Modalidade, ethos e estereótipos nos aconselhamentos sobre finanças para mulheres

Palavras-chave: Discurso de autoajuda, Mulheres, Modalidade, Ethos, Estereótipos.

Resumo

Neste trabalho, analisamos o ethos de uma obra de autoajuda sobre finanças dirigida especificamente ao público feminino, a fim de revelarmos a imagem que a enunciadora da obra projeta de si pelo seu modo de enunciação. Além disso, analisamos as imagens de mulher que essa enunciadora valoriza e/ou que combate por meio de seus ensinamentos, ou seja, identificamos os estereótipos de mulher que esse discurso colabora para reforçar e/ou transformar. Para operacionalizar a investigação sobre o ethos, analisamos as ocorrências da expressão lexical da modalidade, já que a modalidade é uma das formas de manifestação da subjetividade, mais exatamente uma forma por meio da qual o enunciador expressa sua opinião ou uma atitude em relação ao que diz. Dentre as formas de expressão lexical da modalidade, selecionamos verbos (auxiliares e plenos), adjetivos em posição predicativa e advérbios modais, e nos apoiamos no Funcionalismo como aparato teórico-metodológico específico da Linguística na qualidade de teoria auxiliar. A análise revela que predomina um tom autoritário na obra, ligado à imagem de uma enunciadora assertiva, convicta e focada em suas metas, incluindo a de orientar de forma firme a sua enunciatária. A análise revela, ainda, que a obra reforça o estereótipo tradicional de gênero feminino, segundo o qual as mulheres são menos propensas às finanças do que os homens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Flora Brunelli, Universidade Estadual Paulista

Docente da área de Língua Portuguesa do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL) da UNESP. Mestre e doutora em Linguística pela UNICAMP.

Sandra Denise Gasparini-Bastos, Universidade Estadual Paulista

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista. Docente de língua espanhola do Departamento de Letras Modernas pela mesma universidade.

Rafaela de Paula Verni, Universidade Estadual Paulista

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho".

Referências

ALVES, J. E. D. Desafios da equidade de gênero no século XXI. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 24, n. 2, p. 629-638, 2016.

BIROLI, F. Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BRUNELLI, A. F. O sucesso está em suas mãos: análise do discurso de autoajuda. 2004. 149f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

BRUNELLI, A. F.; GASPARINI-BASTOS, S. D. Os valores do verbo modal poder em português: da língua ao discurso. In: XV Congreso Internacional de ALFAL, 2008, Montevideo-Uruguai. Actas. Montevideo-Uruguai: ALFAL, 2008.

BRUNELLI, A. F.; GASPARINI-BASTOS, S. D. O comportamento do verbo modal poder no discurso de autoajuda: uma investigação no português e no espanhol. Estudos Linguísticos, v. 40, n. 1, p. 61-70, 2011.

BRUSCHINI, C. O trabalho da mulher brasileira nas décadas recentes. Estudos Feministas, Rio de janeiro, ano 2, p. 179-199, 1994.

CASIMIRO, S. Um estudo das modalidades deôntica e volitiva nos discursos do presidente Lula. 2007. 108f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

DAMIANI, D.; ALMEIDA, C. Ganhar, gastar, investir: o livro do dinheiro para mulheres. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

FISKE, S. T.; CUDDY, A. J. C.; GLICK, P. Universal dimensions of social perception: warmth and competence. Trends in Cognitive Science, v. 11, n. 2, p. 77-83, 2007.

FRANKEL, L. P. Mulheres ousadas chegam mais longe. São Paulo: Editora Gente, 2005.

FRANKEL, L. P. Mulheres boazinhas não enriquecem. São Paulo: Editora Gente, 2006.

FURLAN, M. M. Cenas de enunciação e ethos discursivo: análise do discurso de autoajuda para adolescentes. 2013. 108f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

GASPARINI-BASTOS, S. D. Os constituintes extrafrasais com valor epistêmico: análise de entrevistas jornalísticas do espanhol e do português. 2004. 161f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

HENGEVELD, K. Illocution, mood, and modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. (eds.) Morphology: a handbook on inflection and word formation. v. 2. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004. p. 1190-1201.

HENGEVELD, K. The grammaticalization of tense and aspect. In: HEINE, B.; NARROG, H. (eds.). The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011. p. 580-594.

HENGEVELD, K.; HATTNHER, M. M D. A. Four types of evidentiality in the native languages of Brazil. Linguistics, v. 53, n. 3, p. 479-524, 2015.

MAINGUENEAU, D. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, R. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005. p. 69-92.

MAINGUENEAU, D. A propósito do ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (orgs.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008. p. 11-29.

MAINGUENEAU, D. Doze conceitos em análise do discurso. POSSENTI, S.; SOUZA E SILVA, M. C. P. (orgs.). São Paulo: Parábola, 2010.

NEVES, M. H. M. A modalidade. In: KOCH, I. G. V. (org.). Gramática do português falado 6: Desenvolvimentos. Campinas: Editora da UNICAMP/FAPESP, 1996. p. 163-195.

NEVES, M. H. M. Imprimir marcas no enunciado. Ou: a modalização na linguagem. In: NEVES, M. H. M. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006. p. 152-221.

OLBERTZ, H.; GASPARINI-BASTOS, S. D. Objective and subjective deontic modal necessity in FDG – evidence from Spanish auxiliary expressions. In: MACKENZIE, J. L.; OLBERTZ, H. (eds.) Casebook in Functional Grammar. Amsterdam: John Benjamins, 2013. p. 277-300.

ORMAN, S. As mulheres e o dinheiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.

UEDA, M. B. O ethos das obras de autoajuda para a terceira idade. 2014. 104f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

Publicado
2019-06-17
Como Citar
Brunelli, A. F., Gasparini-Bastos, S. D., & Verni, R. de P. (2019). Modalidade, ethos e estereótipos nos aconselhamentos sobre finanças para mulheres. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 61, 1-19. https://doi.org/10.20396/cel.v61i0.8655021
Seção
Dossiê Ethos discursivo em diversas dimensões