Percursos acadêmicos de estudantes cotistas

um estudo de caso a luz de equidade, raça e paridade participativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8654940

Palavras-chave:

Educação superior, Sistema de cotas, Estudantes.

Resumo

O trabalho investiga trajetórias de estudantes cotistas em uma Universidade Federal e busca analisar as razões para diferentes percursos acadêmicos. A metodologia do estudo é a análise de caso, com o uso de survey com três grupos de estudantes: evadidos, retidos e graduados. Os resultados são debatidos a luz dos conceitos de equidade de Rawls, de raça de Guimarães e de paridade participativa de Fraser. Variáveis materiais e sociais concorrem para explicar os diferentes percursos. A falta de tempo para estudar é apontada como decisiva por estudantes com dificuldades em seus percursos. O apoio familiar e o trabalho são determinantes para o êxito acadêmico. Gênero e raça são variáveis influentes no que tange ao sucesso e ao fracasso acadêmico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gregório Durlo Grisa, Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Pós-Doutor em Sociologia e Doutor em Educação ambos pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul.

     

Clarissa Eckert Baeta Neves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Sociologia pela Universidade de Münster-Alemanha. Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

             

Leandro Raizer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-Doutor pela University of Oxford e Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Departamento de Ensino e Currículo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

                             

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira. (org.). Ensino superior: expansão e democratização. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014.

BAUER, Martin; AARTS, Bas. A construção do corpus: um princípio para a coleta de dados qualitativos. In: BAUER, Martin; GASKEL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Difel, 1989.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, 1996a.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996b.

CAREGNATO, Celia Elizabete et al. New Audiences and New Educational Stratifications in Brazilian Higher Education in the 21st Century. In: AISHE-J: The All Ireland Journal of Teaching and Learning in Higher Education, v. 10, p. 350.1-350.13, 2018.

DWORKIN, Ronald. Uma questão de princípio. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça na era pós-socialista. Cadernos de campo, São Paulo, n. 14/15, p. 231-239, 2006.

FRASER, Nancy. Reconhecimento sem ética? Lua Nova, São Paulo, 70: 213-222, 2007.

FERES JÚNIOR, João; CAMPOS, Luiz Augusto. Ação afirmativa, comunitarismo e multiculturalismo: relações necessárias ou contingentes? Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 29, p. 103-206, 2014.

GRISA, Gregório Durlo. As ações afirmativas na UFRGS: uma análise do processo de implantação. Porto Alegre, 2010. 96 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação. Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto alegre, 2010.

GRISA, Gregório Durlo. As ações afirmativas na UFRGS: racismo, excelência acadêmica e cultura do reconhecimento. Porto Alegre, 2015. 220 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação. Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2015.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo, Ed. 34, 1999.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Classes, raças e democracia. São Paulo: Ed. 34, 2002.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Sociologia e natureza: classes, raças e sexos. Document de travail du Mage, v. 18, p. 209-228, 2014.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009.

HERINGER, Rosana. Affirmative Action and the Expansion of Higher Education in Brazil. In: HERINGER, Rosana; JOHNSON, Ollie. (org.). Race, politics and education in Brazil: affirmative action in higher education. New York: Palgrave Macmillan, 2015a, p. 111-132.

HERINGER, Rosana. (org.) Democratização da Educação Superior no Brasil: Novas Dinâmicas, Dilemas e Aprendizados. Cadernos do GEA, Rio de Janeiro, FLACSO, v. 7, p. 1-68, jan. /jun. 2015b.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Trad. de Luiz Repa. São Paulo: Ed. 34, 2003.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2016-2017.

LIMA, Franciele Santos de; ZAGO, Nadir. Desafios conceituais e tendências da evasão no ensino superior: a realidade de uma universidade comunitária. Revista Internacional de Educação Superior, v. 4, n. 2, p. 366-386, 2 abr. 2018.

MARTINS, Francini. Trajetórias de cotistas de cursos de prestígio social e profissional na Universidade Federal de Santa Catarina. In: REUNIÃO CIENTÍFICA REGIONAL DA ANPED: ANPED SUL, 11., 2016, Curitiba. Trabalhos apresentados GT20: Sociologia da Educação. Curitiba: ANPEd, 2016.

