente em vigor. Percorre sinteticamente a trajetória histórica do país pós ditadura militar, traçando um panorama explicativo das disputas entre as diversas concepções de formação que marcaram o processo de construção dessas regulamentações. Ressalta, neste processo, a importância de uma questão central nessas definições, qual seja, o fato de, finalmente, se exigir uma formação de nível superior para formar professores. Este artigo, portanto, propõe-se, por meio de uma abordagem teórico-conceitual, analisar as regulações que foram se conformando desde a segunda metade da década de 1990 até os dias atuais, tomando como referência as diretrizes curriculares nacionais instituídas para normatizar a formação de professores para a educação básica desenvolvida nos cursos de graduação, as chamadas licenciaturas.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leda Scheibe, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Licenciada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1966), mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1977) e doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1987). Professora Titular Emérita da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisadora na área de Políticas de Formação de Professores para a Educação Básica, recebeu o Prêmio Destaque Pesquisador da UFSC (50 Anos) em 2010. Professora da UFSC de 1967 a 1997; voluntária de 1997 a 2014. Desde 2001, membro do corpo permanente de professores do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNOESC (Universidade do Oeste de Santa Catarina). Membro do CTC da Educação Básica da Capes de 2008 a 2014. Presidente Nacional da ANFOPE (Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação), de 2000 a 2002; Vice-Presidente da ANPED (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação), em quatro gestões: 1985-1986, 1987-1989; 2009-2011 e 2011-2013; Membro da diretoria da ANPAE (Associação Nacional de Política e Administração em Educação), gestão 2015-2017. Participa do Fórum Estadual de Educação de Santa Catarina. A partir de setembro de 2014, Editora da Revista Retratos da Escola (CNTE). .

Vera Lúcia Bazzo, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Licenciatura em Letras Português e Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina (1973), mestrado em Letras (Inglês e Literatura Correspondente) pela Universidade Federal de Santa Catarina (1983) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007). Atualmente é Professora Associada nível 4 da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores da Educação Básica, políticas públicas para a educação, avaliação institucional e docência universitária.

Publicado
2016-09-30
Como Citar
Scheibe, L., & Bazzo, V. L. (2016). Formação de professores da educação básica no ensino superior: diretrizes curriculares pós 1996. Revista Internacional De Educação Superior, 2(2), 241-256. https://doi.org/10.22348/riesup.v2i2.7596
Seção
Artigos