Universidade popular no Brasil e relações étnico-raciais: o caso da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Palavras-chave: Ensino superior. Universidade Popular. Questões étnico-raciais. UNILAB.

Resumo

O presente artigo busca analisar como se configuram, no Brasil contemporâneo, as chamadas universidades populares - categoria que buscaremos aqui definir - e como se inserem, nesta categoria, as questões étnico-raciais, especialmente vinculadas ao processo de educação superior. Para ilustrar essa relação entre universidade popular e questões étnico-raciais, analisaremos o caso da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), verificando aspectos próprios dessa universidade, na correlação com as categorias acima referidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Silva, Universidade Nove de Julho
Doutor em Letras Clássicas e Vernáculas pela Universidade de São Paulo. Professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação, na Universidade Nove de Julho (São Paulo)

Referências

ALEXANDRE, Suelen de Pontes. A inclusão da diversidade no Ensino Superior: um estudo da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) na perspectiva das epistemologias contra-hegemônicas. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2015.

ALMEIDA-FILHO, Naomar de. Rankings, Vikings, Master & Colleges: dilemas da universidade brasileira no contexto da internacionalização. In: VILLAR, José Luiz & CASTIONI, Remi. Diálogos entre Anísio e Darcy. O projeto da UnB e a educação brasileira. Brasília: Verbena, 2012, p. 218-244.

BENINCÁ, Dirceu; SANTOS, Eduardo. O caráter popular da educação superior. In: SANTOS, Eduardo; MAFRA, Jason Ferreira; ROMÃO, José Eustáquio (org.). Universidade Popular: teorias, práticas e perspectivas. Brasília: Liber Livro, 2013, p. 51-79.

BISSERET, Noëlle. Les inégaux ou la sélection universitaire. Paris: Presses Universitaires de France, 1974.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues; ASSUMPÇÃO, Raiane. Cultura Rebelde. Escritos sobre a Educação Popular Ontem e Agora. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2009.

BRASIL. Decreto n.º 4228, de 13 de maio de 2002. Institui, no âmbito da Administração Pública Federal, o Programa Nacional de Ações Afirmativas e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 mai. 2002. Disponível em: < http://www.palmares.gov.br/wp-content/uploads/2010/11/legis07.pdf >. Acesso em 22 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília: MEC/SEPPIR, 2004.

BUARQUE, Cristovam. A aventura da universidade. São Paulo; Rio de Janeiro: Unesp; Paz e Terra, 1994.

BUSSILLET, Dominique. Les universités populaires au Portugal et au Brésil. In: POULOUIN, Gérard (Org.). Universités populaires hier et aujourd´hui. Paris: Autrement, 2012, p. 274-281.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. São Paulo: Cortez, 1991.

COSTA, Elisangela André da Silva. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB): contribuições para a educação das relações étnico-raciais. In: CAPRINI, Aldieris Braz Amorim (Org.). Educação e diversidade étnico-racial. Jundiaí: Paco, 2016, p. 109-130.

DIÓGENES, Camila Gomes; AGUIAR, José Reginaldo (Org.). UNILAB: Caminhos e Desafios Acadêmicos da Cooperação Sul-Sul. Redenção: Unilab, 2013.

FERNANDES, Florestan. Universidade Brasileira: Reforma ou Revolução? São Paulo: Alfa-Ômega, 1975.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Global, 2007.

FREIRE, Paulo. Cartas à Guiné-Bissau. Registros de uma Experiência em Processo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

GADOTTI, Moacir. Universidade popular dos movimentos sociais: breve história de um sonho possível. Disponível em: < http://www.universidadepopular.org/media/relatos

%20oficinas/Gadotti.pdf >. Acesso em 02 abr 2017.

GADOTTI, Moacir; STANGHERLIM, Roberta. A universidade na perspectiva da educação popular. In: SANTOS, Eduardo; MAFRA, Jason Ferreira; ROMÃO, José Eustáquio (Org.). Universidade popular: teorias, práticas e perspectivas. Brasília: Liber Livro, 2013, p. 19-49.

GOMES, Nilma Lino; LERCHE, Sofia. Construindo uma ponte Brasil-África: a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Luso-Afrobrasileira (UNILAB). Revista Lusófona de Educação, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa, No. 24: 75-88, 2013.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira. Negros e educação no Brasil. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FILHO, Luciano Mendes Faria; VEIGA, Cynthia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 325-346.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Ações afirmativas para a população negra nas universidades brasileiras. In: SANTOS, Renato Emerson dos; LOBATO, Fátima (Org.). Ações Afirmativas. Políticas Públicas contra as Desigualdades Sociais. Rio de Janeiro, DP&A, 2003, p. 76-82.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2001.

