Banner Portal
Formação de educadores do campo
Imagem: Universidade de Nápoles Federico II, fundada em 1224. - Google / Licença Creative Commons.
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Palavras-chave

Questões Indígenas
Decolonialidade
Educação do campo
Formação de educadores

Como Citar

ANDRADE, Francisca Marli Rodrigues de; NOGUEIRA, Letícia Pereira Mendes. Formação de educadores do campo : questões indígenas e decolonialidade. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 10, n. 00, p. e024010, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v10i00.8664685. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664685. Acesso em: 13 jul. 2024.

Resumo

Introdução: O projeto político da Educação do Campo visa, entre outras finalidades, contribuir com a formação de educadores engajados com as lutas dos povos indígenas e, portanto, desestabilizar o projeto colonizador, as práticas de genocídios e invasões de territórios. Objetivo: Com base nesses elementos, estabelecemos o seguinte objetivo de pesquisa: conhecer a representatividade indígena na matriz formativa da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo da UFF. Metodologia: Metodologicamente, adotamos a pesquisa qualitativa, exploratória, pautada na análise documental.  Resultados/Conclusão: Os resultados indicam que o curso desenvolve temas relacionados às histórias, lutas e culturas dos povos indígenas de forma articulada ao pensamento decolonial.

https://doi.org/10.20396/riesup.v10i00.8664685
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Referências

ACSELRAD, Henri. Disputas cognitivas e exercício da capacidade crítica: o caso dos conflitos ambientais no Brasil. Sociologias, Porto Alegre, v. 16, n.35, p. 84-105, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/soc/a/MPqVy7HmLgCNZCf85YyGQpf/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino. A atuação dos indígenas na História do Brasil: revisões historiográficas. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 37, n. 75, p.17-38, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/v37n75/1806-9347-rbh-2017v37n75-02.pdf. Acesso em: 17 nov. 2019.

ALENCAR, Maria Fernanda dos Santos. Educação do Campo e a formação de professores: construção de uma política educacional para o campo brasileiro. Revista Ciência & Trópico, Recife, v. 34, n. 2, p. 207-226, 2010. Disponível em: https://periodicos.fundaj.gov.br/CIC/article/view/868/0. Acesso em: 17 nov. 2019.

ALVES, Francisco Cordeiro. Diário: contributo para o desenvolvimento profissional dos professores e estudo dos seus dilemas. Millenium: Revista do ISPV, Instituto Politécnico de Viseu, n. 29, p. 222-239, 2004. Disponível em: http://www.ipv.pt/millenium/Millenium29/30.pdf. Acesso: 17 nov. 2019.

ANDRADE, Francisca Marli Rodrigues. Natureza Amazônica e Educação Ambiental: identidades, saberes docentes e representações sociais. Revista Científica RUNAE, v. 01, p. 51-70, 2017.Disponível em: http://repositorio.unae.edu.ec/bitstream/56000/155/1/Texto.pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

ANDRADE, Francisca Marli Rodrigues. Natureza e representações que r-existem: cinco séculos de invasão, apropriação e violência na Amazônia brasileira. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 36, n. 2, p. 207-227, 2019. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/9039. Acesso em: 19 nov. 2019.

ARROYO, Miguel G. Políticas de formação de educadores(as) do campo. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 157-176, maio/ago. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v27n72/a04v2772.pdf. Acesso: 19 nov. 2019.

ARROYO, Miguel G. Formação de educadores do campo. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. P. 361-367. ISBN: 978-85-7743-193-9.

BANIWA, Gersem. Educação escolar indígena no século XXI: encantos e desencantos. Rio de Janeiro: Mórula, Laced, 2019. ISBN 978-85-65679-89-3.

BESSA-FREIRE, José Ribamar. Cinco ideias equivocadas sobre os índios. Revista Ensaios e Pesquisa em Educação, v. 01, n. 2, p. 3-23, 2016. Disponível em: https://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/2534828/mod_resource/content/1/Cinco%20ideias%20equivocadas%20sobre%20o%20indio%20.pdf. Acesso em: 19 nov. 2019.

