Entre “sobrevivências” e “descobertas"

a professora iniciante no ciclo da alfabetização

Palavras-chave: Inicio da docência, Alfabetização e letramento, Prática docente.

Resumo

Discutimos práticas de uma professora alfabetizadora em seus primeiros anos de docência a partir de suas “sobrevivências” e “descobertas” ao atuar no 2º ano do Ensino Fundamental. O objetivo da investigação reside em caracterizar elementos constitutivos da identidade profissional, bem como descrever os desafios da prática pedagógica. O referencial teórico contempla quesitos ligados à formação de professores, início da carreira e a prática de alfabetização na perspectiva do letramento A abordagem metodológica é de natureza qualitativa, de caráter descritivo-analítico, em que nos validamos de dados coletados com base na observação em sala de aula e em um roteiro de entrevista semiestruturado. Considerando os objetivos e fundamentos deste estudo, é possível afirmar que o cruzamento das informações coligidas possibilitou realizar uma análise a partir de como a professora organiza suas práticas e, ao mesmo tempo, vai se formando docente ao ensinar a ler e escrever. Os dados ainda revelaram que os primeiros anos de docência são fundamentais para a construção da identidade, sendo essencial muita dedicação e comprometimento para desenvolver suas habilidades no processo de alfabetização e se estabilizar na carreira. Além disso, no caso pesquisado, observou-se ainda que a professora constitui sua prática a partir de experiências das quais participou enquanto aluna da Educação Básica, o que dificulta o trabalho com a heterogeneidade em sala de aula, como também deixa marcas negativas em relação ao alfabetizar, uma vez que, ao que tudo indica, parece existir uma prática de que aprende-se a ler e escrever copiando as informações transmitidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Klinger Teodoro Ciríaco, Universidade Federal de São Carlos

Professor Adjunto do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas - DTPP, do Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH) na Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP. Docente Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Campo Grande-MS.

     
Adriana Correa da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Câmpus Naviraí.

         

Referências

ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia de. Concepções de alfabetização: o que ensinar no ciclo da alfabetização. In: BRASIL, Ministério da Educação. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Currículo na alfabetização: concepções e princípios. Unidade 1/ ano 1. Brasília: MEC, SEB, 2012.

ALVES, Alda Judith. A" revisão da bibliografia" em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis. Cadernos de Pesquisa, n. 81, p. 53-60, 2013.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. - Características da investigação qualitativa. In: BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Porto Editora, 1994. p.47- 51.

BRASIL. Ministério da Educação. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Alfabetização e Letramento: conceitos e relações. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

BRASIL, Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2007. 135 p. Disponivel em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/ensifund9anobasefinal.pdf. Acessado em: 08 out. 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. Pacto Nacional pela alfabetização na Idade Certa: Currículo na alfabetização: concepções e princípios. Ano 1: unidade 1, Secretaria de Educação básica, Diretoria de apoio à Gestão Educacional – Brasília: MEC, SEB, 2012. Disponivel em: http://pacto.mec.gov.b/images/pdf/Formacao/Ano_1_Unidade_1_MIOLO.pdf. Acessado em: 02, jul. 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. Pacto Nacional pela alfabetização na Idade Certa. A heterogeneidade em sala de aula e os direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetização: ano 2: unidade 07/ Secretaria de Educação básica, Diretoria de apoio à Gestão Educacional – Brasília: MEC, SEB, 2012. Disponivel em: http://pacto.mec.gov.br/images/pdf/Formacao/Ano_2_Unidade_7_MIOLO.pdf. Acessado em: 15, out. 2017.

BORBA, Ângela Meyer. O brincar como um modo de ser e estar no mundo. In: BRASIL, Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2007. 135 p.:il. Disponivel em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/ensifund9anobasefinal.pdf. Acessado em: 08, out. 2017.

CANDAU, Vera Maria (Coord.). Novos rumos da licenciatura. Brasília: INEP, 1987.

CIRÍACO, Klinger Teodoro; MORELATTI, Maria Raquel Miotto. M. Problemas experiências por professores iniciantes em aulas de matemática. Revista eletrônica de educação. v. 10, n. 3, p. 267280, 2016. Disponivel em:

www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/download/1719/526. Acessado em: 24, set. 2017.

CIRÍACO, Klinger Teodoro; MORELATTI, Maria Raquel Miotto. A pesquisa ação-colaborativa com professores iniciantes: perspectivas para o desenvolvimento profissional no processo de aprender a ensinar matemática. In: CONGRESSO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 2.; CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBRE FORMAÇÃO DE EDUCADORES, 12. 2014. Anais do... Disponivel em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/141805/ISSN2357-7819-2014-1841-1853.pdf?sequence=1. Acessado em: 29 nov. 2017.

