Análise da internacionalização da educação superior entre países emergentes

estudo de caso do Brasil com os demais países membros dos BRICS

Palavras-chave: Internacionalização da educação, Internacionalização universitária, Países emergentes, BRICS.

Resumo

No mundo globalizado, a educação ultrapassa as fronteiras geopolíticas e traz um desafio para os países e instituições de ensino superior: é preciso internacionalizar-se para sobreviver. Neste contexto, internacionalização universitária é entendida como políticas voltadas para as áreas de conhecimentos científicas e tecnológicas estabelecidas entre os países e as instituições de ensino superior. O objetivo geral deste trabalho consiste em analisar o processo de internacionalização universitária do Brasil com os demais países membros dos BRICS – Rússia, Índia, China e África do Sul – comparando as políticas adotadas durante o período de governo de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e Dilma Rousseff (2011-2016).  A metodologia utilizada consistiu em uma abordagem comparativa e qualitativa tendo como base a análise de conteúdo dos pronunciamentos oficiais dos presidentes brasileiros e entrevistas com expoentes da área tanto do Brasil quanto dos países membros dos BRICS. Como resultados identificaram-se discrepâncias entre visões e ações de internacionalização universitária, apesar da sequência partidária no governo. A conclusão do trabalho aponta para as diferenças entre os dois governos de um mesmo partido em relação ao tema da internacionalização universitária, indicando que não é suficiente a presença de um mesmo partido no governo para a criação de uma política de Estado. Para solucionar o dilema entre uma política de Estado e de governo e inserir-se estrategicamente no cenário internacional, o Brasil precisaria que a sua elite política transcendesse as rivalidades conjunturais e elegesse a educação e o nível de criação de conhecimentos como moedas não intercambiáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Cristina Dal Piva Moreira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Estudos Estratégicos Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em Administração pela Universidade Federal do Paraná.

Sonia Maria Ranincheski, Universidade de Brasília

Mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado pela Universidade de Brasília. Professora Adjunta III no Centro de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade de Brasília.

Referências

ÁFRICA DO SUL.________. Council on Higher Education - CHE. Disponível em: http://www.che.ac.za. Acesso em: 06 ago 2017.

ALTBACH, P.G.; BASSETT, R.M. Nix de BRICS – at least for Higher Education Scholarship. Change. September/October 2014

ALTBACH, P.G.; KNIGHT, J. The internationalization of higher education: motivations and realities. Journal of studies in international education, v. 11, n. 3-4, p. 290-305, 2007.

BARTELL, M. Internationalization of universities: A university culture-based framework. Higher Education. Manitoba, Winnipeg, 2003, p. 37-52.

BRASIL. Agência Brasileira de Cooperação – ABC. Disponível em: http:www.abc.gov.br. Acesso em: 30 jun 2017.

BRASIL. Ciência sem Fronteiras – CsF. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br. Acesso em: 24 jul 2017.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes. Disponível em: http://www.capes.gov.br. Acesso em: 20 jun 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. Disponível em: HTTP://www.cnpq.br. Acesso em: 22 jun 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Disponível em: http://www.inep.gov.br. Acesso em: 22 jun 2017.

BRASIL. Instituto de Pesquisas Economicas Aplicada - IPEA. Disponível em . Acesso em: 28 Jun 2017.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 10 jul 2017.

CELANO, A.C.; GUEDES, A.L. Impactos da globalização no processo de internacionalização dos programas de educação em gestão. Cadernos EBAPE.BR, v. 12, n. 1, p. 45-61, 2014.

CERVO; LESSA, A. C. O declínio: inserção internacional do Brasil (2011– 2014). Rev. Bras. Polít. Int., v. 57, n. 2, p. 133-151, 2014.

CHINA. Ministry of Education of the People´s Republic of China – MOE. Disponível em: http://en.moe.gov.cn. Acesso em: 02 Jul 2017

CRESWELL, J.W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ESCOBAR, H. Universidades brasileiras devem promover internacionalização, valorizar mérito, flexibilizar regras e reduzir burocracia se quiserem chegar à elite do ensino superior. Ensino Superior Unicamp, São Paulo, 17 out. 2013.

GACEL-ÁVILA, J. La internacionalización de la educación superior: paradigma para la ciudadanía global. Guadalajara: Universidade de Guadalajara, 2003.

GODOY, A.S. Estudo de caso qualitativo. In.: GODOI, C.K. et al. Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais. São Paulo: Saraiva, 2006.

GORNÉS, L. N. Por qué Cooperación Acadêmica? In: Cooperación Acadêmica. Vol. I, n.1, abril, 2001.

HAWAWINI, G. The internationalization of higher education institutions: a critical review and a radical proposal. INSEAD Working Artigos Collection, Issue 112, p. 1-47, 2011.

INDIA. All India Survey on Higher Education – AISHE. Disponível em: http://www.aishe.nic.in. Acesso em: 13 jun 2017

KNIGHT, J. Internationalization remodeled: definition, approaches and rationales. Journal of Studies in International Education, v. 8, n. 1, p. 5-31, 2004.

MARTINS, G.A.; THEÓPHILO, C.R. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

MORCHE, B. A expansão do sistema de educação superior no Brasil, na China e na Índia: uma análise comparada. Dissertação. UFRGS, 2013.

MOROSINI, M. C. Estado do Conhecimento sobre internacionalização da educação superior – conceitos e práticas. Curitiba: Educar, n.28, p-107-124, Editora UFPR, 2006.

PUTNAM, R. D. Diplomacy and Domestic Politics: The Logic of Two-Level Games. International Organization. Vol. 42, No. 3. Summer, 1988. pp. 427-460.

RUSSIA. National Information Centre on Academic Recognition and Mobility – ENIC. Disponível em: http://www.russianenic.ru/english/. Acesso em: 21 mai 2017

SEBASTIÁN, J. Cooperação e Internacionalização das Universidades. Argentina: Editorial Biblos, 2004.

STALLIVIERI, L. Estratégias de Internacionalização das Universidades brasileiras. Caxias do Sul: Educs, 2004.

STUENKEL, O. BRICS e o futuro da ordem global. Paz e terra, 2017.

TROW, M. Reflections on the transition from mass to universal higher education. Daedalus, v. 99, n. 1, p. 1-42, 1970.

UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. BRICS: Construir a educação para o futuro. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002296/229602por.pdf. Acesso em Nov 2015.

UNESCO - Institute for Statistics. Global Flow of Tertiary- Level Students 2014. Disponível em: http://uis.unesco.org/en/uis-student-flow. Acesso em 10 mar 2017.

VIGEVANI, T.; CEPALUNI, G. A política externa de Lula da Silva: a estratégia da autonomia pela diversificação. Contexto Internacional, v. 29, n. 2, p. 273-335, 2007.

WIT, H. Internationalization of Higher Education in the United States of America and Europe: a historical, comparative and conceptual analysis. Greenwood Studies in Higher Education. Wesport: Greenwood Press, 2002.

WIT, H.; JARAMILLO, I.C.; GACEL-ÁVILA, J.; KNIGHT, J. (editors). Higher Education in Latin America: The international dimension. The World Bank: 2005.

VISENTINI, P.; ADAM, G.; VIEIRA, M.; SILVA, A; PEREIRA, A. BRICS: as potências emergentes China, Rússia, Índia, Brasil e África do Sul. Petrópolis - RJ: Editora Vozes, 2013.

WORLD BANK. Disponível em: http://databank.worldbank.org/data/home.aspx. Acesso em 17 de julho de 2017.

Publicado
2019-05-01
Como Citar
Moreira, L. C. D. P., & Ranincheski, S. M. (2019). Análise da internacionalização da educação superior entre países emergentes. Revista Internacional De Educação Superior, 5, e019001. https://doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8652804
Seção
Artigos