As contribuições das Diretrizes Curriculares Nacionais de 2001 aos projetos político-pedagógicos dos cursos de Medicina do Brasil

Palavras-chave: Diretrizes nacionais curriculares, Educação médica, Formação médica, Projeto político-pedagógico, Reforma curricular

Resumo

Ao longo dos últimos anos, as Diretrizes Curriculares Nacionais de 2001 (DCN2001) atuaram como critério para o remodelamento dos projetos político-pedagógicos (PPP) dos cursos de medicina espalhados pelo Brasil. Naquele momento, as propostas contidas naquele documento demonstraram a preocupação com a formação de profissionais de saúde voltados ao novo modelo de sistema de saúde recém implantado. O estudo volta-se à educação médica, ao estudar o caso do PPP do curso de Medicina da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, no campus de Francisco Beltrão (PPPMFB) e correlacioná-lo com as DCN2001. O objetivo é evidenciar a forma como o PPPMFB foi constituído a partir dos elementos integrantes de uma nova educação médica sugeridos pelas DCN2001. Como resultados são apresentados, em primeiro lugar, as bases que sustentam as propostas das DCN2001 quanto ao perfil do profissional a ser formado, chamadas de referências “filosófico-conceituais”; e quanto à organização curricular e metodologias de ensino e aprendizagem, chamadas de referências “metodológicas”. Em seguida, são demonstrados os pontos de tangência entre o PPPMFB e as DCN2001. Conclui-se que o texto do PPPMFB mantém uma relação de intensa semelhança com a resolução das DCN2001.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diogo Hiroshi Beçon Kussakawa, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Professor do curso de Medicina da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Clesio Acilino Antonio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Ângela Maria Silveira Portelinha, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior. Parecer n° 583/2001. Orientação para as diretrizes curriculares dos cursos de graduação. Brasília, 04 abr. 2001a.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES nº 1.133/2001, de 07 de agosto de 2001b.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Medicina. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº 4, de 07 de novembro de 2001c.

BRASIL. Ministério da Saúde/Ministério da Educação. Projeto de incentivo a mudanças curriculares em cursos de medicina - PROMED. Brasília, 2001d. [online]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/inc.pdf. Acesso em: 02 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde/Ministério da Educação. Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRO-SAÚDE. Brasília, 2007. [online]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/inc.pdf. Acesso em: 02 jul. 2017.

BRASIL. Portaria Interministerial nº 421, de 03 de março de 2010. Institui o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET Saúde) e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 05 mar. 2010. Seção 1, n. 43, p. 52.

BRIANI, Maria Cristina. História e construção social do currículo na educação médica: a trajetória do curso de medicina da faculdade de ciências médicas da Unicamp. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

CAVALHEIRO, José da Rocha; MARQUES, Maria Cristina Costa; MOTA, André. A construção da saúde pública no Brasil no século XX. In: ROCHA, A. A.; CESAR, C. L. G. (Org.). Saúde pública: bases conceituais. São Paulo: Atheneu, 2008. p. 1-14.

EDLER, Flávio Coelho; FONSECA, Maria Rachel Froés. Saber erudito e saber popular na medicina colonial. Cadernos da ABEM, Rio de Janeiro, v. 2, p. 8-9, 2006a.

GOUNET, Thomas. Fordismo e toyotismo na civilização do automóvel. São Paulo: Boitempo, 1992.

KRAMER, Sonia. Propostas pedagógicas ou curriculares: subsídios para uma leitura crítica. Educação & Sociedade, Campinas, ano XVIII, n. 60, dez., p. 15-35, 1997.

KUSSAKAWA, Diogo Hiroshi Beçon; ANTONIO, Clesio. Acilino. Os eixos estruturantes das Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de medicina no Brasil. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, p. 165-184, jan./jul. 2017.

LAMPERT, Jadete Barbosa. Currículo de graduação e o contexto da formação do médico. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 7-19, 2001.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução: Bernardo Leitão [et al.]. 4ª ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996 (Coleção Repertórios).

RAMOS, Marise Nogueira. A educação profissional pela pedagogia das competências e a superfície dos documentos oficiais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 401-422, set. 2002.

SANTOS, Jair Lício Ferreira; WESTPHAL, Marcia Faria. Práticas emergentes de um novo paradigma de saúde: o papel da universidade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 13, n. 5, p. 71-88, 1999.

TEIXEIRA, Luiz Antonio; EDLER, Flávio Ceolho. História e cultura da medicina no Brasil. São Paulo: Aori, 2012.

UNIOESTE. Parecer n° 075/2010. Carta consulta para o curso de Medicina. Francisco Beltrão, Conselho de Campus de Francisco Beltrão - CCFB, 29 set. 2010.

UNIOESTE. Projeto político-pedagógico do curso de Medicina da Universidade do Oeste do Paraná - Campus Francisco Beltrão. Francisco Beltrão: Unioeste, 2013.

UNIOESTE. Resolução n° 092/2016, de 30 de junho de 2016. Aprova o regulamento para criação de cursos de graduação e expansão de vagas na Unioeste. Cascavel, Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, 30 de junho de 2016b.

Publicado
2019-01-11
Como Citar
Kussakawa, D. H. B., Antonio, C. A., & Portelinha, Ângela M. S. (2019). As contribuições das Diretrizes Curriculares Nacionais de 2001 aos projetos político-pedagógicos dos cursos de Medicina do Brasil. Revista Internacional De Educação Superior, 5, e019012. https://doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8653495
Seção
Artigos