Mudanças e continuidades dos marcos legais do curso de pedagogia no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8652576

Palavras-chave:

Currículo, Curso de Pedagogia, Formação de professores

Resumo

Objetiva-se na presente pesquisa analisar os quatro marcos legais do curso de Pedagogia no Brasil, no que se refere as mudanças e continuidades acerca dos currículos para a formação de professores. Apresenta-se como questão central de pesquisa: Para atingir a proposta aqui elucidada, propusemo-nos a responder ao seguinte questionamento: Que elementos de continuidade e de mudança estão expressos nos quatro marcos legais do curso de Pedagogia no Brasil? É uma pesquisa de abordagem qualitativa, com desenvolvimento de análise documental da legislação do curso de Pedagogia, por meio da técnica a análise de conteúdo para a obtenção/elaboração das análises propostas. Os autores basilares dessa pesquisa são Bissolli da Silva (2010) e Scheibe (2003). Os resultados parciais mostraram os quatro marcos legais que constituíram os currículos dos cursos de Pedagogia ao longo de sua constituição histórica, são: 1) Decreto-lei nº 1190/1939; 2) Parecer nº 251/62; 3) Parecer nº 252/69; e Resolução CFE nº 2/69; e 4) Parecer CNE/CP nº 5/2005; e Resolução CNE/CP nº 1/2006. Constatou-se que os quatro marcos legais apresentam elementos de mudança e continuidade que influenciaram diretamente a constituição histórica dos currículos de formação de professores no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Graziele Brandt, Instituto Federal Catarinense

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina. Professora da área de Pedagogia do Instituto Federal Catarinense.

Márcia de Souza Hobold, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora do Departamento de Metodologia de Ensino da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, 2009.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto, 1994.

BRASIL. Decreto-Lei nº 1.190, de 4 de abril de 1939. Organização da Faculdade Nacional de Filosofia. Diário Oficial União: seção 1, Brasília, DF, p. 7929. 6 mar. 1939.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial União: seção 1, Brasília, DF, p. 11429, 27 dez. 1961.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial União: seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 27 dez. 1996.

BISSOLLI DA SILVA, Carmem. Curso de pedagogia no Brasil: história e identidade. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

BRZEZINSKI, Iria. Pedagogia, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas, SP: Papirus, 2010.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO – CFE (Brasil). Parecer nº 251/1962. Currículo mínimo e duração do Curso de Pedagogia. Relator: Valnir Chagas. Documenta, Brasília, DF, nº 11, p. 59-65, 1963a.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO – CFE (Brasil). Resolução nº 62/1962. Fixa o currículo mínimo e a duração do Curso de Pedagogia. Documenta, Brasília, DF, nº 11, 1963b.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO – CFE (Brasil). Parecer nº 252/1969. Estudos pedagógicos superiores. Mínimos de conteúdos e duração para o curso de graduação em pedagogia. Relator Valnir Chagas. Documenta, Brasília, DF, nº 100, p. 101-179, 1969a.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO – CFE (Brasil). Resolução nº 2, de 11 de abril de 1969. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a serem observados na organização do Curso de Pedagogia. Documenta, Brasília, DF, nº 100, p. 113-117, 1969b.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – CNE (Brasil). Resolução nº 1, de 15 de maio de 2006. Diretrizes Curriculares da Pedagogia. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 11, 16 maio 2006.

CRUZ, Giseli Barreto da; AROSA, Armando de Castro de Cerqueira. A formação do pedagogo docente no Curso de Pedagogia. Revista Educação e Cultura Contemporânea, [S.l], v. 11, n. 26, p. 30-68, 2014. Disponível em: https://goo.gl/nhapa9. Acesso em: 10 ago. 2018.

CUNHA, Maria Isabel. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 3, p. 609-626, jul./set. 2013. Disponível em: https://goo.gl/mVny8q. Acesso em 5 fev. 2017.

DURLI, Zenilde. O processo de construção das diretrizes curriculares nacionais para o Curso de Pedagogia: concepções em disputa. 2007. 226 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

EVANGELISTA, Olinda; TRICHES, Jocemara. Curso de Pedagogia, Organizações Multilaterais e o superprofessor. Educar em Revista, Curitiba, n. 45, p. 185-198, jul/set. 2012. Disponível em: https://goo.gl/Td3wd8. Acesso em: 20 set. 2018.

