Sandro Borelli e a dramaturgia da violência

Autores

  • Gisela Doria Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v2i1.8647710

Palavras-chave:

Dança contemporânea. Dramaturgia. Cartografia.

Resumo

Esse artigo problematiza aspectos ligados à dramaturgia na dança contemporânea, tendo como eixo três obras do coreógrafo paulista Sandro Borelli. Em seu extenso diálogo com a obra de Kafka, Borelli levou para a cena seis coreografias inspiradas em textos originais. Foi feito um recorte a partir da Trilogia Kafka, composta pelas coreografias inspiradas nas obras homônimas: Metamorfose, Carta ao Pai e O processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gisela Doria, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). 

Referências

BARBA, Eugenio. Queimar a Casa. Origens de um Diretor. Sāo Paulo: Perspectiva, 2010.

BONFITTO, Matteo. O Ator Compositor. São Paulo: Perspectiva, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATARI, Felix. Kafka, Por uma Literatura Pobre. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

KAFKA, Franz. O processo. São Paulo: Companhia das Letras: 1997.

PASSOS, Eduardo e KASTRUP, Virginia. Pistas para o Método Cartográfico. Porto Alegre: Editora Sulina, 2010.

SADDI, Fatima. Título do capítulo. In: NORA, Sigrid (Org). Temas para Dança Brasileira. São Paulo: Edições SESC SP, 2010.

Downloads

Publicado

2013-07-10

Como Citar

Doria, G. (2013). Sandro Borelli e a dramaturgia da violência. Conceição/Conception, 2(1), 33–40. https://doi.org/10.20396/conce.v2i1.8647710