Variação diacrônica do grau de transparência linguística do português brasileiro

o papel do aumento percentual da expressão pronominal do argumento-sujeito

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v63i00.8657215

Palavras-chave:

Transparência linguística, Expressão do argumento-sujeito, Referência cruzada

Resumo

Neste artigo, analisamos a variação diacrônica do grau de transparência linguística do português brasileiro, focalizando o sistema de expressão pronominal e desinencial do argumento-sujeito de primeira e segunda pessoas. Argumentamos que a transparência desse sistema é afetada diacronicamente por três mudanças em curso na língua: aumento da frequência de expressão pronominal do argumento-sujeito, aumento da frequência de uso do pronome você em detrimento de tu, aumento da frequência de uso da forma pronominal a gente em prejuízo de nós. Além disso, fornecemos dados acerca da primeira dessas mudanças e apresentamos um cálculo quantitativo que indica o papel dessa mudança como fator de diminuição do grau de transparência da língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Regina Guerra , Universidade Estadual Paulista

Doutorada em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), câmpus de São José do Rio Preto. É integrante do Projeto para a História do Português Brasileiro (PHPB), atuando na equipe responsável pelo estudo do português paulista.

Referências

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CÂMARA JR.; J. M. A Estrutura da língua portuguesa. 19ª ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

DUARTE, M. E. L. “Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil”. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993. p. 107-128.

DUARTE, M. E. L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro.1995. 151f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

GRÁNDEZ ÁVILA, M. Language transparency in Functional Discourse Grammar: The case of Quechua. Linguistics in Amsterdam, n. 4, p. 22-56, 2011.

GUERRA, A. R. Diacronia do grau de transparência do sistema de referência por expressão pronominal e desinencial do argumento-sujeito de 1ª e 2ª pessoas no português brasileiro. 170f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos). Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2017.

HENGEVELD, K. Transparency in Functional Discourse Grammar. Linguistics in Amsterdam, Amsterdam, v. 4, n. 2, p. 1-22, 2011a.

HENGEVELD, K. Epilogue: degrees of transparency. Linguistics in Amsterdam, Amsterdam, v. 4, n. 2, p.110-114, 2011b.

HENGEVELD, K.; MACKENZIE, J. L. Functional Discourse Grammar. New York: Oxford University Press, 2008.

HENGEVELD, K.; LEUFKENS, S. Transparent and non-transparent languages. Folia Linguistica, v. 52, n. 1, 139-175, 2018.

HOLMBERG, A.; NAYADU, A.; SHEEHAN, M. Three partial null-subject languages: a comparison of a Brazilian Portuguese, Finnish and Maratti. Studia Linguistica, v. 63, n.1, p. 59-97, 2009.

KAISER, G. A. Sobre a (alegada) perda do sujeito nulo no português brasileiro. In: LOBO, T. et al. (Ed.). Novos dados, novas análises. Salvador: Edufba, 2006. t. 1. p. 11-42.

LEUFENS, S. The transparency of creoles. Journal of Pidgin and Creole Languages, Amsterdam, v. 28, n. 2, p. 323-362, 2013.

LEUFENS, S. Transparency in language: a typological study. Utrecht: LOT, 2015.

LOPES, C. R. S. Retratos da variação entre “você” e “tu” no português do Brasil: sincronia e diacronia. In: RONCARATI, C.; ABRAÇADO, J. (Org.). Português brasileiro II: contato linguístico, heterogeneidade e história. Niterói: EDUFF, 2008. v. 2. p. 55-71.

LOPES, C. R. S. A inserção de a gente no quadro pronominal do português. Frankfurt am Main/Madrid:Vervuert/Iberoamericana, 2003, v.18. p.174.

NORDHOFF, S. Transparency in Sri Lanka Malay. Linguistics in Amsterdam, v. 4, 96-110, 2011.

OMENA, N. P.; BRAGA, M. L. “A gente” está se gramaticalizando? In: MACEDO, A. T.; RONCARATI, C.; MOLLICA, M. C. (Org.). Variação e discurso. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996. p. 75 84.

RAPOSO, E. P. Teoria da gramática: a faculdade da linguagem. Lisboa: Caminho, 1992.

SEGUIN, L. Transparency and Language Contact: the Case of Haitian Creole, French and Fongbe. Linguistics in Amsterdam, v. 11, n. 2, p. 211-242, 2018.

TARALLO, F. Diagnosticando uma gramática brasileira: o português d’aquém e d’além-mar ao final do século XIX. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993. p. 69-105.

Downloads

Publicado

2021-04-19

Como Citar

GUERRA , A. R. Variação diacrônica do grau de transparência linguística do português brasileiro: o papel do aumento percentual da expressão pronominal do argumento-sujeito. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 63, n. 00, p. e021011, 2021. DOI: 10.20396/cel.v63i00.8657215. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8657215. Acesso em: 8 maio. 2021.