Banner Portal
Extensão universitária e Ginástica para Todos
PDF

Palavras-chave

Ginástica para todos
Ginástica
Monitoria
Tutoria

Como Citar

BAHU, Ligia Zagorac; CARBINATTO, Michele Viviene. Extensão universitária e Ginástica para Todos: contribuições à formação profissional. Conexões, Campinas, SP, v. 14, n. 3, p. 46–70, 2016. DOI: 10.20396/conex.v14i3.8648059. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8648059. Acesso em: 18 jun. 2024.

Resumo

As universidades possuem em seu cerne as atividades de ensino, pesquisa e extensão que, indissociáveis, devem primar pela boa formação do futuro profissional e pela produção e divulgação de saberes científicos. No âmbito da extensão, os projetos devem atender não apenas aos interesses da comunidade, mas também às competências necessárias ao graduando monitor/estagiário. Pautado na análise bibliográfica e em entrevistas semi-estruturadas realizadas com oito monitores/estagiários do projeto “GYMNUSP: Escola de Ginástica”, - por sua vez, analisadas pela análise de conteúdo - este artigo versa sobre as percepções oriundas da experiência em um projeto de extensão em ginástica pautado nos princípios da ginástica para todos.  Os resultados explicitaram que, para além dos benefícios financeiros e relacionados ao cumprimento de estágios, os monitores/estagiários consideraram o projeto de extensão importante para o contato com a prática profissional e com o público de atuação (no caso, infanto-juvenil), para a ampliação de campos de prática (ginástica), para melhor compreensão da organização de aulas e da atuação didática e para inserção no ambiente esportivo, por meio da participação em festivais.

https://doi.org/10.20396/conex.v14i3.8648059
PDF

Referências

RIBEIRO, Adelia Miglievich; MATIAS, Glauber Rabelo. A universidade necessária em Darcy Ribeiro: notas sobre um pensamento utópico. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 42, n. 3, p. 199-205, 2006.

PRÓ-REIRORIA DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA (PRCEU-USP). Disponível em: <http://prceu.usp.br/institucional/>. Acesso em: 08 abr. 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

MENDONÇA, A.W. A universidade no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 131-194, 2000.

AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira: introdução ao estudo da cultura no Brasil. São Paulo: Melhoramentos, 1971.

CUNHA, Luiz Antonio. A universidade temporã. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

VILLALTA, Luiz Carlos. O que se fala e o que se lê: língua, instrução e leitura. In: SOUZA, Laura de Mello e; NOVAES, Fernando A. (Org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

AZEVEDO, F. de. A Educação na encruzilhada: problemas e discussões. São Paulo: Melhoramentos, 1958.

CALDERÓN, Adolfo Ignácio. Universidades mercantis: a institucionalização do mercado universitário em questão. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, 2000.

SAMPAIO, Jorge Hamilton. Extensão universitária como um dos sentidos necessários para a articulação da indissociabilidade na construção do currículo. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro; NAVES, Marisa Lomônaco. (Org.). Currículo e avaliação na educação superior. Araraquara: Junqueira & Marin, 2005.

ENCONTRO DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS, 1., 1987, Brasília. Conceito de extensão, institucionalização e financiamento. Disponível em: <http://www.renex.org.br/documentos/Encontro-Nacional/1987-I-Encontro-Nacional-do-FORPROEX.pdf> Acesso em: março de 2012.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus, 2012.

ROCHA, B. Análise da tríplice ensino-pesquisa-extensão. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

RUSSELL, Keith; KINSMAN, Tom. Coaching certification manual: introductory gymnastics. Ontario: Canadian Gymnastics Federation, 1986.

BRATIFISCHE, Sandra Aparecida; CARBINATTO, Michele Viviene. Inovação e criação de materiais: em busca da originalidade na ginástica para todos. In: MIRANDA, Rita de Cassia Fernandes; EHRENBERG, Mônica Caldas; BRATIFISCHE, Sandra Aparecida. Temas emergentes de pesquisa em ginástica para todos. Jundiaí: Fontoura, 2016.

KNELLER, George F. Arte e ciência da criatividade. São Paulo: IBRASA, 1973.

TOLEDO, Eliana; TSUKAMOTO, Mariana Harumi Cruz; CARBINATTO, Michele Viviene. Fundamentos da ginástica para todos. In: NUNOMURA, Mirian. (Org.). Fundamentos da ginástica. 2. ed. Jundiaí: Fontoura, 2016. p. 12-40.

ONTOÑÓN BARRAGÁN, Teresa et al. O papel da extensão universitária e sua contribuição para a formação acadêmica sobre as atividades circenses. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 42-55, 2016.

NUNOMURA, Mirian; OLIVEIRA, Mauricio Santos. O perfil, as motivações e os desafios dos técnicos de ginástica artística no Brasil. In: SCHIAVON, Laurita Marconi; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho; NUNOMURA, Mirian; TOLEDO, Eliana de. (Org.). Ginástica de alto rendimento. Várzea Paulista: Fontoura, 2014. p. 65-87.

WERTHNER, P.; TRUDEL, P. A new theoretical perspective for understanding how coaches learn to coach. The Sport Psychologist, Champaign, v. 20, n. 2, p. 198-212, 2006.

SCHIAVON, Laurita Marconi et al. Análise da formação e atualização dos técnicos de ginástica artística do Estado de São Paulo. Pensar a Prática, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 618-635, jul./set. 2014.

ARAÚJO, C. M. Implicações dos projetos de extensão universitária para a formação do professor de educação física. 2014. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2014.

NUNOMURA, Mirian; CARRARA, Paulo Daniel Sabino; CARBINATTO, Michele Viviene. Ginástica artística competitiva: considerações sobre o desenvolvimento dos ginastas. Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 3, p. 503-514, 2009.

BATISTA, M. S.; TORRES, A. L.; LOPES, P. Monitoria no Grupo de Ginástica de Diamantina: a experiência do ensinar a ginástica. In: FÓRUM INTERNACIONAL DE GINÁSTICA GERAL, 7., 2014, Campinas. Anais... Campinas: FEF-UNICAMP, 2014. p. 353-357.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão e a flexibilização curricular: uma visão da extensão. Porto Alegre: Ed. da UFRGS; Brasília: MEC/SESu, 2006.

LARROSA BONDÍA, Jorge L. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO DE CAMPINAS, 1., 2001, Campinas. Conferência... Campinas, IEL-UNICAMP, 2001. (tradução).

ALENCAR, Eunice Maria Lima Soriano de; FLEITH, Denise de Souza. Criatividade na educação superior: fatores inibidores. Avaliação: revista de avaliação do ensino superior, Sorocaba, v. 15, n. 2, p. 201-206, 2010.

FRISON, Lourdes Maria Bragagnolo. Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem colaborativa e autorregulada. Pro-Posições, Campinas, v. 27, n. 1, p. 133-153, 2016.

ARAÚJO, Carlos M. R. Manual de ajudas em ginástica. 2. ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2012.

FREITAS, Maitê Venuto de; STIGGER, Marco Paulo. A formação de crianças para o esporte de alto rendimento: sobre ‘manobras’ e diferentes apropriações dos treinos. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 81-91, 2016.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.