FRANCO, Maria Laura P. B. Análise de conteúdo. 3. ed. Brasília: Líber Livro, 2008.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A (nova) Política de Formação de Professores: a prioridade postergada. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, ed. especial, p. 1203-1230, out. 2007. Disponível em: https://goo.gl/ETSA25. Acesso em: 20 set. 2018.

GATTI, Bernadete Angelina; ANDRÉ, Marli. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em educação no Brasil. In: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle (org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em Educação: teoria e prática. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 29-38.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e Pedagogos, para quê? 10. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

LIMONTA, Sandra Valéria. Currículo e formação de professores: um estudo da proposta curricular do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Goiás. 2009. 332f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Goiá, Goiânia, 2009.

MAUÉS, Olgaíses Cabral. A política da OCDE para a educação e a formação docente. A nova regulação? Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 1, p. 75-85, jan./abr., 2011. Disponível em: https://goo.gl/WBrrSG. Acesso em: 20 set. 2018.

MOREIRA, Adriana Longoni. As Diretrizes Curriculares Nacionais na prática de um curso de Pedagogia: estudo de caso na Faculdade de Educação da UFRGS/ Porto Alegre – RS. 2009. 199f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

NÓVOA, Antônio. O processo histórico de profissionalização do professorado. In: NÓVOA, Antônio (Org.) Profissão professor. 2. ed. Porto, Portugal: Porto, 1995. p. 13-33.

PIMENTA, Selma Garrido et al. Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 15-30, mar. 2017. Disponível: https://goo.gl/YjLp41. Acesso em: 24 maio 2018

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 130, p. 99-134, jan./abr. 2007. Disponível em: https://goo.gl/GJXWSZ. Acesso em: 17 set. 2017.

SAVIANI, Dermeval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. 2. ed. Campinas (SP): Autores Associados, 2012. (Col. Memória da Educação).

SCHEIBE, Leda. Formação de professores e pedagogos na perspectiva da LDB. In: BARBOSA, Raquel Lazzari Leite (org.). Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Unesp, 2003. p. 171-183.

SCHEIBE, Leda. Diretrizes curriculares para o curso de Pedagogia: trajetória longa e inconclusa. Cadernos de Pesquisa, [S.l], v. 37, n. 130, p. 43-62, 2007. Disponível em: https://goo.gl/WiuWmb. Acesso em: 20 set. 2017.

SCHEIBE, Leda; DURLI, Zenilde. Curso de Pedagogia no Brasil: olhando o passado, compreendendo o presente. Educação em Foco, Minas Gerais, v. 14, n. 17, p. 79-109, jul. 2011. Disponível em: https://goo.gl/xGMvZh. Acesso em: 19 jan. 2017.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Cientifico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SCHINEIDER, Suzana. Pedagogia: uma oração subordinada. 2015. 186 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

THIESEN, Juares. Trajetórias da formação: movimentos de reformulação do currículo da Pedagogia da UFSC. EntreVer – Revista das Licenciaturas, v. 2, n. 3, p. 170-183, jul./dez. 2012. Disponível em: https://goo.gl/gGTzzX. Acesso em: 20 jan. 2015.

TRICHES, Jocemara. A internalização da agenda do capital em cursos de pedagogia de universidade federais (2006-2015). 2016. 400 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

VIEIRA, Suzane da Rocha. A trajetória do Curso de Pedagogia - de 1939 a 2006. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1. SEMANA DE PEDAGOGIA, 20. Cascavel/PR, 11-13 nov. 2008. Anais eletrônicos [...] Cascavel: Unioeste, 2008. v. 1. p. 1-16. Disponível em: https://goo.gl/6wfEuH. Acesso em: 12 jan. 2015.

Publicado

2019-01-15

Como Citar

BRANDT, A. G.; HOBOLD, M. de S. Mudanças e continuidades dos marcos legais do curso de pedagogia no Brasil. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 5, p. e019027, 2019. DOI: 10.20396/riesup.v5i0.8652576. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8652576. Acesso em: 22 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos