Inferências e atividades de leitura

cognição e metacognição em sala de aula

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/cel.v63i00.8660188

Palavras-chave:

Leitura, Metacognição, Inferência

Resumo

Pesquisas recentes que desenvolvemos sobre o ensino de leitura conduziram nossos olhares acerca da compreensão do processo de construção de inferências em função dos objetivos pretendidos em uma atividade de leitura. Nesse sentido, este artigo se volta para as possibilidades de o aluno acionar informações mais precisas para construir inferências pertinentes ao que se pretende alcançar numa atividade de leitura. Sabendo que a inferência deve ser compreendida como um processo cognitivo que pode ser administrado por meio de estratégias metacognitivas, pretendemos, assim, desenvolver esse trabalho em duas frentes: retomada de alguns pressupostos dos estudos em cognição para entender os processos cognitivos que possibilitam a construção de inferências, em especial, o de integração conceptual (FAUCONNIER e TURNER, 2002) e, também, apresentação de estudos em metacognição e leitura que nos possibilitem desenvolver estratégias de ensino que auxiliem os estudantes a acionar as informações necessárias para a construção organizada de inferências. Para isso, empregamos o modelo de processamento da informação em termos do desenvolvimento do aprendizado em três estágios: aquisição, retenção e recuperação de informações (NELSON e NARENS, 1990, 1994) e a apresentação de questões de leitura em função de níveis inferenciais (APPLEGATE et al., 2002) para, então, apresentarmos um protocolo de ensino que auxilie os docentes na elaboração e desenvolvimento de atividades de leitura.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Ferreira Botelho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora Doutora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil.

Diego da Silva Vargas, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professor Adjunto do Departamento de Didática da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Referências

APPLEGATE, M. D.; QUINN, K. B.; APPLEGATE, A. J. Levels of thinking required by comprehension questions in informal reading inventories. In: The Reading Teacher. (Vol. 56,2a ed., New Jersey: Wiley, 2002. pp. 174-180.

BOTELHO, Patricia Ferreira. Textos factuais e Problematizantes em livros Didáticos de História: uma abordagem metacognitiva. Dissertação de Mestrado em Letras Vernáculas. Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BOTELHO, Patricia Ferreira. Conhecimento prévio e atividades escolares de leitura – uma abordagem cognitiva e metacognitiva. Tese de Doutorado em Letras Vernáculas. Faculdade de Letras, UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.

BOTELHO, Patrícia Ferreira. Livros Didáticos, Ensino de Leitura e Conhecimento Prévio: os Estudos em Metacognição como suporte metodológico às atividades escolares em Língua Portuguesa. REVELLI – Revista de Educação, Língua e Literatura da UEG-Inhumas, v. 10, p. 112-134, 2018.

BOTELHO, Patrícia Ferreira; NEVES, Fabiana Esteves. Perspectivas metacognitivas e metalinguísticas para o ensino de leitura e escrita em língua materna. Revista do GELNE, v. 21, n. 2, p. 189-201, 2 set. 2019.

DELL’ISOLA, R. L. P. Leitura: inferências e contexto sociocultural. Belo Horizonte, MG: Formato, 2001.

DUQUE, Paulo H. Discurso e Cognição: uma abordagem baseada em frames. Revista da ANPOLL, v. 1, n. 39, p. 25-48, 2015.

DUQUE, Paulo H. Percepção, Linguagem e Construção de Sentidos: por uma abordagem ecológica da cognição. In: TENUTA, Adriana Maria; COELHO, Sueli Maria (org.). Uma Abordagem Cognitiva da Linguagem: perspectivas teóricas e descritivas. 1ed. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2018, p. 31-46.

FAUCONNIER, G.; TURNER, M. The way we think. New York, Basic Books, 2002.

FLAVELL, J. H. Metacognition and cognitive monitoring: A new area of cognitive developmental inquiry. American Psychologist, 34, 1979. pp. 906-911.

FULGÊNCIO, Lúcia.; LIBERATO, Yara. Como facilitar a leitura. São Paulo: Contexto, 2003.

GERHARDT, A. F. L. M. Os saberes acumulado e processual, a leitura e o desenvolvimento cognitivo. In: 54o SEMINÁRIO DO GEL – Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo, 2006, Araraquara, Anais... Araraquara, SP, Brasil, 2006.

GERHARDT, A. F. L. M. Learning in Cognitive Niches, In: KLOOS, H. (Ed.), InTech, Current Topics in Children's Learning and Cognition, 2012. Disponível em: http://www.intechopen.com/books/current-topics-in-children-s-learning-and-cognition/learning-in-cognitive-niches. Acessado em: 10 de junho de 2020.

GERHARDT, A. F. L. M.; VARGAS, D. S. A pesquisa em cognição e as atividades escolares de leitura. Trab. linguist. apl., vol.49, n.1, 2010, p.145-166.

KASTRUP, V. Conversando sobre políticas cognitivas e formação inventiva. In: DIAS, R. O. (org.). Formação inventiva de professores. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012. pp.52-60.

KATO, M. A. A aprendizagem da Leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. 8. ed. Campinas, SP: Pontes, 2001.

KLEIMAN, A. Texto e Leitor: Aspectos Cognitivos da Leitura. Campinas, SP: Pontes, 2010.

KORIAT, A. The Feeling of Knowing: Some metatheoretical implications for consciousness and control. In: Consciousness and Cognition 9, 2000. pp. 147–148.

NELSON, T. O.; NARENS, L. Metamemory: a theoretical framework and new findings. In: BOWER, G. (Ed.). The psychology of learning and motivation. San Diego: Academic Press, 1990, pp.125-167.

NELSON, T. O.; NARENS, L. Why investigate metacognition. In: METCALFE, J. e SHIMAMURA, A. P. (Ed.). Metacognition: knowing about knowing. Cambridge: MIT Press, 1994, pp.1-26.

SCHNEIDER, W.; LOCKL, K. The development of metacognitive knowledge in children and adolescents. In T. J. Perfect & B. L. Schwartz (Eds.). Applied Metacognition. Cambridge: University Press, 2002, pp. 224-257.

SINHA, C. Grounding, mapping and acts of meaning. Em: Janssen, T. e Redeker, G. (Eds.). Cognitive Linguistics: Foundations, Scope and Methodology. Berlin & New York: Mouton de Gruyter, 1999a. pp. 223-255.

SINHA. C. Situated Selves: learning to be a learner. In: Joan Bliss; Roger Sãljõ & Paul Light (coords.). Learning Sites: Social and Technological Resources for Learning. Oxford: Pergamon, 1999b, pp. 32-48.

TOMASELLO, Michael; RAKOCZY, Hannes. What makes human cognition unique? From individual to shared to collective intentionality. Mind and language, v. 18, n. 2, p. 121-147, abr. 2003.

VARGAS, Diego da Silva. Por uma visão cognitivista do processo de inferenciação em leitura. Ciências & cognição (UFRJ), v. 20, p. 313-330, 2015.

VARGAS, Diego da Silva. O plano inferencial de leitura e o ensino de espanhol na escola brasileira: cognição distribuída, políticas cognitivas e livro didático. Tese de Doutorado em Letras Neolatinas. Faculdade de Letras, UFRJ, Rio de Janeiro, 2017.

Downloads

Publicado

2021-02-25

Como Citar

BOTELHO, P. F.; VARGAS, D. da S. . Inferências e atividades de leitura: cognição e metacognição em sala de aula. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, SP, v. 63, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.20396/cel.v63i00.8660188. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8660188. Acesso em: 18 abr. 2021.