Artigo publicado é destaque na RIESup: “A expansão da educação superior presencial em Santa Catarina (1990-2016)” de Sherlon Cristina De Bastiani, Joviles Vitório Trevisol

Artigo publicado é destaque na RIESup: “A expansão da educação superior presencial em Santa Catarina (1990-2016)” de Sherlon Cristina De Bastiani, Joviles Vitório Trevisol

Maria de Lourdes Pinto de Almeida

O artigo de Bastiani e Trevisol foi o eleito para ser destacado nesta nota de leitura pois tem como tema uma das ilustrações postas nas políticas educacionais atuais para a educação superior. Há tempos estas políticas vêm se delineando nas discussões estabelecidas por diferentes setores da sociedade civil e política. No entanto, embora as discussões travadas em diversas instâncias, bem como nas lutas dos educadores por políticas que atendam às necessidades básicas de uma educação libertadora, observa-se que a legislação brasileira caminha no sentido contrário a essa meta, quando o Estado se exime de sua condição de provedor de uma educação de excelência em todos os níveis de ensino.

Este texto está no volume 4, número 3 de 2018 da Revista Internacional de Educação Superior da UNICAMP, conhecida também pela sigla RIESup. O artigo é fruto de uma pesquisa sobre as dinâmicas de desenvolvimento da educação superior no Estado de Santa Catarina, e analisa a forma como se estabelece a evolução da graduação na modalidade presencial entre agosto de 2015 a julho de 2017.

Oliveira (1999) descreve o momento atual como uma realidade regida pelo sistema de capitalização global que tem por base a história da luta de classes, opressor e oprimido – burguesia e proletariado. Os reflexos desse embate são sentidos na atualidade e em decorrência desse processo a sociedade burguesa moderna vive uma crise de produção, de troca, de propriedade e obsoletismo constante, resultando em uma crise de excesso, de demasia industrial e comercial.

Bastiani e Trevisol analisaram os dados quantitativos da base de dados dos “tabelões” do INEP, além de inúmeras informações do IBGE, e de uma busca incessante nos sítios das instituições de educação superior que fizeram parte da amostra. Não podemos deixar de dizer que além de todas estas buscas, os autores, entraram em contato com as IES via correio eletrônico. Vale e pena ressaltar que esta investigação foi bibliográfica e documental além de qualitativa.

Os autores afirmam que o estudo realizado demonstrou que a expansão do ensino superior catarinense se deu, inicialmente, por meio das fundações educacionais de direito privado. Do total de IES em 2016, 94% eram privadas (com e sem fins lucrativos), setor que respondia nesse ano por 68,2% das matrículas de graduação presencial.

Estes dados resultados da pesquisa realizada pelos autores da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS, nos fazem refletir sobre o contexto histórico brasileiro neste final de segunda metade do século XXI, onde a crise econômica pela qual passam os sistemas educacionais pode ser explicada também sob essa ótica, considerando que a qualidade e eficácia da educação superior deixam de ser o fim último do processo de ensino, colocando à frente dos programas destinados à melhoria do ensino a lógica de mercado. Neste cenário incerto e nebuloso podemos afirmar que a lógica perversa do capitalismo, dirigida por um Estado Neoliberal, a educação superior também se torna um bem comercializável e nela se formam também seres comercializáveis que venderão sua força produtiva para manterem a própria subsistência.

Para Gentili (2008, p. 4):

Em primeiro lugar é necessário destacar que na perspectiva neoliberal os sistemas educacionais enfrentam, hoje, uma profunda crise de eficiência, eficácia e produtividade, mais do que uma crise de quantidade, universalização e extensão.

Isso nos leva a pensar que essa realidade se traduz na proliferação de cursos, de faculdades, de possibilidades de formação de professores, a maioria voltada para a formação tecnicista que privilegia a inserção de profissionais no mercado de trabalho e afasta o ideal de liberdade e igualdade de direitos a todos os cidadãos, uma vez que a educação torna-se produto de troca de um sistema capitalista.

Referências

GENTILI, Pablo. Neoliberalismo e educação: manual do usuário, 2008. Disponível em: <http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/4002523.pdf>. Acesso em 12 maio 2012.

OLIVEIRA, Francisco de. À sombra do Manifesto Comunista: globalização e reforma do Estado na América Latina. In: GENTILI, Pablo, SADER, Emir (Org.). Pós-neoliberalismo II: que Estado para que democracia? Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1999. p. 68-78.

Como citar este post

ALMEIDA, Maria de Lourdes Pinto de.  Blog PPEC, Campinas, v.9, n.2, set. 2018. ISSN 2526-9429. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/blog/index.php/2018/09/30/artigoexpansao/>.  Acesso em: dia mês abreviado ano.

2 thoughts on “Artigo publicado é destaque na RIESup: “A expansão da educação superior presencial em Santa Catarina (1990-2016)” de Sherlon Cristina De Bastiani, Joviles Vitório Trevisol

  1. Parabéns aos pesquisadores Joviles Vitório Trevisol e Sherlon Cristina De Bastiani pelo excelente artigo produzido. Um estudo revelador e consistente sobre as dinâmicas do Ensino Superior em Santa Catarina. Seus resultados devem ser socializados nos espaços formativos. Deixo minha indicação de leitura do artigo e da Revista Internacional de Educação Superior da UNICAMP, conhecida como RIESup que tem ocupado um importante espaço de discussão da educação superior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.