A expansão da educação superior presencial em Santa Catarina (1990-2016)

Sherlon Cristina De Bastiani, Joviles Vitório Trevisol

Resumo


O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre as dinâmicas de desenvolvimento da educação superior no Estado de Santa Catarina. De modo especial, este artigo pretende analisar como se estabelece o atual panorama da graduação na modalidade presencial em Santa Catarina e, com isso, analisa em retrospectiva como esta modalidade vem evoluindo ao longo dos anos. O estudo foi desenvolvido no período entre agosto de 2015 a julho de 2017. Foram utilizados procedimentos e técnicas quantitativas e qualitativas. A pesquisa bibliográfica e documental foi desenvolvida por meio de livros, artigos, teses, dissertações, relatórios e documentos. Os dados quantitativos foram obtidos na base de dados dos “tabelões” do INEP, informações do IBGE, consulta aos endereços eletrônicos das instituições de ensino superior pesquisadas e por meio de pedidos de informações via correio eletrônico. Entre outras conclusões, o estudo demonstra que a expansão do ensino superior catarinense se deu, inicialmente, por meio das fundações educacionais de direito privado o que também contribuiu para uma predominância de IES privadas no estado. Do total de IES em 2016, 94% eram privadas (com e sem fins lucrativos), setor que respondia nesse ano por 68,2% das matrículas de graduação presencial.


Palavras-chave


Políticas educacionais. Educação superior. Expansão. Santa Catarina.

Texto completo:

PORTUGUÊS INGLÊS

Referências


BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2016.

DE BASTIANI, Sherlon Cristina. Dinâmicas de desenvolvimento da educação superior na região Oeste de Santa Catarina (1968-2015). 2017. 119 p. (Dissertação de Mestrado) - Universidade Federal da Fronteira Sul. Chapecó, SC.

FRANTZ, Walter. Universidade Comunitária: uma iniciativa pública não-estatal em construção. Cadernos Inijuí. Editora: Unijuí, 2004.

FREITAG, Barbara. Escola, estado e sociedade. São Paulo: Moraes, 1980.

HAWERROTH, Jolmar Luis. A expansão do ensino superior nas universidades do sistema fundacional catarinense. Florianópolis: Insular, 1999.

IBGE. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População de Santa Catarina. 2017. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/mapa_site/mapa_site.php#populacao. Acesso em: fev. 2018.

MEC/INEP. Censo da Educação Superior 2016. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2017.

MEC/INEP. Censo da Educação Superior 2016. Principais resultados. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2016/censo_superior_tabelas.pdf. Acesso em: 12 fev. 2018a.

MEC/INEP. Censo da Educação Superior 2016. Notas estatísticas. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2016/notas_sobre_o_censo_da_educacao_superior_2016.pdf. Acesso em: 12 fev. 2018b.

MEC/INEP/DEAES. Educação Superior Brasileira 1991-2004. Santa Catarina. Brasília: INEP, 2006.

MUNIZ, M. D. Educação superior em Santa Catarina: consolidação e expansão. 2006, 261 p. (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

PEGORARO, Ludimar. O terceiro setor e o ensino superior no Brasil: o sistema fundacional catarinense. In.: PERONI, Vera Maria Vidal; BAZZO, Lúcia; PEGORARO, Ludimar; COSTA, Áurea de Carvalho [et al.] (Orgs.). Dilemas da educação brasileira em tempos de globalização neoliberal: entre o público e o privado. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

PEGORARO, Ludimar. Terceiro setor na educação superior brasileira. Campinas: Leitura Crítica, 2013.

VEDANA, Léa Maria Ferreira. A educação em Santa Catarina nos anos 60. Revista Esboços, v.5, n. 5. Jun./Dez. 1997. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2018.

SAMPAIO, Helena. O ensino superior no Brasil: o setor privado. São Paulo: Hucitec, 2000.

SANTA CATARINA. Lei nº 2.772, de 21 de julho de 1961. Dispõe sobre o Plano de Metas do Governo Estadual sobre o quinquênio 1961/1965, institui fundos, unifica tributos, autoriza a constituição de sociedades existentes, a assinatura de convênios, cria secretaria de estado e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2018.

SANTOS, Milton. O lugar e o cotidiano. In: SANTOS, B. de S.; MENEZES, M. P. (Org). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2007.

TREVISOL, Joviles V. O ensino superior público na Mesorregião Fronteira Sul: a implantação da UFFS. In: RADIN, José C.; VALENTINI, Delmir J.; ZARTH, Paulo A. História da Fronteira Sul. Porto Alegre: Letra&Vida; Chapecó: UFFS, 2015a.

TREVISOL, Joviles. A pós-graduação na Universidade Federal da Fronteira Sul: interiorização e redução de assimetrias em uma Região de fronteira. RBPG, Brasília, v. 12, n. 28, p. 505-532, ago. 2015b.




DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v4i3.8651889

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Internacional de Educação Superior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Rev. Inter. Educ. Sup. [RIESup], Campinas (SP) - ISSN 2446-9424.