Banner Portal
O ato de inventariar práticas artístico-pedagógicas através de três companhias de teatro de Maringá-PR
PDF

Palavras-chave

Pedagogia do teatro
Inventário artístico-pedagógico
Políticas culturais públicas

Como Citar

ROSA, André; GOMES, Sidmar; LUPION, Samara. O ato de inventariar práticas artístico-pedagógicas através de três companhias de teatro de Maringá-PR. Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 11, n. 00, p. e022007, 2022. DOI: 10.20396/conce.v11i00.8668144. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8668144. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

A reflexão que fizemos se centrou em aspectos sociais, políticos, culturais e existenciais do ato de arquivar práticas artístico-pedagógicas. Com uma análise interseccional, focamos em algumas produções artísticas contemporâneas de três companhias de teatro da cidade de Maringá-PR, sendo elas: Grupo Pau de Fita (1975), Circo Teatro Sem Lona (1996) e Cia Tipos&Caras (1982). Por conta da pandemia e de uma metodologia analítica-discursiva-performativa, decidimos por entrevistas com integrantes das companhias pela plataforma Google Meet, acessando, também, outros relatos e materiais coletados no espaço digital. Ao assumirmos a posição de arquivistas performáticas, acabamos por inventariar rastros da permanência ou desaparecimento das companhias e suas produções no campo da arte e educação.

https://doi.org/10.20396/conce.v11i00.8668144
PDF

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. Tradução Julia Romeu. São Paulo, Companhia das Letras, 2019.

AGRA, Lúcio José de Sá Leitão. Performance e documento, ou o que chamamos por esses nomes?. Revista Brasileira de Estudos da Presença, v. 4, p. 60-69, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbep/a/DvbTpB7DLDbSFDxzLtN3Wgr/?format=pdf&lang=pt. Acessado em: 20 de ago. de 2020.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista de Arquivo Público Mineiro, Minas Gerais, p. 27-39, 2009. Disponível em: http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pdf/2009-2-A02.pdf. Acessado em: 04 de dez.de 2020.

CASTRO, Celso. Pesquisando em arquivos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed., 2008.

CULT, Quebrada. Como pensar políticas públicas por meio da cultura? feat. Ciça Pereira 002. Youtube, 2021. Disponível em: https://youtu.be/1k0y6dvBpiE. Acessado em: 30 de abr. de 2021.

EMICIDA: AmarElo - É Tudo Pra Ontem. Direção: Fred Ouro Preto. Produtor: Evandro Fióti. Brasil: Netflix, 2020.

FONSECA, V.M.M A.C.L.S.; SOUZA, E.G.; COELHO. A performance na sociedade de história: relações com o documento, com a informação e com a memória. Encontros Bibli - Revista de Biblioteconomia e Ciências da Informação, v. 24, n. 56, p. 01-17, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2019.e65042/40793. Acessado em: 13 nov. de 2020.

GAROIAN, Charles. Performance artística como pedagogia da resistência. Porto Alegre: Educação Artística: Taçados Contemporâneos, p. 61-65, 2003.

JONES, Amelia. Presença In Absentia: a experiência da performance como documentação. Trad. Ana Ban. eRevista Performatus, Inhumas, ano 1, n. 5, 2013 (1ª ed. 1997). Disponível em: https://performatus.com.br/traducoes/presenca-in-absentia/. Acessado em: 18 de fev. de 2021.

LENIN, Vladimir Ilitch. O Estado e a Revolução. Campinas-SP, FE/UNICAMP, 2011.

MARQUES, Ana Martins. O livro das semelhanças. São Paulo, Companhia das Letras, 2015.

NEVES, D.Q.; BIANCALANA, G.R.; SANTOS, N.C. Possibilidades da imagem: A arte da performance e a extensão do registro. ANPAP Anais, Rio de Janeiro, 2011 Disponível em: http://www.anpap.org.br/anais/2011/pdf/chtca/daniele_quiroga_neves.pdf. Acessado em: 25 de set. de 2020.

PEREIRA, Ana Carolina Torrente. A relação da segregação urbana e desigualdades educacionais nos municípios de Maringá, Paiçandu e Sarandi - PR. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2013. Disponível em: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/311. Acessado em: 20 de nov. de 2020.

ROLNIK, Suely. Furor de Arquivo. Arte&Ensaios, Rio de Janeiro, v. 24, p. 96-105, 2012. Disponível em: https://www.ppgav.eba.ufrj.br/wp-content/uploads/2012/01/ae22_Suely_Rolnik.p. Acessado em: 04 de nov. de 2020.

ROSA, André. Tran(S)arau: do pulso à virilha e os arquivos em convivialidades. In: corpxs sem pregas: performance, pedagogia e dissidências sexuais anticoloniais. Tese (Doutoramento em Estudos Artísticos) - Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra. Coimbra, p. 347, 2017. Disponível em: https://eg.uc.pt/handle/10316/42728. Acessado em: 10 de out. de 2020.

SCHNEIDER, Rebecca. El performance permanece. Trad. Ricardo Rubio, Alcira Bixio, Ma. Antonieta Cancino, Silvia Peláez. Em: Taylor, Diana e Fuentes, Marcela (eds.) Estudios Avanzados de la Performance. México: FCE, Instituto Hemisférico de Performance y Política, Tisch School of the Arts, New York University, 2011, p. 215-240.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Conceição/Conception

Downloads

Não há dados estatísticos.