Fonologia e escrita: possíveis relações e desafios teórico-metodológicos

Autores

  • Luciani Ester Tenani Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v59i3.8650999

Palavras-chave:

Fonologia. Prosódia. Escrita.

Resumo

Este artigo trata de estudos sobre fonologia e escrita visando a dois objetivos. Um objetivo é tecer uma breve retrospectiva de estudos que, pioneiramente na década de 1980, traçaram possíveis caminhos de investigação; o segundo objetivo, ao primeiro associado, é demonstrar desenvolvimentos alcançados por pesquisas feitas posteriormente, notadamente, nas primeiras décadas de 2000. É dado destaque aos estudos que tomam as segmentações não-convencionais de palavra (como “de mais”, “concerteza”) de uma perspectiva linguística que as concebe como hipóteses dos escreventes acerca dos limites de palavras, construídas a partir de relações entre fala e escrita, reveladoras de (possíveis) interações entre informações de natureza prosódica, morfossintática e semântica dos enunciados. São analisadas grafias não-convencionais de palavras produzidas por alunos em processo de aquisição e de desenvolvimento de escrita em ambiente escolar. Argumenta-se a favor de uma abordagem segundo a qual dados de escrita são fonte para problematização de assunções que embasam teorias fonológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciani Ester Tenani, Universidade Estadual de Campinas

Professora Livre-docente do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários na UNESP

Referências

ABAURRE, M. B. M. O que revelam os textos espontâneos sobre a representação que faz a criança do objeto escrito? In: KATO, M. A. (Org.). A concepção da escrita pela criança. Campinas: Pontes Editores, 1988a, pp. 135-142.

ABAURRE, M. B. M. The interplay between spontaneous writing and underlying linguistic representations. European journal of psychology of education, Lisboa, v. III, n.4, pp. 415-430, 1988b.

ABAURRE, M. B. M. A relevância dos critérios prosódicos e semânticos na elaboração de hipóteses sobre segmentação na escrita inicial. Boletim da Abralin, Campinas, v. 11, pp. 203-17, 1991a.

ABAURRE, M. B. M. Ritmi dell’oralità e ritmi dela escritura. In: ORSOLINI, M. e PONTECORVO, C. La construzione del texto scritto nei bambini. Roma: La Nuova Italia, 1991b.

ABAURRE, M. B. M. Os Estudos Linguísticos e a aquisição da escrita. In: CASTRO, M. F. C. P. (Org.). O método e o dado no estudo da linguagem. Campinas: Editora da Unicamp, 1996, v. 1, pp. 111-163.

ABAURRE, M. B. M. et alii. Leitura e escrita na vida e na escola. In: Leitura: Teoria & Prática, Campinas, n. 6, 1984, pp. 15-26.

ABAURRE, M. B. M.; SILVA, A. O desenvolvimento de critérios de segmentação na escrita. Temas em psicologia. São Paulo, v. 1, pp. 89-102, 1993.

BALIEIRO JR., A. P, Psicolinguística. In: MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. Introdução à linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001, pp.171-201.

BISOL, L. O clítico e seu status prosódico. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 9, n.1, pp. 5-20, 2000.

BISOL, L. Mattoso Câmara Jr. e a Palavra Prosódica. DELTA, São Paulo. v. 20, n. especial, pp. 59-70, 2004.

BISOL, L. O clítico e o seu hospedeiro. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 40, n. 3, pp. 163-184, 2005.

BOPP DA SILVA, T. Formação de palavras compostas em português brasileiro: uma análise de interfaces. Porto Alegre, 2010, 195f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

CAPRISTANO, C. C. A propósito da escrita do EF I: uma reflexão sobre as segmentações não-convencionais. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 39 n. 3, pp. 245-260, 2004.

CAPRISTANO, C. C. Mudanças na trajetória da criança em direção à palavra escrita. 253f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007a.

CAPRISTANO, C. C. Aspectos de segmentação na escrita do EF I. São Paulo: Martins Fontes. 2007b.

CAPRISTANO, C. C.; TICIANEL, G. F. Discurso direto e hipossegmentações na escrita infantil. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo, v. 16, pp. 233-259, 2014.

CHACON, L. Constituintes prosódicos e letramento em segmentações não-convencionais. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 39, n. 3, pp. 223-232, 2004.

CHACON, L. Hipersegmentações na escrita do EF I: entrelaçamento de práticas de oralidade e de letramento. Estudos Linguísticos, Campinas, v. 34, pp. 77-86, 2005.

CHACON, L. Prosódia e letramento em hipersegmentações: reflexões sobre a aquisição da noção de palavra. In: CORRÊA, M. L. G. (org.) Ensino de língua: representação e letramento. Campinas: Mercado de Letras, pp.155-167, 2006.

CHACON, L. Segmentações não-convencionais na escrita de pré-escolares: entrecruzamentos entre convenções ortográficas e constituintes prosódicos. In: Regina Ritter Lamprecht. (Org.). Aquisição da linguagem: estudos recentes no Brasil. Porto Alegre: Editora da PUC-RS, 2011, pp. 251-261.

CHOMSKY, N. Linguagem e mente. Trad. Roberto Leal Ferreira. 3.ed. São Paulo: Editora da UNESP, 2009.

