A performance como ética ecológica do enfrentamento

iniciativas dissidentes para repensar as noções de gênero a partir da ação “Arqueologia do Lixo”

Palavras-chave: Gêneros dissidentes, Existência e performance, Ética-estética

Resumo

Esse texto visa a debater as questões de gênero, existência, ética e criação a partir da iniciativa “Arqueologia do lixo”, programa de montação drag proposto por uma travesti não-binária. Utilizo-me das discussões de ética tecidas por Suely Rolnik (1990) em diálogo com Félix Guattari (1990). Busco entender como a performance age como um dispositivo para a afirmação de existências dissidentes e como o friccionar dos paradigmas éticos potencializa as ações performativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Levi Mota Muniz, Universidade Federal do Ceará

Mestrando em Arte no Programa de Pós-Graduação em Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialista em Metodologia do Ensino da Arte pela Universidade Braz Cubas (UBC).

 

 

Referências

ARTAUD, Antonin. O Teatro e seu Duplo. São Paulo. Martins Editora, 2006, p. 101-116.

COHEN, Jeffrey. A cultura dos monstros: sete teses. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Pedagogia dos monstros - Os prazeres e os perigos da confusão de fronteiras. Tradução de Tomaz Tadeu as Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p. 23-60.

COUTO, Mia. E se Obama fosse africano? e outras intervenções. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que Vemos o que nos Olha. Rio de Janeiro: Editora 34, 2010.

FABIÃO, Eleonora. Programa Performativo: o corpo-em-experiência. Revista Ilinx, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, n. 4, p. 1-11, dez. 2013.

FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2004.

GUATTARI, F. As três ecologias. Campinas, SP: Papirus, 1990.

HASEMAN, Brad. Manifesto pela Pesquisa Performativa. Sao Paulo: Canal 6 Editora. Resumos do Seminário de Pesquisas em Andamento PPGAC/USP, 2015.

MOMBAÇA, Jota. Rastros de uma Submetodologia Indisciplinada. Concinnitas, ano 17, volume 01, número 28, 2016, p. 334-354

MOURÃO, Rui. Performances artivistas: incorporação duma estética de dissensão numa ética de resistência. Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 4, n. 2, 2015.

PEDRON, Denise. Performance e escrita performática. In: Cadernos de subjetividade/Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. São Paulo: O Núcleo, 1993. Edição 2013.

POCAHY, Fernando. Micropolíticas Queer: Dissidências em Pesquisa. Revista Textura (ULBRA). 2015. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/viewFile/2200/1936. Acesso em 14 out. 2019.

ROLNIK, Suely. Para uma ética de real. Jornal do Brasil: Caderno Idéias/Livros, 1990.

SAQUET, Marcos Aurelio; SILVA, Sueli Santos da. MILTON SANTOS: concepções de geografia, espaço e Território. Geo UERJ - Ano 10, v.2, n.18, 2008, p. 24-42.

SCHOPENHAUER, Arthur. O vazio da existência. Trad. de André Díspore Cancian. Disponível em: http://imagomundi.com.br/filo/schopenhauer_vazio.pdf. Traduzido de The Project Gutenberg eBook, The Essays of Arthur Schopenhauer; Studies in Pessimism, by Arthur Schopenhauer. Translated by T. Bailey Saunders, 2014. Acesso em: 31 de agosto de 2019.

Publicado
2019-12-12
Como Citar
Mota Muniz, L. (2019). A performance como ética ecológica do enfrentamento. Conceição/Conception, 8(2). https://doi.org/10.20396/conce.v8i2.8656245