Interação no curso das ações de saque e bloqueio no voleibol juvenil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v12i3.2158

Palavras-chave:

Ação, Saque, Bloqueio, Voleibol

Resumo

Nesse estudo analisou-se a interação no curso das ações de saque e bloqueio na categoria Juvenil masculino e feminino de Voleibol. Foram analisados quatro jogos da categoria juvenil masculina e cinco jogos da feminina, totalizando 31 set’s e 13.665 registros de cenas. Para o saque, analisou-se a eficácia; para o bloqueio, a eficiência e ajustamento, composição e compactação e a eficácia. Analisou-se também o número de atacantes mobilizados, tempo de bola e posição do ataque. Foi realizada uma estatística descritiva utilizando-se de frequência absoluta, frequência relativa e moda como medida de tendência central. Os valores de acordo inter e intra observadores foram superiores a 80%. Observou-se que no masculino as equipes utilizaram mais de ataques de 3º tempo, sendo recorrente marcação de bloqueios duplos coesos, com a relação bloqueio/defesa apresentando falhas e com poucas ações de distribuição frequente de ataques pelas três posições da zona de ataque. No feminino fez-se uso de saques com maiores eficácias, sendo recorrente o recuo do bloqueio. Os levantamentos de 3º tempo foram mais requisitados, com a marcação de ponto ou continuidade da jogada sendo as mais frequentes nas partidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique de Oliveira Castro, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestrando em Ciências do Esporte - EEFFTO/UFMG; Membro do Centro de Estudos em Cognição e Ação - CECA/UFMG.

Ivan Cavalli, Universidade Federal de Minas Gerais

Especialista em Treinamento Esportivo - EEFFTO/UFMG

Cristino Julio Alves da Silva Matias, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Ciências do Esporte - EEFFTO/UFMG; Membro do Centro de Estudos em Cognição e Ação - CECA/UFMG.

Pablo Juan Greco, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Doutor do Departamento de Esportes - EEFFTO/UFMG; Coordenador do Centro de Estudos em Cognição e Ação - CECA/UFMG.

Referências

ARAÚJO, D. O Desenvolvimento da competência táctica no desporto: o papel dos constrangimentos no comportamento decisional. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 3, p. 537-540, 2009.

DE ROSE JR., D.; SILVA, T. A. F. As Modalidades esportivas coletivas (MEC): história e caracterização. In: DE ROSE JR., D. (Org.). Modalidades esportivas coletivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

CANOSSA, S. et al. Indicadores táctico-técnicos de sucesso do jogo de polo aquático de elite. Brazilian Journal of Biomotricity, v. 3, n. 3, p. 209-219, 2009.

GARGANTA, J. Análise da performance nos jogos desportivos: revisão acerca da análise do jogo. Revista Portuguesa de Ciencias do Desporto, Porto, v. 1, n. 1, p. 57-64, 2001.

BORIN, J. P. et al. Indicadores de desempenho e percepção subjetiva do esforço entre técnico e atletas de voleibol. Brazilian Journal of Biomotricity, v. 4, n. 2, p. 123-130, 2010.

LIMA, C. O. V.; COSTA, G. D. C. T.; GRECO, P. J. Conhecimento tático no voleibol: estudos e pesquisas na área. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 13-20, 2010.

COLLET, C. et al. Construção e validação do instrumento de avaliação do desempenho técnico-tático no voleibol. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 43-51, 2011.

LIMA, C. O. V.; MATIAS, C. J. A. S.; GRECO, P. J. O conhecimento tático produto de métodos de ensino combinados e aplicados em sequências inversas no voleibol. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 129-147, 2012.

MARCELINO, R.; MESQUITA, I.; SAMPAIO, J. Estudo dos indicadores de rendimento em voleibol masculino em função do número do set. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 16, n. 3, p. 1-24, 2008.

GIL ARIAS, A. et al. Análisis de la eficacia del saque de voleibol en categoría de formación. Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y el Deporte, v. 11, n. 44, p. 721-737, 2011.

ARAÚJO, P. A.; RIBAS, J. F. M. A primeira linha de defesa no voleibol: o bloqueio. Lecturas, Educacíon Física y Deportes, v. 13, n. 124, 2008.

MOUTINHO, C. A. O ensino do voleibol: a estrutura funcional do voleibol. In: GRAÇA, A.; OLIVEIRA, J. (Org.). O ensino dos jogos desportivos. Porto: FCDEF, 1998. p. 137–152.

AFONSO, J.; MESQUITA, I.; MARCELINO, R. Estudo de variáveis especificadoras da tomada de decisão na organização do ataque no voleibol feminino. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 8, n. 1, p. 137-147, 2008.

RAMOS, M. H. K. P. et al. Estrutura interna das ações de levantamento das equipes finalistas da superliga masculina de voleibol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 12, n. 4, p. 33-37, 2004.

MATIAS, C. J. A. S.; GRECO, P. J. Conhecimento tático-estratégico dos levantadores brasileiros campeões de voleibol: da formação ao alto nível. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 513-535, 2011.

GUERRA, I.; MESQUITA, I. As regularidades na aplicação do remate por zona 4 em voleibol em função das zonas alvos de ataque. Estudo aplicado no campeonato do mundo de cadetes feminino. In: MESQUITA, I.; MOUTINHO, C.; FARIA, R. Investigação em voleibol: estudos ibéricos. Porto: FCDEF, 2003.

VAN DER MARS, H. Observer reliability: issues and procedures. In: DARTS, P.; ZAKRAJSEK, D.; MANCINI, V. (Org.). Analysing physical education and sport instruction. 2nd ed. Champaing: Human Kinetics, 1989.

LOMBARDI, G.; VIEIRA, N. S.; DETANICO, D. Efeito de dois tipos de treinamento de potência no desempenho do salto vertical em atletas de voleibol. Brazilian Journal of Biomotricity, v. 5, n. 4, p. 230-238, 2011.

ROCHA, C. M.; BARBANTI, V. J. Uma análise dos fatores que influenciam o ataque no voleibol masculino de alto nível. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 303-314, 2004.

CASTRO, J.; MESQUITA, I. Estudo das implicações do espaço ofensivo nas características do ataque no voleibol masculino de elite. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 8, n. 1, p. 114-125, 2008.

COSTA, G. et al. Relação entre o tempo, o tipo e o efeito do ataque no voleibol masculino juvenil de alto nível competitivo. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 12, n. 6, p. 428-434, 2010.

MESQUITA, I.; MARQUES, A.; MAIA, J. A relação entre a eficiência e a eficácia no domínio das habilidades técnicas em voleibol. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 1, n. 3, p. 33–39, 2001.

Downloads

Publicado

2014-11-17

Como Citar

CASTRO, H. de O.; CAVALLI, I.; MATIAS, C. J. A. da S.; GRECO, P. J. Interação no curso das ações de saque e bloqueio no voleibol juvenil. Conexões, Campinas, SP, v. 12, n. 3, p. 34–54, 2014. DOI: 10.20396/conex.v12i3.2158. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/2158. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)