Ações performativas para ativar um perspectivismo artístico entre antropoceno e antropofagia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8667275

Palavras-chave:

Antropofagia, Perspectivismo artístico, Cosmopolítica da cena

Resumo

Diante dos desafios ao corpo e ao planeta na era do Antropoceno, uma outra cosmopolítica da cena é possível? Esse artigo traz a Antropofagia como contraponto para propor um perspectivismo artístico, nos termos do perspectivismo ameríndio delineado por Viveiros de Castro. Os contornos de “antropo-cena” são articulados à ações performativas do Projeto Technologically Expanded Performance (TEPe) composto por um grupo de artistas e pesquisadores situados em dois continentes e uma ilha atlântica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Gonçalves, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas. Doutora em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa. Docente da Universidade Federal do Ceará.  

Referências

ANDRADE, Oswald. A utopia antropofágica. São Paulo: Globo, 2011.

ANTUNES, Rui Filipe; TÉRCIO, Daniel; BORDALO E SÁ, Sérgio. Sincroni-cidades: Um Percurso partilhado em confinamento. Universidade do Minho: Guimarães. 2020.

BARCELOS, Eduardo Álvares da Silva. Antropoceno ou Capitaloceno: Da simples disputa semântica à interpretação histórica da crise ecológica global. In: Revista Iberoamericana de Economia Ecológica. v. 31, n. 1: 1-17, 2019. Disponível em: https://redibec.org/ojs/index.php/revibec/article/view/356/222. Acesso em: 14 out. 2021.

DANOWSKI, Déborah e VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há um mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins. Florianópolis: Desterro, 2014.

DELEUZE, Gilles. Cursos sobre Spinoza (Vincennes, 1978-1981). Fortaleza: EdUECE, 2009.

FABRINI, Verônica. Sul da cena, sul do saber. In: Revista Moringa, artes do espetáculo, João Pessoa, 4(1), p. 11-25, 2013.

GONÇALVES, Thaís. Dança-mundo: uma composição de corpos, histórias e processos educacionais. Caderno pedagógico, Lajeado, v. 8, n. 1, p. 7-22, 2011.

GONÇALVES, Thaís. (Thaís Gonçalves Rodrigues da Silva). Sensorialidades antropofágicas: saberes do sul na dança contemporânea. Tese (Doutorado em Artes, Co-tutela) – Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa, Lisboa e Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

KRENAK, Ailton, Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LEFEBVRE, Henri. Rhythimanalysis: space, time and everyday life. London/New York: Continuum, 2004.

PELBART, Peter Pál. A vida desnuda. In: GREINER, Christine e AMORIN, Claudia (Orgs), Leituras da Morte. São Paulo: Annablume, 2007.

ORTEGA Y GASSET, José. A desumanização da arte. São Paulo: Cortez, 2008.

SUQUET, Annie. CENAS – O corpo dançante: um laboratório da percepção. In: COURTINE, Jean-Jacques (Dir.). História do Corpo: As mutações do olhar. O século XX (vol. 3). (509-539). Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Metafísicas canibais: Elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Que tempos nós com isso? (Prefácio). In: AZEVEDO, Beatriz. Antropofagia – Palimpsesto selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2016.

Publicado

2021-12-21

Como Citar

Gonçalves, T. (2021). Ações performativas para ativar um perspectivismo artístico entre antropoceno e antropofagia . Conceição/Conception, 10(00), e021017. https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8667275

Edição

Seção

Artigos Temáticos