Estilo de vida e aptidão física de adolescentes antes e após a prestação do serviço militar obrigatório

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v13i4.8643431

Palavras-chave:

Estilo de Vida, Aptidão física, Adolescentes, Serviço Militar

Resumo

O objetivo do estudo foi comparar os níveis de aptidão física (AF) e o estilo de vida (EV) de 47 recrutas com média de idade de 19,2+0,4 anos do sexo masculino engajados na prestação do serviço militar obrigatório (SMO). O EV dos recrutas foi avaliado por meio do instrumento retrospectivo de auto recordação. Foram utilizados os testes de 12 minutos, flexibilidade, força potência de membros inferiores, velocidade de deslocamento, resistência muscular, flexão e extensão de braços, e agilidade para avaliar a AF. Os jovens foram avaliados antes e após a prestação do SMO. Sobre o consumo de bebida alcoólica, houve uma redução no percentual de jovens que faziam “consumo pesado” do álcool, por conseguinte houve diminuição da quantidade de jovens que diziam “não fazer uso regular” do pré para o pós e houve aumento no percentual de jovens que faziam “uso regular”. Quanto ao tabagismo, a grande maioria dos jovens não fazia uso (90,9%) e esse percentual se manteve no pós teste. Não houve redução do pré para o pós no percentual de jovens que fazia “uso regular”. Em relação à AF, observou-se melhora do pré para o pós-teste apenas na resistência aeróbia (p=0,003), na velocidade (p<0,001) e agilidade (p<0,033).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naildo Santos Silva, Universidade Regional do Cariri

Graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pelo Instituto Federal de Educação - IFCE, Campus Juazeiro do Norte - CE, (2011). Possui Pós Graduação em Fisiologia do Exercício e Grupos Especiais pela Faculdade Leão Sampaio (2011). Atualmente é professor temporário da Universidade Regional do Cariri - Campus Iguatu com carga horária de 40h semanais. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Metodologia dos Esportes. Atua principalmente nas áreas de Aptidão Física Relacionada a Saúde, Qualidade de Vida, Estilo de vida, Aprendizagem Motora, Desenvolvimento Motor e Pesquisa Científica. Atualmente ministra as disciplinas de Monografia, Aprendizagem Motora, Desenvolvimento Motor. Membro pesquisador do grupo de pesquisa em Desenvolvimento Motor e Saúde da Criança e do Adolescente.

Glauber Carvalho Nobre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduado em Educação Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Especialista em Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo pela Universidade Castelo Branco - Rio de Janeiro - UCB. Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Doutorando em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Membro do grupo de Avaliações e Intervenções Motoras da UFRGS e Desenvolvimento Motor e Saúde da Criança e do Adolescente do IFCE. Atua nas linhas de Cineantropometria, Psicologia do Esporte e do Exercício e Comportamento Motor. Estuda aspectos do desenvolvimento de crianças e adolescentes.

Cícero Luciano Alves Costa, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Belo Horizonte, Minas Gerais

Mestre em Ciências do Esporte na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG, na linha de pesquisa de Aquisição de Habilidades Motoras. Graduado em Licenciatura em Educação Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, Campus de Juazeiro do Norte. Especialista em Educação Física Escolar e membro do Grupo de Estudos em Desenvolvimento Motor e Saúde da Criança e do Adolescente e do Grupo de Estudos em Desenvolvimento e Aprendizagem Motora - GEDAM. Possui experiência em Avaliação Física, e realiza estudos na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar, Desenvolvimento Motor Humano e Aprendizagem Motora.

Rafaela Bertoldi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduação em Psicologia pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2007), especialização em Pedagogia nas Organizações Empresariais e Sociais pela URI - Campus de Erechim (2009), especialização em Educação Especial com Ênfase em Deficiência Mental pela IDEAU (2010) e especialização em Psicologia do Esporte e do Exercício Físico pela FEEVALE (2011). Mestre em Ciências do Movimento Humano (UFRGS). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da UFRGS, na linha de pesquisa Representações Sociais do Movimento Humano (início 2015). É membro do Núcleo de Estudos em História do Esporte e da Educação Física (NEHME) da UFRGS e do Núcleo de Estudos em Pedagogia e Psicologia do Esporte da UFRGS. Tem experiência na área de psicologia do esporte e psicologia escolar.

Francisco Salviano Sales Nobre, Instituto Federal do Ceará

Formado em Educação Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Especialista em Ciências do Esporte pela Universidade do Grande ABC (UNIABC). Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Paulo Felipe Ribeiro Bandeira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduado em Educação Física pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia - Campus Juazeiro do Norte.Especialista em Docência do Ensino Superior-Faculdade Integradas de Patos-PB-FIP. Mestrado e Doutorado em Andamento em em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

Referências

FARIAS JÚNIOR, J. et al. Comportamentos de risco à saúde em adolescentes no Sul do Brasil: prevalência e fatores associados. Revista Panamericana de Salud Publica, Washington, v. 25, n. 4, p. 344–352, 2008.