CORRÊA, M. L. G. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes. 2004.

CUNHA, A. P. N. A hipo e a hipersegmentação nos dados de aquisição da escrita: um estudo sobre a influência da prosódia, 2004. 132f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2004.

CUNHA, A. P. N. As segmentações não-convencionais da escrita inicial: uma discussão do ritmo linguístico do português brasileiro e europeu, 2010. 188f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.

CUNHA, A. P. N.; MIRANDA, A. R. M. Indícios de reestruturação do conhecimento fonológico da criança em dados de reparo na escrita inicial. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 48, n. 3, pp. 343-354, 2013.

FERREIRA, C. R. G. Um estudo sobre a segmentação não convencional na aquisição da escrita de alunos de EJA. 2011. 163f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2011.

FERREIRO, E; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Trad. Diana Myriam Lichtenstein, Liana Di Marco e Mário Corso. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FREITAS et al. Efeitos prosódicos e efeitos de frequência no desenvolvimento silábico em Português Europeu. In XX Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística. Textos Seleccionados. Lisboa: APL/Colibri, pp. 397-412. 2006.

LEMOS, C. Teorias da Diferença e Teorias do Déficit: reflexões sobre programa de intervenção na pré-escola e na alfabetização. In: Anais do Seminário Multidisciplinar de Alfabetização, 11 a 13 de agosto de 1983. Brasília: INEP, 1984, pp. 133-145. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=27629. Acesso em 10 de maio de 2016.

LEMOS, C. Sobre a aquisição da escrita: algumas questões. In: ROJO, R. (Org.) Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas. São Paulo: Mercado de Letras, pp. 13-32, 1998.

NESPOR, M. ; VOGEL, I. Prosodic phonology. Dordrechet: Foris Publications, 1986.

NESPOR, M.; VOGEL, I. Prosodic phonology: with a new foreword. Berlin; New York: Mouton de Gruyter. 2007.

PAULA, I. F. V. Movimentos na escrita inicial de crianças: um estudo longitudinal de hipersegmentações. São José do Rio Preto, 2007. 132f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 2007.

SCARPA, E. Aquisição da linguagem. In: MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. Introdução à linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001, pp.203-232.

SCHWINDT, L. C. O prefixo no Português Brasileiro: análise morfofonológica. 2000. 191 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

SEKIYAMA, K.; BURNHAM, D. Issues in the development of auditory-visual speech perception: Adults, infants, and children. In: Eighth International Conference on Spoken Language Processing, pp. 1137–1140, 2004.

SEMINÁRIO MULTIDISCIPLINAR DE ALFABETIZAÇÃO (São Paulo, 11 a 13 de agosto de 1983). Anais... Brasília: INEP, 1984. 158p. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=27629. Acesso em: 10 de set. 2016.

SILVA, A. Alfabetização: a escrita espontânea. São Paulo: Contexto, 1991.

SILVA, L. M.; TENANI, L. Hipersegmentações de palavras no ensino fundamental. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014.

SIMIONI, T. O clítico e seu lugar na estrutura prosódica em Português Brasileiro. ALFA, São Paulo, v. 52, n.2, pp. 431-446, 2008.

TENANI, L. Segmentações não convencionais e teorias fonológicas. Letras de hoje. Porto Alegre, v. 39, n. 3, setembro, pp. 233-244, 2004.

TENANI, L. A segmentação não convencional de palavras: evidências de representações de relações entre enunciados falados e escritos. Anais do II SIMELP “Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas”, pp. 107-127, 2009.

TENANI, L. A grafia dos erros de segmentação não-convencional de palavras. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 35, pp. 247-269, 2010.

TENANI, L. Letramento e segmentações não-convencionais de palavras. In: TFOUNI, L. V. (Org.). Letramento, escrita e leitura: Questões Contemporâneas. Campinas: Mercado de Letras, pp. 229-243, 2011a.

TENANI, L. A segmentação não-convencional de palavras em textos do ciclo II do ensino fundamental. Revista da Associação Brasileira de Linguística, v. 10, n. 2, pp.91-119, 2011b.

TENANI, L. Hipersegmentação de palavras: análise de aspectos prosódicos e discursivos. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 16, pp. 305-324, 2013.

TENANI, L. Fonologia prosódica. In: DERMEVAL, H.; MATZENAUER, C. (Org.) Fonologia, fonologias. São Paulo: Contexto, 2017, pp. 109-123.

TENANI, L.; PARANHOS, L. C. Análise Prosódica de segmentações não-convencionais de palavras em textos do sexto ano do EF. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo, v. 13, pp. 477-504, 2011.

VELOSO, J. Verba manent: a palavra como unidade pertinente para a descrição linguística do português e de outras línguas flexionais. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016.

VYGOSTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo, Martins Fontes, 1988.

ZORZI, J. L. A apropriação do sistema ortográfico nas 4 primeiras séries do primeiro grau. Campinas, 1997. 124f. Tese (Doutorado em educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 1997.

Downloads

Publicado

2017-12-04

Como Citar

TENANI, L. E. Fonologia e escrita: possíveis relações e desafios teórico-metodológicos. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 581–597, 2017. DOI: 10.20396/cel.v59i3.8650999. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8650999. Acesso em: 26 nov. 2021.