Performance Social versus Arte: hibridações poéticas

Elder Sereni Ildefonso, Gabriela Pereira Fregoneis

Resumo


Este artigo tem como intuito discutir e re etir sobre questões inerentes às problemáticas da performance social, mais especificamente as derivações e zonas de fronteira com a arte. É fator importante, nas argumentações, um olhar para a América Latina, tão produtiva neste campo de ação e ainda com pouca visibilidade em nosso território. Na composição teórica serão utilizados os conceitos “chaveamento” de Erving Goffman e a “liminaridade” de Victor Turner. 


Palavras-chave


Performance. Intervenções artísticas. Arte e sociedade.

Texto completo:

PDF

Referências


CARLSON, Marvin. Performance: uma introdução crítica. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009.

DAWSEY, John C. Turner. Benjamin e antropologia da performance: o lugar olhado (e ouvido) das coisas. CAMPOS - Revista de Antropologia Social, v. 7, n. 2, 2006.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo, Martins Fontes. 2010.

GASTALDO, Édison. Goffman e as relações de poder na vida cotidiana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 23, n. 68, outubro/2008.

OLIVEIRA, Lúcia Maciel Barbosa de. Corpos indisciplinados. Ação cultural em tempos de biopolítica. Editora Beca São Paulo, 2007.

SARTIN, Philippe Delfino. Sobre liminaridade: relendo Victor Turner em chave pós-estrutural. Revista de Teoria da História, v. 6, n. 2, 2011.

TURNER, Victor. O processo ritual. Petrópolis: Vozes, 1974.




DOI: https://doi.org/10.20396/conce.v5i2.8648045

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Conceição | Conception

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons