Percepção de crianças praticantes de judô em relação ao colega com deficiência visual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v15i1.8646435

Palavras-chave:

Pessoas com deficiência, Inclusão educacional, Esportes para pessoas com deficiência

Resumo

O objetivo do estudo foi de verificar a percepção de crianças praticantes de judô em relação ao colega com deficiência visual. O estudo caracterizou-se uma pesquisa de campo de caráter descritivo, tendo como instrumento para coleta de dados um questionário aplicado à 18 crianças. Os dados foram submetidos a análise de conteúdo, proposta por Bardin (2011), e posteriormente foram quantificados. Os resultados apontaram que 54% dos participantes entendem que o conceito de deficiência visual seja cegueira, sobre as ajudar necessárias; 89% afirmaram concordar com a inclusão de pessoas com deficiência visual em aulas de judô; outros 11% relataram não concordar e nem discordar conforme relato dos participantes. Percebe-se assim que a inclusão e aceitação do aluno com deficiência está ocorrendo, bem como a socialização entre ambos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Simone Harnisch, Universidade Estadual de Campinas

Mestra em Educação Física (FEF/UNICAMP). Aluna de doutorado em Educação Física (FEF/UNICAMP). Professora colaboradora do curso de licenciatura em Educação Física da UNIOESTE.

Douglas Roberto Borella, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutor em Educação Especial (PPGEEs/UFSCar). Professor efetivo do curso licenciatura em Educação Física (UNIOESTE).

Jalusa Andreia Storch, Universidade Estadual de Campinas

Mestra em Educação Especial (PPGEEs/UFSCar). Aluna de doutorado em Educação Física (FEF/UNICAMP). Professora colaboradora do curso de Fisioterapia (UNIOESTE).

Anne Caroline Duarte, Universidade Federal de São Carlos

Mestra em Educação Especial (PPGEEs/UFSCar).

José Júlio Gavião de Almeida, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Educação Física (FEF/UNICAMP). Professor assistente da Faculdade de Educação Física (FEF/UNICAMP).

Referências

ALVES, Maria Luiza Tanure; DUARTE, Edison. A percepção dos alunos com deficiência sobre a sua inclusão nas aulas de educação física escolar: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 28, n. 2, p. 329-338, abr./jun. 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Ed. Setenta, 2011.

BATISTA, Marcus Welby; ENUMO, Sonia Regina Fiorin. Inclusão escolar e deficiência mental: análise da interação social entre companheiros. Estudos de psicologia, Natal, n. 9, v. 1, p. 101-111, jan./abr. 2004.

BUENO, Salvador Toro. Motricidade e deficiência visual. In: MARTIN, Manuel Bueno; BUENO, Salvador Toro (Org.). Deficiência visual: aspectos psicoevolutivos e educativos. São Paulo: Santos, 2003. p. 145-154.

CERQUEIRA, Diego; GOMES, Mariana Simões Pimentel; ALMEIDA, José Júlio Gavião de. Judô. In: MELLO, Marco Tulio de; OLIVEIRA FILHO, Ciro Winckler (Org.). Esporte paralímpico. São Paulo: Atheneu, 2012. 161-168.

COBO, Ana Delgado; RODRIGUEZ, Manuel Gutiérrez; BUENO, Salvador Toro. Desenvolvimento cognitivo e deficiência visual. In: MARTIN, Manuel Bueno; BUENO, Salvador Toro. Deficiência visual: aspectos psicoevolutivos e educativos. São Paulo: Santos, 2003. p. 128-144.

COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO. Esportes: judô. Disponível em: http://www.cpb.org.br/. Acesso em: 06 jan. 2016.

FACIOLA, Rosana Acef; PONTES, Fernando Augusto Ramos; SILVA, Simone Souza da Costa. Um estudo bioecológico das relações de amizade em sala de aula inclusiva. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, n. 12, v. 1, p.76- 92, 2012.

FREDERICKSON, Norah. Bullying or befriending? children´s responses to classmates with special needs. British Journal of Special Education, London, v. 37, n. 1, p. 4-12, 2010.

FROSTAD, Per; PIJL, Sip Jan. Does being friendly help in making friends? the relation between the social position and social skills of pupils with special needs in mainstream education. European Journal of Special Needs Education, London, v. 1, n. 22, p. 15- 30, 2007.

GORGATTI, Marcia Greguol; GORGATTI, Tiago. O esporte para pessoas com necessidades especiais. In: GORGATTI, Marcia Greguol; COSTA, Roberto Fernandes da (Org.). Atividade física adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. Barueri: Manole, 2005. p. 532-568.

HARNISCH, Gabriela Simone et al. Práticas pedagógicas utilizados por professores de judô no ensino de crianças com deficiência visual. ConScientiae Saúde, São Paulo. v. 13, p. 52-55, 2014. Disponivel em: http://www4.uninove.br/ojs/index.php/saude/article/view/5178/2791. Acesso em: 30 nov. 2014.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragem e técnicas de pesquisas, elaboração, análises e interpretação de dados. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MELO, Ana Claudia Rapozo; LÓPEZ, Ramon F. Alonso. O esporte adaptado. Revista Digital, Buenos Aires, v. 8, n. 51, jul. 2002. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd51/esporte.htm. Acesso em: 20 nov. 2009.

MOREIRA, Maria de Fátima Lopes da Silva. Aceitação de alunos com NEE pela turma. 2014. Dissertação (Mestrado) - Instituto Superior de Educação e Ciências, Lisboa, 2014.

OLIVEIRA FILHO, Ciro Winckler; ALMEIDA, José Júlio Gavião de. Pedagogia do Esporte: um enfoque para pessoas com deficiência visual. In: PAES, Roberto Rodrigues; BALBINO, Hermes Ferreira. Pedagogia do esporte. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 91-110

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Programa para prevenção da cegueira: o atendimento de crianças com baixa visão. Relatório Bangkok, 2002.

PARSONS, Andrew; OLIVEIRA FILHO, Ciro Winckler. Esporte e a pessoa com deficiência: contexto histórico. In: MELLO, Marco Tulio de; OLIVEIRA FILHO, Ciro Winckler (Org.). Esporte paralímpico. São Paulo: Atheneu, 2012. 3-14.

PEDRINELLI, Verena Junghahnel; NABEIRO, Marli. Prática do esporte pela pessoa com deficiência na perspectiva da inclusão. In: WINCKLER, C. (Org.). Esporte paralímpico. São Paulo: Atheneu, p. 21-25, 2012.

SALERNO, Marina Brasiliano; ARAÚJO, Paulo Ferreira de. Interação nas aulas de educação física: a construção de um novo conviver. Revista Digital, Buenos Aires, ano 11, n. 102, 2006. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd102/interac.htm>. Acesso em: 19 ago. 2012.

SANTANA, Mayara de. A inclusão de alunos com deficiência nas aulas de educação física diante da percepção de seus colegas de classe. 2010. 61 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2010.

SIRLOPUAND, David et al. Promoting positive attitudes toward people with down syndrome: the benefit of school inclusion programs. Journal of Applied Social Psychology, Silver Spring, v. 11, n. 38, p. 2710–2736, 2008.

STAINBACK, William, STAINBACK, Susan. Colaboração, rede de apoio e construção de comunidade. In: ______. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

TEIXEIRA, Fernanda. Cascaes; KUBO Olga Mitsue. Características das interações entre alunos com Síndrome de Down e seus colegas de turma no sistema regular de ensino. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 14, n.1, p. 75-92, jan./abr. 2008.

THOMAS, Jerry R.; NELSON, Jack K.; SILVERMAN, Stephen J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

VIEIRA, Carmelino Souza; SOUZA JUNIOR, Walter Russo. Judô paraolímpico: manual de orientação para professores de educação física. Brasília: Comitê Paraolímpico Brasileiro, 2006.

WINNICK Joseph P. Educação física e esportes adaptados. Barueri: Manole, 2004.

Downloads

Publicado

2017-06-06

Como Citar

Harnisch, G. S., Borella, D. R., Storch, J. A., Duarte, A. C., & Almeida, J. J. G. de. (2017). Percepção de crianças praticantes de judô em relação ao colega com deficiência visual. Conexões, 15(1), 51–64. https://doi.org/10.20396/conex.v15i1.8646435

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)