Língua, cultura e imaginários: singular e plural em conflito nos materiais didáticos de português para estrangeiros

  • Luciana Salazar Salgado Universidade Federal de São Carlos
  • Helena Boschi Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Português brasileiro. Interlíngua. Imaginários

Resumo

Partindo de uma perspectiva discursiva em diálogo com pesquisas recentes da sociolinguística e da linguística aplicada, temos como objetivo investigar a construção e a difusão de imaginários de língua e de cultura, focalizando o primeiro livro da coleção Brasil Intercultural (Ciclo Básico, nível 1 e 2 - MOREIRA; BARBOSA; CASTRO, 2014). São examinadas, assim, propostas de atividade. Os dados mostram um conflito entre um posicionamento progressista e um posicionamento conservador ao longo do material, o que, segundo nossa hipótese, é um efeito da circulação de discursos no espaço público: enquanto estudos da linguagem mostram cada vez mais a complexidade das estruturas linguísticas e da diversidade de usos em conjunturas variadas, no mercado editorial, os próprios autores e o público consumidor são atravessados por um imaginário de língua e de cultura que estabelece uma relação biunívoca entre elas, calcada na noção de que uma língua é um código estável característico das trocas definidoras de um território nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Salazar Salgado, Universidade Federal de São Carlos
É co-líder das atividades interinstitucionais desenvolvidas sob a rubrica Escritas profissionais e processos de edição, cujo Grupo de Pesquisa está sediado no CEFET MG, e sua pesquisa na UFSCar se volta para a comunicação no mundo contemporâneo, marcadamente  as questões de mediação editorial, com trabalhos ligados aos Grupos de Pesquisa Comunica – inscrições linguísticas na comunicação e Literatura e Tempo Presente.
Helena Boschi, Universidade Federal de São Carlos
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSCar (PPGL-UFSCar). Bolsista FAPESP.

Referências

ALVES, Ubiratã Kickhöfel; SILVA, Susieli Machry. M[e]nino ou m[i]nino? Bol[o] ou bol[u]? O tratamento das vogais do português brasileiro (LE) por manuais voltados a aprendizes argentinos. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.16, n.1, p. 131-153, jan./jun. 2013. Disponível em: http://www.rle.ucpel.tche.br/index.php/rle/article/view/798. Acesso em 5 de janeiro de 2015.

BAGNO, Marcos. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2011a.

BAGNO, Marcos.. O que é uma língua? Imaginário, ciência & hipóstase. In: LAGARES, Xoãn; BAGNO, Marcos (org.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011b.

CARVALHO, Orlene Lúcia S.; BAGNO, Marcos. Gramática brasileña para hablantes de español. 1a ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

DE CERTEAU, Michel. A cultura na sociedade. In: DE CERTEAU, Michel. A cultura no plural. Trad. Enid Abreu Dobránszky. 7a ed. Campinas, SP: Papirus, 2012. p.191-220. Publicação original: 1993.

DERVIN, Fred. Cultural identity, representation and othering. In: JACKSON, J. The Routledge Handbook of Language and Intercultural Communication. NewYork: Routledge, 2014. p. 181-194.

GONZALEZ, Verónica A. Análise de abordagem de material didático para o ensino de línguas (PLE/PL2). Dissertação de Mestrado – Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução da Universidade de Brasília. Brasília, 2015. 170p.

HOLLIDAY, Adrian. Culture as constraint or resource: essencialist versus non-essencialist views. In: GRAY, K., ANSELL, M., CARDEW, S. and LEEDHAM, M., eds. The Japanese Learner: Context, Culture and Classroom Practice. Oxford: Oxford University Press, 2001. p. 38-40. Disponível em: http://owww.brookes.ac.uk/schools/education/eal/jl-archive/jl-bestof/18.pdf. Acesso em 25 de agosto de 2015.

JÚDICE, Norimar. Identidade brasileira em material para ensino de português a falantes do alemão. In: MEYER, RM; ALBUQUERQUE, A. Português para estrangeiros: questões interculturais. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2013.

KRAMSCH, Claire. Language and culture. In: SIMPSON, J. (Ed.). The Routledge Handbook of Applied Linguistics. New York: Routledge: 2011a. p. 305-317.

