Banner Portal
A céu aberto
PDF

Palavras-chave

Teatro comunitário
Resistência
A(r)tivismo

Como Citar

ZANETE, Renata. A céu aberto: um exercício de teatro comunitário, entre as forças da natureza, a ancestralidade do mundo rural e a (necessária) resistência diante da iminência da destruição avassaladora da mineração capitalista. Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 11, n. 00, p. e022013, 2022. DOI: 10.20396/conce.v11i00.8671126. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8671126. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O artigo apresenta o processo de criação em teatro comunitário do espetáculo A Céu Aberto, pelo grupo de Teatro do Campo, da Associação Cultural Rural Vivo, realizado em Terras de Bouro, Portugal, entre fevereiro e junho de 2022. A montagem reflete sobre o ataque à ancestralidade do mundo rural, na iminência do avanço capitalista, pela almejada exploração do lítio. Assinalamos que a resistência vem sendo empreendida pelas populações locais e por diversos coletivos de ativistas. O Teatro do Oprimido de Augusto Boal e alguns princípios do Teatro Comunitário orientaram a criação dramática, a partir da análise de alguns jogos de força e poder que se colocam no panorama atual da exploração mineira, num contexto de crise ambiental. Experimentações cênicas foram realizadas, em torno de situações e conflitos pesquisados nos meios de comunicação e também com populações afetadas pela mineração, num passado recente. Para a trilha sonora selecionamos músicas já existentes, e também criamos algumas letras e melodias novas e paródias, cantadas pelos atores. Uma visão cosmopolítica ampara nosso olhar na análise do fenônemo da exploração mineira em ambientes rurais. O conceito de a(r)tivismo não fez parte dos pressupostos que nutriram o processo criativo. Entretanto, parece-nos apropriado, para situar o espetáculo teatral produzido, o ponto de vista que defende, e a dimensão crítica que imagina que o público possa desenvolver, a partir da fruição.

https://doi.org/10.20396/conce.v11i00.8671126
PDF

Referências

ALADRO-VICO, Eva. JIVKOVA-SEMOVA, Dimitrina, e BAILEY, Olga. Artivismo: Un nuevo lenguaje educativo para la acción social transformadora. Comunicar, Espanha, 57, p. 09-18, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.3916/C57-2018-01. Acesso em: 11 nov. 2022. ISSN 1141-3478

A MINA. Programa do espetáculo. Direção artística André Amálio e Tereza Havlícková. Teatro Carlos Alberto, Porto. 15-19 de junho, 2022.

BERGSON, Henri. O riso. Ensaio sobre a significação do cómico. Lisboa: Relógio D’Água, 2019. 126 p. ISBN 978-989-641-958-5

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998. 347 p. ISBN 85-200-0118-1

CRUZ, Hugo, BEZELGA, Isabel e MENEZES, Isabel. Para uma tipologia da participação nas práticas artísticas comunitárias: a experiência de três grupos teatrais no Brasil e Portugal. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 10, n. 2, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2237-266089422. Acesso em: 08 set. 2022.

HAYSOM, Peter. “Estes povos pastoris”: entre a aldeia de Vilarinho da Furna e a literatura de Miguel Torga. Cadernos de Literatura Comparada. Porto, n. 38 – 6/ 2018. p. 247-270. Disponível em: http:/dx.doi.org/10.21747/21832242/litcomp38a14. Acesso em: 22 set. 2022. ISSN 2183-2242

LAMAS, Maria. As mulheres do meu país. Lisboa: Caminho, 2002. 471 p. ISBN 972-21-1491-3

LIBA, Claudia Maria, ROCHA, Hellen e CASTRO, Mary Lobas. Mineração de lítio, percepção ambiental em Divisa Alegre-MG: desenvolvimento para quem? XXII ENGEMA – Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente. Novembro, 2020. Disponível em: http://engemausp.submissao.com.br/22/anais/arquivos/53.pdf?v=1663840451. Acesso em: 22 set. 2022. ISSN 2359-1048

NÚCLEO EXPOSITIVO DA TORRE DE MENAGEM DO CASTELO DE LINDOSO. Ponte da Barca, 2022.

STENGERS, Isabelle. A proposição cosmopolítica. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 69, abr. 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i69p442-464. Acesso em: 06 set. 2022.

VIEIRA, Teresa de Jesus Batista. Artivismo. Estratégias artísticas contemporâneas de resistência cultural. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Belas Artes - Universidade do Porto, Porto, 2007.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Conceição/Conception

Downloads

Não há dados estatísticos.