CIRÍACO, Klinger Teodoro. Professoras iniciantes e o aprender a ensinar Matemática em um grupo colaborativo. 2016. 334 f. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – FCT, UNESP, Presidente Prudente, SP.

CUNHA, Maria Isabel da. O bom professor e sua prática. 24. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. Formação de professores: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte, MG. Autêntica. 2000.

FERREIRA, Andréa e LEAL, Telma. Avaliação na escola e ensino da Língua Portuguesa: introdução ao tema. In: MARCUSCHI, Beth; SUASSUNA, Lívia. Avaliação em língua portuguesa: contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

FERREIRA. Lúcia Gracia. Desenvolvimento profissional e carreira docente: diálogos sobre professores iniciantes. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 39, n.1, p. 79-89, Jan.-Mar., 2017. Disponivel em: www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/download/29143/18019. Acessado em: 29 nov. 2017.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, 2010. Disponivel em: http://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/16.pdf, Acessado em: 30 nov. 2017.

GATTI. Bernadete Angelina. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP, São Paulo. n. 100, p. 33-46, dez./jan./fev. 2013-2014. Disponivel em https://www.revistas.usp.br/revusp/article/viewFile/76164/79909 Acessado em: 29 nov. 2017.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Plageder, 2009.

GHEDIN, Evandro; ALMEIDA, Maria Isabel de; LEITE, Yoshie Ussami Ferrari. Formação de professores: caminhos e descaminhos da prática. Brasília: Líber Livro Editora, 2008.

GOULART, Cecília. A organização do trabalho pedagógico: alfabetização e letramento como eixos orientadores. In: BRASIL, Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade – Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GUARNIERI, Maria Regina. Aprendendo a ensinar: o caminho nada suave da docência. 2.ed. Campinas, SP: Autores associados; Araraquara, SP, 2005.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. Vidas de professores. Porto: Porto Ed., 1989. p. 31-61.

LEITE, Yoshie Ussami Ferrari. O lugar das práticas pedagógicas na formação inicial de professores. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas – São Paulo: EPU, 1986.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Ed., 1999.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Pesquisa sobre a formação de professores: o conhecimento sobre aprender a ensinar. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.9, set./dez. 1998. Disponivel em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE09/RBDE09_06_CARLOS_MARCELO.pdf. Acessado em: 30 jul. 2017.

MARQUES, Mário Osório. A reconstrução dos cursos de formação do profissional da educação. Em Aberto, Brasília, DF, n. 54, p. 7-18, 1992. Disponivel em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:uK0zZhOa5cYJ:rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/download/1844/1815+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br, Acessado em: 20 Fev. 2017.

NONO, Maévi Anabel. Professores iniciantes: o papel da escola em sua formação. Porto Alegre: Mediação. 2011.

NONO, Maévi Anabel; MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Processos de formação de professoras iniciantes. Revista brasileira de estudos pedagógicos, Brasília, v. 87, n. 217, p. 382-400, set./dez. 2006. Disponivel em: http://rbep.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/812/787, Acessado em: 08 out. 2017.

NÓVOA, Antônio. Vidas de professores. Porto, Portugal: Porto, 1989.

NÓVOA, Antônio. Formação docente e profissão docente. Disponivel em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4758/1/FPPD_A_Novoa.pdf. Acessado em: 08 out. 2017.

PICCOLI, Luciana. Práticas pedagógicas em alfabetização: espaço, tempo e corporeidade. Erechim: Edelbra, 2012.

SILVA, Rosane Aparecida Favoreto da. Educação Inclusiva e práticas pedagógicas no ciclo de alfabetização. In: BRASIL, Secretaria de Educação Básica. Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade: as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e o ciclo de alfabetização. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Caderno 01, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, 2015. p. 56-67.

SILVA, Ceris Salete Ribas. O processo de alfabetização no contexto do ensino fundamental de nove anos. In: RANGEL, Egon de Oliveira; ROJO, Roxane Helena Rodrigues (Org.). Língua Portuguesa: ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010.

SANTOS, Carmi Ferraz; MENDONÇA, Márcia. Alfabetização e letramento: conceitos e relações. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. 152p.

SOARES, Magda Becker. Alfabetização e letramento. São Paulo: Contexto, 2003.

SOARES, Magda Becker. Alfabetização e Letramento: caminhos e descaminhos. 2004. Disponivel em: https://acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/40142/1/01d16t07.pdf . Acessado em: 15 out. 2017.

SOARES, Magda Becker; BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Alfabetização e letramento: caderno do professor. Belo Horizonte: Ceale/FaE/UFMG, 2005.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

Publicado
2019-09-26
Como Citar
Ciríaco, K. T., & Silva, A. C. da. (2019). Entre “sobrevivências” e “descobertas" . Revista Internacional De Educação Superior, 6, e020017. https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8655561
Seção
Artigos de Pesquisas