Modalidade, ethos e estereótipos nos aconselhamentos sobre finanças para mulheres

Palavras-chave: discurso de autoajuda, mulheres, ethos, modalidade, estereótipos.

Resumo

Neste trabalho, analisamos o ethos de uma obra de autoajuda sobre finanças dirigida especificamente ao público feminino, a fim de revelarmos a imagem que a enunciadora da obra projeta de si pelo seu modo de enunciação. Além disso, analisamos as imagens de mulher que essa enunciadora valoriza e/ou que combate por meio de seus ensinamentos, ou seja, identificamos os estereótipos de mulher que esse discurso colabora para reforçar e/ou transformar. Para operacionalizar a investigação sobre o ethos, analisamos as ocorrências da expressão lexical da modalidade, já que a modalidade é uma das formas de manifestação da subjetividade, mais exatamente uma forma por meio da qual o enunciador expressa sua opinião ou uma atitude em relação ao que diz. Dentre as formas de expressão lexical da modalidade, selecionamos verbos (auxiliares e plenos), adjetivos em posição predicativa e advérbios modais, e nos apoiamos no Funcionalismo como aparato teórico-metodológico específico da Linguística na qualidade de teoria auxiliar. A análise revela que predomina um tom autoritário na obra, ligado à imagem de uma enunciadora assertiva, convicta e focada em suas metas, incluindo a de orientar de forma firme a sua enunciatária. A análise revela, ainda, que a obra reforça o estereótipo tradicional de gênero feminino, segundo o qual as mulheres são menos propensas às finanças do que os homens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Flora Brunelli, Universidade Estadual Paulista (UNESP/São José do Rio Preto)
Docente da área de Língua Portuguesa do Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL)
Sandra Denise Gasparini-Bastos, Universidade Estadual Paulista (UNESP/São José do Rio Preto)
docente de língua espanhola do Departamento de Letras Modernas (DLM)
Rafaela de Paula Verni, Universidade Estadual Paulista (UNESP/São José do Rio Preto)
mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos

Referências

REFERÊNCIAS

ALVES, J. E. D. Desafios da equidade de gênero no século XXI. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 24, n. 2, p. 629-638, 2016.

BIROLI, F. Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BRUNELLI, A. F. O sucesso está em suas mãos: análise do discurso de autoajuda. 2004. 149f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

BRUNELLI, A. F.; GASPARINI-BASTOS, S. D. Os valores do verbo modal poder em português: da língua ao discurso. In: XV Congreso Internacional de ALFAL, 2008, Montevideo-Uruguai. Actas. Montevideo-Uruguai: ALFAL, 2008.

BRUNELLI, A. F.; GASPARINI-BASTOS, S. D. O comportamento do verbo modal poder no discurso de autoajuda: uma investigação no português e no espanhol. Estudos Linguísticos, v. 40, n. 1, p. 61-70, 2011.

BRUSCHINI, C. O trabalho da mulher brasileira nas décadas recentes. Estudos Feministas, Rio de janeiro, ano 2, p. 179-199, 1994.

CASIMIRO, S. Um estudo das modalidades deôntica e volitiva nos discursos do presidente Lula. 2007. 108f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

DAMIANI, D.; ALMEIDA, C. Ganhar, gastar, investir: o livro do dinheiro para mulheres. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

FISKE, S. T.; CUDDY, A. J. C.; GLICK, P. Universal dimensions of social perception: warmth and competence. Trends in Cognitive Science, v. 11, n. 2, p. 77-83, 2007.

FRANKEL, L. P. Mulheres ousadas chegam mais longe. São Paulo: Editora Gente, 2005.

FRANKEL, L. P. Mulheres boazinhas não enriquecem. São Paulo: Editora Gente, 2006.

FURLAN, M. M. Cenas de enunciação e ethos discursivo: análise do discurso de autoajuda para adolescentes. 2013. 108f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

GASPARINI-BASTOS, S. D. Os constituintes extrafrasais com valor epistêmico: análise de entrevistas jornalísticas do espanhol e do português. 2004. 161f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

HENGEVELD, K. Illocution, mood, and modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. (eds.) Morphology: a handbook on inflection and word formation. v. 2. Berlin: Mouton de Gruyter, 2004. p. 1190-1201.

HENGEVELD, K. The grammaticalization of tense and aspect. In: HEINE, B.; NARROG, H. (eds.). The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011. p. 580-594.

HENGEVELD, K.; HATTNHER, M. M D. A. Four types of evidentiality in the native languages of Brazil. Linguistics, v. 53, n. 3, p. 479-524, 2015.

MAINGUENEAU, D. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, R. (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005. p. 69-92.

MAINGUENEAU, D. A propósito do ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (orgs.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008. p. 11-29.

MAINGUENEAU, D. Doze conceitos em análise do discurso. POSSENTI, S.; SOUZA E SILVA, M. C. P. (orgs.). São Paulo: Parábola, 2010.

NEVES, M. H. M. A modalidade. In: KOCH, I. G. V. (org.). Gramática do português falado 6: Desenvolvimentos. Campinas: Editora da UNICAMP/FAPESP, 1996. p. 163-195.

NEVES, M. H. M. Imprimir marcas no enunciado. Ou: a modalização na linguagem. In: NEVES, M. H. M. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006. p. 152-221.

OLBERTZ, H.; GASPARINI-BASTOS, S. D. Objective and subjective deontic modal necessity in FDG – evidence from Spanish auxiliary expressions. In: MACKENZIE, J. L.; OLBERTZ, H. (eds.) Casebook in Functional Grammar. Amsterdam: John Benjamins, 2013. p. 277-300.

ORMAN, S. As mulheres e o dinheiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.

UEDA, M. B. O ethos das obras de autoajuda para a terceira idade. 2014. 104f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto.

Publicado
2019-06-17
Como Citar
Brunelli, A. F., Gasparini-Bastos, S. D., & Verni, R. de P. (2019). Modalidade, ethos e estereótipos nos aconselhamentos sobre finanças para mulheres. Cadernos De Estudos Lingüísticos, 61, e019017. https://doi.org/10.20396/cel.v61i0.8655021
Seção
Dossiê Ethos discursivo em diversas dimensões