A organização do trabalho pedagógico no Instituto Federal e as implicações para o trabalho docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8655481

Palavras-chave:

Educação superior, Organização de instituição de ensino, Formação de professores.

Resumo

Este artigo é resultado da pesquisa de mestrado cuja temática foca a organização do trabalho pedagógico (OTP) do Instituto Federal do Paraná (IFPR) e teve como objeto o trabalho docente, especificamente no referente às implicações da OTP. O objetivo é analisar as implicações da OTP para o trabalho docente e formação no IFPR – Campus Palmas, na região sudoeste do estado do Paraná. A metodologia baseia-se em pesquisa bibliográfica com análise de documentos, legislações de dados gerados via questionários, respondidos por 24 docentes da instituição, que se adequaram aos critérios estabelecidos pela investigação. Nas análises, destaca-se a categoria verticalização do ensino como a principal implicação para o trabalho docente e formação, uma vez que essa forma de organização do ensino requer a atuação nos distintos níveis da educação – básica e superior. Contudo, ao mesmo tempo que a verticalização é apontada como uma implicação para o trabalho docente, é também considerada uma oportunidade de aprendizado para esse docente, visto que alternar entre os níveis da educação exige um constante desenvolvimento e disto emergem as necessidades formativas. As discussões revelam contradições no que tange à OTP, ao trabalho docente e à formação para atuar na Educação Profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Peratz, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestranda em Educação. Professora no Instituto Federal do Paraná - Campus Avançado Barracão.

                   

Angela Maria Silveira Portelinha, Universidades Estadual do Oeste do Paraná

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora adjunta da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

                   

Referências

ASSOCIAÇÃO NACIONAL PELA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO (ANFOPE). Documento Final do IX Encontro Nacional. Campinas: 1998.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL PELA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO (ANFOPE). Documento Final do XIX Encontro Nacional da ANFOPE: Políticas de Formação e Valorização dos Profissionais da Educação: (Contra) Reformas e Resistências. Niterói: 2018.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2009.

AZZI, Sandra. Trabalho docente: autonomia didática e construção do saber pedagógico. São Paulo: 1994.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN 9394/96). Brasília: Câmara dos Deputados, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 4 abr. 2018.

BRASIL. Lei n.o 11.892 de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 22 maio 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Ministério da Educação – SETEC/MEC. Chamada Pública Mec/Setec n.º 002/2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/chamada_publica_ifet.pdf. Acesso: 29 jan. 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Ministério da Educação e Cultura – SETEC/MEC. Dados sobre a Rede Federal de Educação Profissional. Disponível em: http://redefederal.mec.gov.br/expansão-da-rede-federal. Acesso em: 12 abr. 2017.

CHARLOT, Bernard. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 30 jul/dez. 2008.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2012.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. Formação de Professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 80, set./2002, p. 136-167. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 12 dez. 2018.

HOBOLD, Márcia de Souza. A constituição da profissionalidade docente: um estudo com professores de educação profissional. Itajaí-SC: UNIVALI, 2004.

Instituto Federal do Paraná: Plano de Desenvolvimento Institucional. 2014. Disponível em: http://reitoria.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2014/10/PDI-2014-2018-Vers%C3%A3o-Final-1.pdf. Acesso em: 26 jun. 2018.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Profissão de professor. In. SPAZZIANI, Maria de Lourdes. (Org.). Profissão de professor: cenários, tensões e perspectivas. São Paulo: Editora Unesp, 2016.

PACHECO, E. M. Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. In: PACHECO, E.M. (Org). In: Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. São Paulo/Brasília: Fundação Santillana/Moderna, 2011.

PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. 3. ed. São Paulo: Ática, 2000.

PORTELINHA, Ângela Maria Silveira; SBARDELOTTO, Vanice Schossler. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores (Res. 2/2015): Princípios e Concepções. In: Revista Temas e Matizes, Cascavel, v. 11, n. 21, pag. 39 -49, jul./dez. 2017.

QUEVEDO, Margarete de. Verticalização nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: Concepção(ões) e Desafios no IFRS. Caxias do Sul: UCS, 2016.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: Fundamentos ontológicos e históricos. In: Revista Brasileira de Educação, v. 12 n.34 jan./abr. 2007.

SAVIANI, Demerval. Gramsci e a educação no Brasil: para uma teoria gramsciana da educação e da escola. In. SCLESENER. Anita Helena et al. In: Filosofia, política e educação, Curitiba, UTP, 2014.

Publicado

2019-11-05

Como Citar

PERATZ, T.; PORTELINHA, A. M. S. A organização do trabalho pedagógico no Instituto Federal e as implicações para o trabalho docente. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 6, p. e020030, 2019. DOI: 10.20396/riesup.v6i0.8655481. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8655481. Acesso em: 24 nov. 2020.

Edição

Seção

Pesquisas