Ginástica na escola

por onde ela anda professor?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v14i4.8648071

Palavras-chave:

Conteúdo pedagógico, Educação física escolar, Ginástica

Resumo

A Ginástica é uma prática corporal que inicialmente foi sinônimo de Educação Física, num segundo momento foi considerada um dos conteúdos da Educação Física Escolar e atualmente está ausente nas aulas escolares. A presente pesquisa tem o objetivo de aprofundar os estudos sobre a Educação Física Escolar, para a busca de elementos teórico-metodológicos que justifiquem a Ginástica no contexto escolar; bem como, identificar porque esta vem sendo esquecida enquanto conteúdo pedagógico nas escolas. Trata-se de uma pesquisa exploratória, utilizando a abordagem do método qualitativo. O estudo foi realizado com quatorze professores de Educação Física, escolhidos aleatoriamente, de sete escolas municipais de Belém – PA, a entrevista semi-estruturada e a observação sistemática foram adotadas como instrumentos de coleta de dados. Após analisar e discutir os resultados, verificamos que muitos podem ser os motivos da ausência da Ginástica na escola, todavia é um conhecimento que precisa estar presente na Educação Física Escolar, pois é de grande valia para o desenvolvimento pleno da criança, tendo como principal protagonista desta mudança o próprio professor de Educação Física. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrize Ramires Costa, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Educação Física pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (2004), Mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC (2011) e Doutorado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC (2015). Atualmente é professora efetiva da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e coordenadora do NEPGI (Núcleo de Estudos e Pesquisa em Ginástica e Infância) e já teve experiências como docente na Universidade Federal do Pará (UFPA) e também em Universidades Privadas como a do Vale do Itajaí (UNIVALI) e como professora colaboradora da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Foi diretora do comitê técnico da (GAF) da Federação de Ginástica de Santa Catarina. Atualmente é árbitra internacional de Ginástica Artística (FIG) e docente do Programa de Pós Graduação Latu Sensu em Educação Física Escolar/UFPEL. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Física, Educação Infantil, Educação Ambiental, Ginástica Escolar,Ginástica Artística e Rítmica, Ginástica para Todos, Estágio e Escola.

Carmen Lília da Cunha Faro, Universidade Federal do Pará

Doutoranda em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (Previsão de Conclusão 2021). Mestra em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade do Estado do Pará (2004). Especialista em Ciência e Técnica da Ginástica Rítmica pela Universidade Gama Filho Rio de Janeiro (1982); Especialista em Metodologia de Ensino da Educação Física Escolar pela Universidade Federal do Pará (1996); Especialista em Educação Motora e Esportes na Escola pela Universidade Federal do Pará (1997). Graduada em Educação Física pela Escola Superior de Educação Física (1977). Atualmente atua como Docente da Universidade do Estado do Pará. Membro/pesquisador do Grupo CORPO/UFBA. Experiências na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar, atuando principalmente com os seguintes temas: ginástica, dança, corporeidade, esporte, lazer e história da Educação Física.

Lucilia da Silva Matos, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Educação Física pela Universidade do Estado do Pará (1991); Especialização em Educação e Problemas Regionais pela Universidade Federal do Pará (1991); Mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Pará (2001) e Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2010). Atuou como professora da Universidade do Estado do Pará e da Secretaria de Estado de Educação do Pará (1993-2011). A partir de fevereiro de 2011 iniciou sua carreira docente na Universidade Federal do Pará no Instituto de Ciências da Educação, Faculdade de Educação Física. É pesquisadora Líder do "Grupo de Estudo e Pesquisa Ludicidade e Lazer " (2014...) e é pesquisadora/colaboradora do Grupo de Estudos de Práticas Culturais Contemporâneas - PUC-SP (2010...). Tem experiência como formadora e consultora em Políticas Públicas de Esporte e lazer junto ao Ministério do Esporte. Atua nas áreas da Antropologia, Educação, Educação Física e lazer principalmente a partir dos seguintes temas: Educação Lúdica, Cultura do Corpo, Políticas Públicas em Esporte e Lazer, Estudos e Pesquisa em Lazer, Cultura popular e Festa.

Referências

SOARES, Carmen Lucia. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

OLIVEIRA, Vitor Marinho de. Educação física humanista. Rio de Janeiro: Ao livro Técnico, 1985.

GAIO, Roberta; GÓIS, Ana Angélica; BATISTA, José Carlos de Freitas. A ginástica em questão: corpo e movimento. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2010.

BETTI, Irene Conceição Rangel. Esporte na escola: mas é só isso, professor? Motriz, Rio Claro, v. 1, n. 1, p. 25-31, 1999.

NISTA-PICCOLO, Vilma Leni. Educação física escolar: ser... ou não ter? 3. ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 1995.

KUNZ, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. 7. ed. Ijuí: Ed. da Unijuí, 2006.

KUNZ, Elenor. Educação física: ensino e mudanças. 3. Ijuí: Ed. da Unijuí, 2004.

AYOUB, Eliana. Ginástica geral e educação física escolar. 2. ed. Campinas, SP: Unicamp, 2007.

PAOLIELLO, Elizabeth. Ginástica geral: experiências e reflexões. São Paulo: Phorte, 2008.

SCHIAVON, Laurita Marconi; NISTA-PICCOLO, Vilma Leni. A ginástica vai à escola. Movimento, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 131-150, 2007.

BUENO, Francisco da Silveira. Minidicionário Silveira Bueno. 3. ed. São Paulo: Lisa, 1989.

BREGOLATO, Roseli Aparecida. Cultura corporal da ginástica: livro do professor e do aluno. 4. ed. São Paulo: Ícone, 2011.

SOARES, Carmen Lúcia. Imagens da educação no corpo: estudo a partir da ginástica francesa no século XIX. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

SOARES, Carmen Lúcia. Educação física: raízes europeias e Brasil. 4. ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

TOLEDO, Eliana de. Proposta de conteúdos para a ginástica escolar: um paralelo com a Teoria de Coll. 1999. 215 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

NISTA-PICCOLO, Vilma Leni. Atividades físicas como proposta educacional para a 1ª fase do 1º grau. 1988. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1988.

BRACHT, Valter. Educação física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

FÓRUM INTERNACIONAL DE GINÁSTICA GERAL, 1., 2001, Campinas, SP. Anais ... Campinas: SESC: Faculdade de Educação Física, UNICAMP, 2001. 202 f.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

COSTA, A. R.; MACÍAS, C. . C. de C.; FARO, C. L. da C.; MATOS, L. da S. Ginástica na escola: por onde ela anda professor?. Conexões, Campinas, SP, v. 14, n. 4, p. 76–96, 2016. DOI: 10.20396/conex.v14i4.8648071. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8648071. Acesso em: 11 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original