LOSS, Adriana Salete; KRATOCHVIL, Claudia Finger. Universidade popular - um sonho possível de ser concretizado. In: BAUER, Carlos; ROGGERO, Rosemary; LORIERI, Marcos Antônio (Org.). Pedagogias Alternativas. Jundiaí: Paco, 2014, p. 359-372.

MASON, Jennifer. Qualitative Researching. London: Sage Publications, 2002.

NÓBREGA, Evangelita Carvalho da. Ações afirmativas na universidade popular brasileira: o caso da Universidade Federal do Sul da Bahia. 2016. Dissertação - (Mestrado em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2016.

RIBEIRO, Fabrício Américo; RUSSO, José Figueira. Arranjos e práticas especiais em Redenção-CE: a Unilab como promotora do desenvolvimento local. Educare. Revista Científica do Colégio Militar de Fortaleza, Fortaleza, Ano 5, No. 6: 91-98, out. 2012.

RISTOFF, Dilvo. A universidade brasileira contemporânea: tendências e perspectivas. In: MOROSINI, Marília Costa (Org.). A universidade no Brasil: concepções e modelos. Brasília: INEP, 2011, p. 23-35.

ROCHA, Cíntia Lins; VAIDERGORN, José. Processo de Bolonha: a criação de um espaço europeu de ensino superior e possíveis influências nas universidades brasileiras. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 5, n. 2, p.1-08, 2010. Disponível em: . Acesso em 18 mai 2017.

ROMÃO, José Eustáquio; LOSS, Adriana Salete. A universidade popular no Brasil. In: MACEDO, Eunice (Org.). Fazer educação, fazer política. Linguagem, resistência e ação. Porto: Legis, 2014, p. 37-61.

ROMÃO, Tatiana Alves. A inclusão da diversidade na educação superior: estudo exploratório da proposta político-pedagógica da Universidade Federal da Integração Latino-Americana. 2015. Dissertação - (Mestrado em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2015.

SADER, Emir. Perspectivas. Os porquês da desordem mundial. Rio de Janeiro: Record, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipação da Universidade. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Eduardo & SILVA, Maurício. Equidade e Igualdade na Reconfiguração da Educação Superior Brasileira - Governo FHC e Lula. Poiésis. Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, Vol. 6, No. 10, 2012. Disponível em: <http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/1319>. Acesso em 23 ago 2017.

SARAMAGO, José. Democracia e universidade. Belém/Lisboa: Edufpa/Fundação José Saramago, 2013.

SGUISSARDI, Valdemar. Universidade no Brasil: dos modelos clássicos aos modelos de ocasião?. In: MOROSINI, Marília Costa (Org.). A universidade no Brasil: concepções e modelos. Brasília: INEP, 2011, p. 275-289.

SIEGER, Ralf Hermes. O Processo de Bolonha e os novos espaços transnacionais de educação superior latino-americanos: a universidade brasileira em movimento. Cadernos PROLAM/USP - Brazilian Journal of Latin American Studies, São Paulo, Universidade de São Paulo, v.9, n.2, p.119-135, 2010. Disponível em: <http://www.usp.br/prolam/downloads/2010_2_7.pdf>. Acesso em 20 maio 2017.

SILVA, Adailton et al. Entre o racismo e a desigualdade: da construção à promoção de uma política de igualdade racial (1988-2008). In: JACCOUD, Luciana (Org.). A construção de uma política de promoção da igualdade racial: uma análise dos últimos 20 anos. Brasília: IPEA, 2009, p. 19-92.

SILVA, Cidinha da. Definições de metodologias para seleção de pessoas negras em programas de ação afirmativa em educação. In: SILVA, Cidinha da (Org.). Ações afirmativas em educação: experiências brasileiras. São Paulo: Summus, 2003, p. 39-61.

SILVA, Maria Lúcia da. Memória dos professores negros da UNILAB: tecendo saberes e práxis. 2016. Tese - (Doutorado em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2016.

TAVARES, Manuel. A universidade e a pluralidade epistemológica: a construção do conhecimento em função de outros paradigmas epistemológicos não ocidentocêntricos. Revista Lusófona de Educação, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa, n. 24: 49-74, 2013.

VIEIRA, Sofia Lerche. A democratização da universidade e a socialização do conhecimento. In: FÁVERO, Maria de Lourdes (Org.). A universidade em questão. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989, p. 11-26.

Publicado
2018-01-09
Como Citar
Silva, M. (2018). Universidade popular no Brasil e relações étnico-raciais: o caso da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). Revista Internacional De Educação Superior, 4(1), 112-129. https://doi.org/10.22348/riesup.v4i1.8650726

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)