‘Ao contrário’, ‘do avesso’ e ‘de trás para frente’

codificações da contradirecionalidade no português brasileiro

  • Renato Miguel Basso Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Contradirecionalidade, Modificadores, Semântica de eventos.

Resumo

O presente artigo analisa as expressões ‘de trás para frente’, ‘ao contrário’ e ‘do/ao avesso’ do português brasileiro como modificadores de eventos, que pertencem ao domínio contradirecional, um domínio que abriga modificadores de eventos que denotam eventos que ocorrem em resposta ou em direção contrária a um evento prévio ou ao desenvolvimento usual de um dado tipo de evento. Ao longo deste artigo, na primeira seção, apresentamos o domínio contradirecional e suas características para então, na seção seguinte, fazermos uma apresentação e descrição prévia dos dados. A seção 3 traz nossa proposta de análise, ancorada na teoria de trajetória de Zwarts (2005; 2008). Em nossa análise, as expressões estudadas carregam uma pressuposição específica, e denotam eventos que se desenvolvem ao contrário, conforme definimos no presente artigo, do que é o esperado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Miguel Basso, Universidade Federal de São Carlos

Professor da Universidade Federal de São Carlos, doutor e mestre em Linguística pela Unicamp. 

Referências

BASSO, R.M. (manuscrito). Sobre a semântica de ‘de volta’: um exercício em contradirecionalidade.

FABRICIUS-HANSEN, C. Wi(e)der and again(st). In: FERY, C.; STERNEFELD, W. (eds.), Audiatur Vox Sapientiae. A Festschrift for Arnim von Stechow. Berlin: Akademie Verlag, 101-130, 2001

Gärdenfors, P. Conceptual Spaces: The Geometry of Thought. Cambridge, MA: The MIT Press, 2000.

Gärdenfors, P. The geometry of meaning: Semantics based on conceptual spaces. Cambridge, MA: MIT Press, 2014.

KRIFKA, M. The origins of telicity. In: ROTHSTEIN, S. (ed.). Events and Grammar. Dordrecht: Kluwer, 197-235, 1998.

PONTES, Eunice. Espaço-Tempo na língua portuguesa. São Paulo: Pontes editores, 1992.

ROTHSTEIN, S. Structuring Events: A Study in the Semantics of Lexical Aspect. Blackwell: Oxford, 2004.

TALMY, L. Toward a cognitive semantics. MIT press, 2000.

ZWARTS, J. Vector as relative positions: a compositional semantics of modified PPs. Journal of Semantics, 14:57-86, 1997.

Zwarts, J. Vectors across spatial domains: from place to size, orientation, shape and parts. In: van der Zee, e.; Slack, J. (Eds.), Representing Direction in Language and Space (pp. 39–68). Oxford: Oxford University Press, 2003.

ZWARTS, J. Prepositional Aspect and the Algebra of Paths. Linguistics and Philosophy 28.6, 739-779, 2005.

Zwarts, J. Aspects of a typology of direction. In S. Rothstein (Eds.), Theoretical and Crosslinguistic Approaches to the Semantics of Aspect (pp. 79-106) (28 p.). Amsterdam: John Benjamins, 2008.

ZWARTS, J. From ‘back’ to ‘again’ in Dutch: The structure of the ‘re’ domain. Manuscrito.

ZWARTS, J.; BASSO, R. M. Counterdirectionality Crosslinguistically: comparing Brazilian Portuguese and Dutch. Revista da ABRALIN, v. 1, p. 19-44, 2016.

ZWARTS, J.; WINTER, Y. Vector space semantics: a model-theoretic analysis of locative prepositions. Journal of Logic, Language and Information, 9:169-211, 2000.

Publicado
2019-04-02
Como Citar
Basso, R. M. (2019). ‘Ao contrário’, ‘do avesso’ e ‘de trás para frente’. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 61, 1-16. https://doi.org/10.20396/cel.v61i0.8654586