BRASIL. Constituição Federal do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 29 set. 2019.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 11 jan. 2020.

BRASIL. Edital de convocação n. 3 de 24 de junho de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/PROLIND/edital_prolind2008.pdf. Acesso em: 19 nov. 2019.

BRASIL. Decreto nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a Política de Educação do Campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7352.htm. Acesso em: 19 nov. 2019.

BRASIL, Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Ensino Superior: e-MEC. Brasília, 2019. Disponível em: http://emec.mec.gov.br. Acesso em: 24 ago. 2019.

BRAZ, Jaqueline da Costa; SANTOS, Elaine Aparecida Galvão; ZUCOLOTTO, Marcela Pereira da Rosa; CARLESSO, Jenaína Pereira Pretto. Interdisciplinaridade, currículo e formação de professores no contexto da educação do campo. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, Mossoró, v. 4, n. 12, p. 714-723, 2018. Disponível em: http://periodicos.apps.uern.br/index.php/RECEI/issue/view/142. Acesso em: 24 fev. 2021.

CAIXETA, Maria Emília. Educação do campo e construção do conhecimento: tensões inevitáveis no trato com as diferenças. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 29 n. 01 p. 273-301, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edur/v29n1/a13v29n1.pdf. Acesso em: 16 nov. 2019.

CALDART, Roseli Salete. Educação do Campo: notas para uma análise de percurso. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 7 n. 1, p. 35-64, mar. /jun. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v7n1/03.pdf. Acesso em: 28 out.2019.

CALDART, Roseli Salete. Educação do campo. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. P. 259-267. ISBN: 978-85-7743-193-9.

CARNEIRO, Fernando Ferreira; BÚRIGO, André Campos; DIAS, Alexandre Pessoa. Saúde no Campo. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. P. 691-697. ISBN: 978-85-7743-193-9.

CARVALHO, José Jorge. Os Estudos Culturais como um movimento de inovação nas humanidades e nas ciências sociais. Cadernos da Escola de Comunicação, n. 04, p.1-17, 2006. Disponível em: http://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/cadernoscomunicacao/article/download/1947/1525. Acesso em: 19 nov. 2019.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. Prólogo – Giro decolonial, teoría crítica y pensamiento heterárquico. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (Org.). El giro decolonial: Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007. p. 9-23. ISBN: 978-958-665-096-0.

CIMI. CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO. A violência contra os povos indígenas no Brasil – Dados de 2018. Relatório 2018. Brasília, 2019. Disponível em: https://cimi.org.br/wp-content/uploads/2019/09/relatorio-violencia-contra-os-povos-indigenas-brasil-2018.pdf. Acesso em: 18 nov. 2019.

CURY, Luciana. Mato Grosso foi o 1º estado do País a formar professores indígenas. Governo de Mato Grosso, 19 de abril de 2016. Disponível em: http://www.mt.gov.br/-/3921841-mato-grosso-foi-o-1-estado-do-pais-a-formar-professores-indigenas. Acesso em: 18 nov. 2019.

GORETE-NETO, Maria. Línguas em conflito em cursos de licenciatura intercultural indígena. Trab. Ling. Aplic., Campinas, v. 57, n. 3, p. 1339-1363, set./dez. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tla/v57n3/0103-1813-tla-57-03-1339.pdf. Acesso em: 16 nov. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os indígenas no Censo Demográfico 2010: Primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/indigenas/indigena_censo2010.pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

ISA. ISNTITUTO SOCIOAMBIENTAL. ISA mostra Terras Indígenas mais afetadas por incêndios na Amazônia brasileira. 23 de agosto de 2019. Disponível em:

https://www.socioambiental.org/pt-br/noticias-socioambientais/isa-mostra-terras-indigenas-mais-afetadas-por-incendios-na-amazonia-brasileira. Acesso em: 29 set. 2019.

JIMÉNEZ, Carla. Assassinato de líder Guajajara abala comunidade indígena e Moro garante que PF vai investigar. El País Brasil, 4 de novembro de 2019. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2019/11/02/politica/1572726281_632337.html. Acesso em: 18 nov. 2019.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. ISBN 978-85-359-2620-0.