KRAMSCH, Claire. The symbolic dimensions of the intercultural. Language Teaching. Cambridge University Press, v. 44, p. 354-367, July 2011b. Disponível em: <http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?fromPage=online&aid=8271738>. Acesso em 22 de setembro de 2015.

KRAMSCH, Claire. Culture in foreign language teaching. Iranian Journal of Language Teaching Research 1(1), Jan. 2013, p. 57-78. Disponível em: http://www.urmia.ac.ir/sites/www.urmia.ac.ir/files/Article%204_1.pdf. Acesso em 5 de janeiro de 2015.

LAGARES, Xoãn; BAGNO, Marcos (org.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina. O lugar do social e da cultura numa dimensão discursiva. In: INDURSKY, Freda; MITTMANN, Solange; LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina (org.). Memória e história na/da Análise do Discurso. Campinas: Mercado das Letras, 2011, p.55-64.

LIDDICOAT, Anthony. Language Teaching and Learning from an Intercultural Perspective. In: HINKEL, E. Handbook of Research in Second Language Teaching and Learning. Vol. II. New York: Routledge, 2011. p. 837-855.

MAINGUENEAU, Dominique; CHARAUDEAU, Patrick. Dicionário de análise do discurso. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2008. Publicação original: 2004.

MAINGUENEAU, Dominique. Discours. Intertextualité. Interlangue. In: Champs du signe, n.13/14, p.197-210, 2002.

MAINGUENEAU, Dominique. Gêneses do Discurso. Trad. Sírio Possenti. Curitiba: Criar, 2005.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso Literário. Trad. Adail Sobral. São Paulo: Contexto, 2006.

MOREIRA, Aline; BARBOSA, Cibele Nascente; CASTRO, Giselle Nunes. Coord: MENDES, Edleise. Brasil Intercultural: Língua e Cultura Brasileira para Estrangeiros: ciclo básico, níveis 1 e 2. Buenos Aires, Argentina: Casa do Brasil, 2014. Publicação original: 2013.

NEVES, Maria Helena M. Gramática de usos do português. 2a ed. São Paulo: Ed. Unesp, 2003.

OLIVEIRA, Gilvan M. Política linguística e internacionalização: a língua portuguesa no mundo globalizado do século XXI. Trabalhos em Linguística Aplicada. [online]. Vol.52, n.2, pp. 409-433, 2013.

POSSENTI, Sírio. Questões de linguagem: passeio gramatical dirigido. 1a ed. São Paulo: Parábola, 2011.

REVUZ, Christine. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, Inês (Org.). Língua(gem) e identidade. São Paulo: Mercado de Letras, 1998. p.213-230.

SALGADO, Luciana S. Ritos genéticos editoriais: autoria e textualização. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2011.

SALGADO, Luciana S. Cibercultura: tecnoesfera e psicoesfera de alta potência difusora. In: ABRIATA, V. L. R.; CÂMARA, N. S.; RODRIGUES, M. G.; SCHWARTZMANN, M. N. Leitura: a circulação de discursos na contemporaneidade. Franca, SP: Unifran, 2013. p.103-123.

SALOMÃO, Ana Cristina B. O componente cultural no ensino e aprendizagem de línguas: desenvolvimento histórico e perspectivas na contemporaneidade. Trabalhos em Linguística Aplicada [online]. 2015, vol.54, n.2, pp. 361-392. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0103-18134500150051. Acesso em 5 de março de 2016.

WELSCH, Wolfgang. Transculturality: The puzzling form of cultures today. California Sociologist, v. 17 & 18, p. 19-39, 1994. Disponível em: http://www2.uni-jena.de/welsch/papers/W_Wlelsch_Transculturality.html. Acesso em 5 de setembro e 2015.

ZOPPI FONTANA, Monica G.; DINIZ, Leandro R. A. Declinando a língua pelas injunções do mercado: institucionalização do português língua estrangeira (PLE). Estudos Linguísticos. São Paulo, v. 37, p. 89-119, 2008.

Publicado
2016-04-18
Como Citar
Salgado, L. S., & Boschi, H. (2016). Língua, cultura e imaginários: singular e plural em conflito nos materiais didáticos de português para estrangeiros. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 58(1), 93-111. https://doi.org/10.20396/cel.v58i1.8646156