A representação do malandro, capoeira e trabalhador nas músicas de samba das décadas de 1930 a 1950 no Brasil

  • Jorge Felipe Columá Centro Universitário Augusto Motta
  • Simone Freitas Chaves Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Felipe da Silva Triani Faculdade Gama e Souza http://orcid.org/0000-0001-6470-8823
Palavras-chave: Getulismo, Capoeira, Malandragem, História

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar a representação da figura do malandro em oposição à figura do trabalhador em sambas brasileiros durante as décadas de 1930 a 1940. Escolhemos este período histórico, pois é durante esses anos que vai se configurando uma identidade coletiva dessas figuras antagônicas, porém complementares, sobretudo durante a ascensão política de Getúlio Vargas no Brasil. Escolhemos esse estilo musical, pois ele está intimamente associado às classes trabalhadoras no Brasil durante este período.  A metodologia da pesquisa é de origem qualitativa e se utiliza da análise documental expressa nas letras de sambas escritos durante o período exposto acima. Como conclusão, consideramos que a associação entre samba e capoeira permeou a construção estereotipada da figura do malandro durante o referido período.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Felipe Columá, Centro Universitário Augusto Motta
Pós-Doutor em Artes - UERJ
Simone Freitas Chaves, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Educação Física pela Universidade Gama Filho

Felipe da Silva Triani, Faculdade Gama e Souza

Mestre em Humanidades, Culturas e Artes - UNIGRANRIO

Referências

ANSART, Pierre. Ideologias, conflitos e poder. Zahar, 1978.

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. São Paulo: Ática, 1997.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1999.

BATISTA, Wilson; ALVES, Henrique. RCA Victor, 1933. Disponível em: https://www.letras.mus.br/wilson-batista/386925/. Acesso em: maio 2016.

BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

CAUDURO, Maria Teresa. Investigação em educação física e esportes: um novo olhar pela pesquisa qualitativa. Novo Hamburgo: Feevale, 2004.

COLUMÁ, Jorge Felipe; CHAVES, Simone Freitas; TRIANI, Felipe da Silva. Capoeira uma herança cultural afro-brasileira. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 4, p. 1123-1128, out./dez. 2015.

DEALTRY, Giovanna. No fio da navalha: malandragem na literatura e no samba. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2009.

DURST, Rogério. Madame Satã: com o diabo no corpo. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2005.

EDMUNDO, Luiz. O Rio de Janeiro do meu tempo. 2. ed. Rio de Janeiro: Conquista, 1957.

FAUSTO, Boris. A Revolução de 1930: historiografia e história. São Paulo: Cia das Letras, 1997.

HOBSBAWM, Eric. Do feudalismo para o capitalismo. In: DOBB, Maurice et al. A transição do feudalismo para o capitalismo: um debate. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004. Pp. 201-208.

LIGIERO, Zeca. Malandro divino: a vida e a lenda de Zé Pelintra, personagem mítico da Lapa Carioca. Rio de Janeiro: Record, 2004.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MATOS, Claudia Neiva de. Acertei no milhar: malandragem e samba no tempo de Getúlio. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1982.

MOREIRA, Jorge F. F. Da navalha ao berimbau: a malandragem no imaginário da capoeira carioca. 2011. Tese (Doutorado) – Universidade Gama filho, Rio de Janeiro, 2011.

MOURA, Roberto. Tia Ciata e a pequena África no Rio de Janeiro. 2. ed. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura: 1995.

NOEL Rosa. Noel por Ione. Gravadora. [Música-CD ROM]. Dabliú Ano: 1932.

NORONHA, Luiz. Malandros: noticias de um submundo distante. Rio de Janeiro: Relume Dumara: prefeitura, 2003.

NOVIKOFF, Cristina. Dimensões Novikoff: um constructo para o ensino-aprendizado da pesquisa. In: ROCHA, José Geraldo; NOVIKOFF, Cristina. (Org.). Desafios da práxis educacional à promoção humana na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Espalhafato, 2010. p. 211-242.

PICCOLI, João Carlos Jaccottet. Normalização para trabalhos de conclusão do curso de educação física. Canoas: Ed. da ULBRA, 2003.

PIVETTA, Luzia. Rita baiana: a malandra no cortiço de Aluísio de Azevedo. [2008?]. Disponível em: http://bu.furb.br/sarauEletronico/index.php?option=com_content&task=view&id=97&Itemid=34. Acesso em: abril 2015.

POSSEBON, M. O. Estudo de caso na investigação em educação física na perspectiva qualitativa. In: CAUDURO, Maria Teresa. (Org.). Investigação em educação física e esportes: um novo olhar pela pesquisa qualitativa. Novo Hamburgo: FEEVALE, 2004.

SALVADORI, Maria Ângela Borges. Capoeiras e malandros: pedaços de uma sonora tradição popular (1890-1950). 1990. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1990.

SILVA, José Barbosa da (Sinhô). Sete coroas. Interprete: Lira Carioca. Álbum: É sim, Sinhô. Gravadora: Independente. 2000. v. 2.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, 2004.

Publicado
2017-10-25
Como Citar
Columá, J. F., Chaves, S. F., & Triani, F. da S. (2017). A representação do malandro, capoeira e trabalhador nas músicas de samba das décadas de 1930 a 1950 no Brasil. Conexões: Educação Física, Esporte E Saúde, 15(2), 187-199. https://doi.org/10.20396/conex.v15i2.8646013
Seção
Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)