LANDER, Edgardo. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latino-Americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. P. 8-23. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/. Acesso em: 24 fev. 2021.

LINERA, Alvaro García. El odio al índio. Página 12, 17 de novembro de 2019. Disponível em: https://www.pagina12.com.ar/231456-el-odio-al-indio. Acesso em: 18 nov. 2019.

MAHER, Terezinha Machado. Formação de Professores Indígenas: uma discussão introdutória. In: GRUPIONI, Luís Donisete Benzi (Org.). Formação de professores indígenas: repensando trajetórias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2006. P. 11-37. ISBN: 85-296-0041-x.

MARACCI, Marilda Teles. Povos Indígenas. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. P. 600-612. ISBN: 978-85-7743-193-9.

MOLINA, Mônica Castagna. Contribuições das licenciaturas em Educação do Campo para as políticas de formação de educadores. Educação Social, Campinas, v. 38, n. 140, p. 587-609, jul./set. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/57t84SXdXkYfrCqhP6ZPNfh/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 24 fev. 2021.

MOLINA, Mônica Castagna; ANTUNES-ROCHA, Maria Isabel. Educação do campo: história, práticas e desafios no âmbito das políticas de formação de educadores – reflexões sobre o PRONERA e o Procampo. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, p. 220-253, jul./dez. 2014. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/viewFile/5252/3689. Acesso em: 18 nov. 2019.

NEVES, Lino João de Oliveira. Desconstrução da colonialidade: iniciativas indígenas na Amazônia. E-cadernos CES [Online], n. 02, 2008. Disponível em: https://journals.openedition.org/eces/1302. Acesso em: 17 nov. 2019.

PPC – Projeto Pedagógico de Curso da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo. UFF/INFES, 2018.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do Poder e Classificação Social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa, MENESES, Maria de Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina. SA, 2009. P. 73-117. ISBN 978-972-40-3738-7.

RANGEL, Lucia Helena; LIEBGOTT, Roberto Antônio. O governo Temer legitimou a violência contra os povos indígenas. In: Conselho Indigenista Missionário. Relatório Violência contra os povos indígenas no Brasil – Dados 2017. Brasília: CIMI, 2018, p. 15-19. Disponível em: https://cimi.org.br/wp-content/uploads/2018/09/Relatorio-violencia-contra-povos-indigenas_2017-Cimi.pdf. Acesso em: 17 nov. 2019.

RIBEIRO, Marlene. Movimento camponês, trabalho, educação: liberdade, autonomia, emancipação como princípios/fins da formação humana. São Paulo: Expressão Popular, 2010. ISBN-13 ‏ : ‎ 978-8577431373.

SILVA, Carlos Eduardo Mazzeto. Sustentabilidade. In: CALDART, Roseli Salete et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. P. 728-732. ISBN: 978-85-7743-193-9.

SILVA, KeydeTaisa; BICALHO, Poliene Soares dos Santos. Uma abordagem decolonial da história e da cultura indígena: entre silenciamentos e protagonismos. Crítica Cultural, Palhoça, SC, v. 13, n. 2, p. 245-254, jul./dez. 2018. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/Critica_Cultural/issue/view/301. Acesso em: 24 fev. 2021.

SILVEIRA, Denise Tolfo; CÓRDOVA, Fernanda Peixoto. A pesquisa científica. In: GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. P. 31-42. ISBN: 978-85-386-0071-8.

VICUÑA, Laura. Karipuna e a ameaça de um iminente genocídio. In: Conselho Indigenista Missionário. Relatório Violência contra os povos indígenas no Brasil – Dados 2018. Brasília: CIMI, 2019, p.16-18. Disponível em: https://cimi.org.br/wp-content/uploads/2019/09/relatorio-violencia-contra-os-povos-indigenas-brasil-2018.pdf. Acesso em: 18 nov. 2019.

WALSH, Catherine E. Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Abya Yala, 2013. ISBN: 978-9942-09-169-7.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Francisca Marli Rodrigues de Andrade, Letícia Pereira Mendes Nogueira

Downloads

Não há dados estatísticos.