Artigo sobre a produção científica brasileira envolvendo a gestão do conhecimento nas áreas da comunicação e informação é destaque no RDBCI

Artigo sobre a produção científica brasileira envolvendo a gestão do conhecimento nas áreas da comunicação e informação é destaque no RDBCI

Por Gildenir Carolino Santos

Isabela Doraci Cardoso Machado

O artigo “Produção científica brasileira: perfil de autoria em gestão do conhecimento na área de comunicação e informação” dos autores Fábio Corrêa, Jurema Suely de Araújo Nery Ribeiro, Elaine Drumond Pires e Silva e Fabrício Ziviani (Universidade FUMEC) foi publicado na última edição da RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação (v.15, n.3 – última edição de 2017), traz uma análise do perfil acadêmico nacional nas temáticas relacionadas à gestão do conhecimento e sua aplicação prática no âmbito organizacional e como aumentou o número de publicações nesta temática, que pode ser justificado, segundo os autores, pelo aumento de programas de pós-graduação, do número de mestres e doutores, exigências de manutenibilidade do pesquisador no campo acadêmico e as regras de avaliação da CAPES.  

A pesquisa teve abordagem quantitativa por meio do emprego da bibliometria e os resultados foram apresentados evidenciando as características de produção desses autores deixando como sugestão a replicabilidade da pesquisa em outro recorte temporal trazendo novas percepções quanto aos perfis acadêmicos brasileiros.

O autor aponta o crescimento da produção científica devido a diversos fatores como a quantidade de campos científicos que abordam a Gestão do Conhecimento e o aumento do número de cursos de pós-graduação.

Através da pesquisa bibliométrica, ele analisa “[…] os padrões de publicação da Gestão do Conhecimento por autoria individual múltipla e total das produções científicas, tecendo as análises supracitadas de forma a elucidar a compreensão do perfil das produções científicas no campo da GC no Brasil.” (CORRÊA, et al., 2017, p.650)

Com o percurso metodológico dividido em duas fases de pesquisa e interpretação, os autores investigam a quantidade de publicações por ano vs o número de autores, no intervalo de 2000 a 2013. Observam que as publicações feitas por dupla autoria são mais frequentes, porém isso se deu após o ano de 2010. Pode-se perceber também que a cada autor acrescentado a publicação diminui a quantidade de publicações por ano (Tabela 1), isso indica a preferência dos autores por manter o trabalho colaborativo em duplas. É levantada ainda “[…] a discussão de que publicar em parceria é uma forma de atingir o quantitativo em prol de uma sobrevida acadêmica.” (CORRÊA et al., 2017, p.653)

Tabela 1. Dispersão bienal das publicações por número de autores

Como examinado pelos autores, as parcerias feitas em publicações são em sua maioria feita por doutores. Os número são justificados com base em três vertentes, sendo a existência de exigências em programas de pós-graduação que definem que necessária a prática de coautoria entre orientandos e orientadores.

Como segunda vertente é colocado o crescimento de programas de doutorado no Brasil. Ainda que se tenha um maior número de mestres no país, a produção científica individual e múltipla não acompanha esses dados. Os doutorandos produzem mais que os mestres, tanto nas publicações individuais quanto nas múltiplas. Na terceira vertente, eles apresentam os requisito da CAPES na avaliação de programas de pós-graduação.

Concluindo essa discussão, os autores pontuam que “Uma vez que a nota do programa é influenciada pela produção dos docentes e discentes, se uma publicação de autoria múltipla apresentar a autoria de, pelo menos, um destes membros, esta tende a contar positivamente em ambos os quesitos.” (CORRÊA et al., 2017, p.661)

São levantadas também no texto, comparações entre as produções científicas levando em consideração o grau de instrução dos autores e as parcerias estabelecidas.

Outro grande apontamento informado neste artigo pelos autores em comparação a temática levantada sobre Gestão do Conhecimento, é a apresentação do ranking dos autores que mais publicaram em autoria múltipla, totalizando na amostragem 46 autores apresentando até 2 artigos, e um total geral de 440 com apenas 1 artigo, sendo que o primeiro autor do ranking tem destaque para 13 artigos publicados com a temática, conforme a tabela 2:

Tabela 2. Ranking de autores em publicações com autoria múltipla

Na tabela apresentada pelos autores (originalmente tabela 9), eles relatam que o valor total,

[…] corresponde à subtração do ranking geral de autores menos o ranking de autores que publicaram individualmente (originalmente tabela 6 do artigo). O total de 512 autores distintos são representados, evidenciando o nome de 26 autores com mais de 3 publicações, inclusive. As 635 publicações correspondem ao número de produções científicas totais representadas pelos autores listados, porque uma determinada publicação é contabilizada mais de uma vez. A exemplo, Emeide Nóbrega Duarte e Marcos Paulo Farias Rodrigues estão presentes, em relação de coautoria, em uma publicação […], sendo esta produção pontuada para ambos. (CORRÊA et al., 2017, p.665). [grifo nosso].

Assim, os autores consideram que…

A relevância do conhecimento na academia e nas organizações dificilmente é contestada. A elevação bianual do número de publicações acadêmicas relacionadas à GC evidencia a atenção dedicada a esta temática e às práticas de GC em organizações como SERPRO, Petrobrás, dentre outras, reforça ações empíricas orientadas ao conhecimento. (CORRÊA et al., 2017, p.666).

Eles confirmam que, este estudo buscou quantificar as produções científicas relacionadas à Gestão do Conhecimento e discorrer sobre os resultados por meio de análises orientadas pela combinação dos elementos publicações versus autores, titulações, gênero, tipo de autoria e interações entre titulações, evidenciando aspectos por meio de visões segmentadas em autoria única e múltipla.

Isso aponta que cada vez mais apenas a temática é trabalhada e pesquisada multidisciplinarmente em outras áreas fora da academia, do que trabalhar e pesquisar isoladamente dentro da academia.

Fechamos dizendo que os trabalhos publicados com esse enfoque de alertar, provocar e dar destaque aos assuntos de tendência no contexto das áreas concentradas no Portal será o objetivo do Blog PPEC em possibilitar a divulgação científica e disseminar a importância das temáticas relevantes às publicações credenciadas ao Portal.

Referências

CORRÊA, Fábio et al. Produção Científica Brasileira: Perfil de Autoria em Gestão do Conhecimento. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 15, n. 3, p. 647-669, set./dez. 2017. ISSN 1678-765X. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8649660>. Acesso em: 01 set. 2017. doi:http://dx.doi.org/10.20396/rdbci.v15i3.8649660.

Como citar este post: 

SANTOS, Gildenir Carolino; MACHADO, Isabela Doraci Cardoso. Artigo sobre a Produção científica brasileira envolvendo a gestão do conhecimento nas áreas da Comunicação e Informação é destaque no RDBCI.  Blog PPEC, Campinas, v.3, n.2, ago. 2017. ISSN 2526-9429. Disponível em: <https://goo.gl/7pgKF8>.  Acesso em: dia mês abreviado ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.