MCCOWAN, Tristan. Expansion without equity: An analysis of current policy on access to higher education in Brazil. Higher Education: The International Journal of Higher Education Research, Volume 53, Issue 5, p.579-598, May 2007.

MONTAGNER, Miguel Ângelo. Trajetórias e biografias: notas para uma análise bourdieusiana. Sociologias, Porto Alegre, ano 9, n. 17, p. 240-264, jan. /jun. 2007.

NEVES, Clarissa Eckert Baeta. Trajetórias escolares, famílias e políticas de inclusão social no ensino superior brasileiro. In: ROMANELLI, Geraldo; NOGUEIRA, Maria Alice; ZAGO, Nadir. (org.). Família & escola: novas perspectivas de analise? Petrópolis, Rio de Janeiro, Editora Vozes, 2013, P. 278-311.

NEVES, Clarissa Eckert Baeta. Enseñanza Superior en Brasil y las políticas de inclusión social. Páginas de Educación, Montevideo, Departamento de Educación de la Universidad Católica del Uruguay. v. 7, p. 299-320, jul./dic. 2014.

NEVES, Clarissa Eckert Baeta; ANHAIA, Bruna. Políticas de Inclusão Social no ensino superior no Brasil: políticas de redistribuição de oportunidades? Reflexões a partir das experiências em IES do Rio Grande do Sul. In: BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira. (org.). Ensino Superior: expansão e democratização. Rio de janeiro: 7 Letras. 2014, P. 371-401.

RAWLS, John. Uma teoria da justiça. Brasília: Universidade de Brasília, 1981.

RAWLS, John. O liberalismo político. 2. ed. São Paulo: Editora Ática, 2000.

RAWLS, John. Justiça e democracia. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SAMPAIO, Helena. Privatização do ensino superior no Brasil: Velhas e novas questões. In: SCHWARTZMAN, Simon. (org.). A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: Ed. Unicamp. 2014, p. 139-192.

TAYLOR, Charles. Argumentos filosóficos. São Paulo, Loyola, 2000.

TROW, Martin. Reflections on the Transition from Elite to Mass to Universal Access: Forms and Phases of Higher Education in Modern Societies since WWII. Scholarship Repository, University of California, 2005. Disponível em: https://escholarship.org/uc/item/96p3s213. Acesso em: 7 out. 2019.

UNESCO. Conferencia Mundial sobre la Educación Superior 2009: la nueva dinámica de la educación superior y la investigación para el cambio social y el desarrollo. Paris: Unesco, 2009. Disponível em: http://www.unesco.org/education/WCHE2009/comunicado_es.pdf. Acesso em: 30 mai. 2014.

UNESCO. Declaración Mundial sobre la Educación Superior en el Siglo XXI: visión y acción. Paris: Unesco, 1998.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Relatório anual do Programa de Ações Afirmativas 2016. Coordenadoria de Acompanhamento do Programa de Ações Afirmativas, 81 p. 2016. Disponível em: http://www.ufrgs.br/acoesafirmativas/relatorio/relatorio-2016/view. Acesso em: 7 out. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS em número. Dados atualizados em março de 2019. Disponível em: https://www1.ufrgs.br/paineldedados/ufrgs_numeros.html. Acesso em: 7 out. 2019.

VELLOSO, Jacques; CARDOSO, Claudete Batista. Evasão da educação superior: alunos cotistas e não-cotistas na Universidade de Brasília. In: REUNIÃO CIENTÍFICA REGIONAL DA ANPED, 31., 2008. Trabalhos apresentados GT-11: Política da Educação Superior. [s.l.]: [s.n.], 2008.

Publicado

2019-10-28

Como Citar

GRISA, G. D.; NEVES, C. E. B.; RAIZER, L. Percursos acadêmicos de estudantes cotistas : um estudo de caso a luz de equidade, raça e paridade participativa. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 6, p. e020026, 2019. DOI: 10.20396/riesup.v6i0.8654940. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8654940. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos