Banner Portal
Qualidade de vida de mulheres que realizaram cirurgias de mama
PDF

Palavras-chave

Neoplasias da mama
Qualidade de vida
Mastectomia radical

Como Citar

BANKOFF, Antonia Dalla Pria. Qualidade de vida de mulheres que realizaram cirurgias de mama. Conexões, Campinas, SP, v. 12, n. 1, p. 42–58, 2014. DOI: 10.20396/conex.v12i1.2180. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/2180. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Foram estudadas 20 mulheres faixa etária com média de idade 57,7 anos, sendo 09 com cirurgia do tipo quadrantectomia unilateral, 01 com cirurgia tipo quandrantectomia bilateral e 10 com cirurgia mastectomia radical unilateral. A média do tempo de cirurgia foi de 9,8 (nove anos e oito meses). O estudo sobre a Qualidade de Vida foi realizado com mulheres que se submeteram a esta cirurgia num período acima de seis meses de cirurgia. Resultados: As dificuldades estão mais relacionadas com tarefas do dia a dia, como por exemplo, erguer o braço, movimentá-lo em diversas direções, diminuição da força muscular, dor, inchaço e outras dificuldades ficando na dependência de uma segunda pessoa. Além das dificuldades foram relatadas outras referentes ao emocional: medo, tristeza, choro, medo da cirurgia e da quimioterapia, câncer assusta, ficar sem cabelo, aspecto físico, os remédios engordam, fiquei fria na relação sexual, separação no casamento, depressão e outros. Conclusão: Todas elas responderam viver melhor hoje e enxergam a vida diferente, ou seja, pensam mais em si mesmas e valorizam mais a vida.

https://doi.org/10.20396/conex.v12i1.2180
PDF

Referências

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Estimativa 2008: incidência de câncer no Brasil. Disponível em: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=1793. Acesso em 18 de jan. 2013.

VENÂNCIO, J. L. Importância da atuação do psicólogo no tratamento de mulheres com câncer de mama. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 50, n. 1, p. 55-63, 2004.

ENGEL, J. et al. Quality of life following breast-conserving therapy or mastectomy: results of a 5-year prospective study. Breast Journal, Malden, v. 10, n. 3, p. 223-231, 2004.

GOODWIN, P. J. et al. Health-related quality-of-life measurement in randomized clinical trials in breast cancer-taking stock. Journal of National Cancer Institute, Bethesda, v. 95, n. 4, p. 263-281, 2003.

Conde, D. M. et al. Qualidade de vida de mulheres com câncer de mama. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Rio de Janeiro, v. 28, n. 3, p. 195-204, 2006.

BANKOFF, A. D. P. et al. Programa de convivência e atividade física na Unicamp: responsabilidade social em ação. In: VILARTA, R. (Org.). Qualidade de vida e fadiga institucional. Campinas: Prisma Printer Gráfica e Editora Ltda., p. 151-169, 2006.

NOBRE, M. R. C. Qualidade de vida. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, São Paulo, v. 64, n. 4, p. 299-300, 1995.

BAIDER, L. et al. Effects of age on coping and psychological distress in women diagnosed with breast cancer: review of literature and analysis of two different geographical settings. Critical Reviews in Oncology/Hematology, Boca Raton, v. 46, n. 1, p. 5-16, 2003.

AVIS, N. E.; CRAWFORD, S.; MANUEL, J. Quality of life among younger women with breast cancer. Journal of Clinical Oncology, Alexandria, v. 23, n. 15, p. 3322-3330, 2005.

GUPTA, P. et al. Menopausal symptoms in women treated for breast cancer: the prevalence and severity of symptoms and their perceived effects on quality of life. Climacteric: the journal of the International Menopause Society, England, v. 9, n. 1, p. 49-58, 2006.

SPEER, J. J. et al. Study of sexual functioning determinants in breast cancer survivors. Breast Journal, Malden, v. 11, n. 6, p. 440-447, 2005.

MACHADO, S. M.; SAWADA, N. O. Avaliação da qualidade de vida de pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico adjuvante. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 750-757, 2008.

SALES, C. A. C. et al. Qualidade de vida de mulheres tratadas de câncer de mama: funcionamento social. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 47, n. 3, p. 263-272, 2010.

BANKOFF, A. D. P. Kinesiologic study of shoulder joints and acromioclavicular joint in women undergoing unilateral breast surgery of the type mastectomy and quadrantectomy. Surgery, New York, v. 2, n. 2, p. 2012.

GANZ, P. A. et al. Quality of life in long-term, disease-free survivors of breast cancer: a follow-up study. Journal of National Cancer Institute, Bethesda, v. 94, n. 1, p. 39-49, 2002.

KATHLEEN, W. S. et al. Quality of life in long term breast cancer and gynecology survivors treated with breast conserving therapy: impact of age at therapy. Breast Cancer Research and Treatment, Holand, v. 92, n. 3, p. 217-222, 2005.

HOLMES, M. D. et al. Physical activity and survival after breast cancer diagnosis . JAMA: the Journal of the American Medical Association, v. 293, n. 20, p. 2479-2486, 2005.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.