ROLIM, M. K. S. B. Auto-eficácia, estilo de vida e desempenho cognitivo de adolescentes ativos e sedentários. 2007. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) – Centro de Educação Física, Fisioterapia e Desportos, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

VIEIRA, V. R.; PRIORE, S. E; FISBERG, M. A atividade física na adolescência. Adolescencia Latinoamericana, Porto Alegre, v. 13, n.1, ago. 2002. Disponível em: http://raladolec.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141471302002000100007&lng=es&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: nov. 2010.

GUEDES, D. P. et al. Níveis de prática física habitual em adolescentes. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 7, n. 6, 2001.

BRASIL. Ministério da Defesa. Exército Brasileiro. Estado Maior do Exército. Manual de campanha: treinamento físico militar; C 20-20. Brasília, 2002.

BRASIL. Ministério do Exército. Estado Maior do Exército. Portaria n: 32, de 31 de março de 2008. Aprova a diretriz para o treinamento físico militar do exército e sua avaliação. Brasília, 2008.

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (ACSM). Manual do ACSM para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

THE PRESIDENT'S COUNCIL ON FITNESS, SPORTS & NUTRITION. National School Population Fitness Survey: spurs the development of the National Physical Fitness Awards. Disponível em: http://www.fitness.gov/about-pcfsn/our-history/.

ROCHA, C. R. G. et al. Relação entre nível de atividade física e desempenho no teste de avaliação física de militares. Revista de Educação Física, Rio de Janeiro, v. 142, p. 19-27, set. 2008.

SERVIÇO MILITAR: valorização do serviço militar. Tiro de Guerra 07-021 Pombal – PB. Disponível em: http://tgpombal.blogspot.com/2010/06/servico-militar.html. 2010. Acesso em: 20 jun. 2010.

FARIAS JUNIOR, J. C. Estilo de vida de escolares do ensino médio no município de Florianópolis, Santa Catarina. 2002. Dissertação (Mestrado em Atividade Física Relacionada à Saúde) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

AMERICAN ALLIANCE FOR HEALTH, (AAHPERD). Physical education, recreation, and dance physical best. Washington, 1988.

POLLOCK, M. L; WILMORE, J. H. Exercícios na saúde e na doença. 2. ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1993.

AMERICAN ALLIANCE FOR HEALTH, Physical Education, Recreation and Dance. (AAHPERD). Health related physical fitness test manual. Reston, 1980

AMERICAN ALLIANCE FOR HEALTH, PHYSICAL EDUCATION, RECREATION, AND DANCE. (AAPERD). In: HUNSICKER, P. REIFF, G. G. Youth fitness test manual. RESTON, 1976.

SMITH-MENEZES, A.; DUARTE, M. F. associados à saúde positiva autorreferida em jovens ativos na região nordeste, Brasil. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 19, n. 1, jan./fev., 2013.

ALVES, V. Q. et al. Uso de bebidas alcoólicas entre adolescentes: perfil de experimentação, uso regular e fatores de risco. Revista Baiana de Saúde Pública, Salvador, v. 29, n. 1, p. 91-104, 2005.

MATIELLO JÚNIOR, E.; GONÇALVES, A.; PADOVANI, C. R. Testes de aptidão física podem medir saúde? Estudo a partir de conscritos do tiro-de-guerra de Sorocaba – SP1. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 10, n. 1, p. 65-72, 1999.

AVILA, J. A. et al. Efeito de 13 semanas de treinamento físico militar sobre a composição corporal e o Desempenho físico dos alunos da escola preparatória de cadetes do exército. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 19, n.5, set./out. 2013.

DIAS, A. C. et al. A relação entre o nível de condicionamento aeróbio, execução de uma pista de obstáculo e o rendimento em um teste de tiro. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v.11, n. 6, p. 341-346, 2005.

MATSUDO, V. K. R. Testes em ciências do esporte. São Caetano do Sul: Gráficos Burti, 1987.

Downloads

Publicado

2015-12-29

Como Citar

Silva, N. S., Nobre, G. C., Costa, C. L. A., Bertoldi, R., Nobre, F. S. S., & Bandeira, P. F. R. (2015). Estilo de vida e aptidão física de adolescentes antes e após a prestação do serviço militar obrigatório. Conexões, 13(4), 22–32. https://doi.org/10.20396/conex.v13i4.8643431

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)