Desempenho olímpico e paralímpico

uma análise comparativa entre países nos jogos Rio-2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v15i3.8648195

Palavras-chave:

Olimpíadas, Paralimpíadas, Desempenho

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar de forma comparativa o desempenho olímpico e paralímpico dos países nos jogos Rio-2016. A referida análise é realizada com base em um quadro de medalhas unificado. Para tal, foi coletado o quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e, em sentido adicional, foi também considerado o tamanho populacional e o faturamento (Produto Interno Bruto) dos países que se constituem foco da presente análise. Verificou-se que China, Reino Unido e Estados Unidos apresentaram-se nas primeiras classificações em ambas as competições. Adicionalmente, encontrou-se que o faturamento e tamanho populacional são correlacionadas com o número total de medalhas e também com o número de medalhas de ouro. Conclui-se que o desempenho olímpico apresenta inter-relação com o faturamento e o tamanho populacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Moreira Caetano Pinto, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestrando em Engenharia de Produção (bolsista da CAPES) pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Professor colaborador do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

José Roberto Herrera Cantorani, Instituto Federal de São Paulo

Doutor em Educação Física pela Unicamp. Professor do Instituto Federal de São Paulo, Registro, São Paulo, Brasil. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

Bruno Pedroso, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutor em Educação Física pela Unicamp. Professor do Departamento de Educação Física e docente permanente dos programas de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas e Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

Claudia Tania Picinin, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutora em Administração pela Universidade Positivo - UP (2014). Professora adjunta do Departamento de Engenharia de Produção e docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Tecnológica Federal do Paraná,  Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

Luiz Alberto Pilatti, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutor em Educação Física pela Unicamp. Professor do Departamento de Engenharia de Produção e docente permanente dos programas de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e Ensino de Ciências e Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR),  Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Atualmente exerce o cargo de reitor da UTFPR.

Referências

ARAÚJO, Allyson Carvalho. De Atenas a Sidney: registros audiovisuais dos jogos olímpicos. Recorde, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 1-7, jul. 2013.

BRASIL. Lei nº 10.264, de 16 de julho de 2001. Acrescenta inciso e parágrafos ao art. 56 da Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998, que institui normas gerais sobre desporto. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília DF, 16 jul. 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10264.htm. Acesso em: 10 out. 2016.

BERNARD, Andrew; BUSSE, Meghan. Who wins the olympic games: economic resources and medal totals. Review of Economics and Statistics, Cambridge, v. 86, n. 1, p. 413-417, mar. 2004.

BIAN, Xun. Predicting olympic medal counts: the effects of economic development on olympic performance. The Park Place Economist, Illinois, v.13, p. 37-44, 2005.

BRITTAIN, Ian. The paralympic games explained. New York: Taylor & Francis, 2010.

COLLI, Eduardo. Universo olímpico. São Paulo: Codéx, 2004.

COMITÊ OLÍMPICO INTERANCIONAL (COI). Summer sports: 2016. Disponível em: https://www.olympic.org/sports. Acesso em: 23 set. 2016.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA (CONFEF). Cada medalha conta. 2012. Disponível em: http://www.confef.org.br/extra/revistaef/show.asp?id=4050. Acesso em: 23 ago 2016.

COSTA, Alberto Martins; SOUSA, Sônia Bertoni. Educação física e esporte adaptado: história, avanços e retrocessos em relação aos princípios da integração/inclusão e perspectivas para o século XXI. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Curitiba, v. 25, n. 3, p. 27-42, maio 2004.

DANCEY, Christine; REIDY, John. Estatística sem matemática para psicológica. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

INTERNATIONAL MONETARY FUND (FMI). Subdued demand diminished prospects. 2016. Disponível em: http://www.imf.org/external/pubs/ft/weo/2016/update/01/. Acesso em: 22 ago. 2016.

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE (IPC). Modalidade. 2016. Disponível em: http://www.cpb.org.br/modalidades. Acesso em: 23 set. 2016.

LUIZ, John; FADAL, Riyas. An economic analysis of sports performance in Africa. Wits Business School, v. 38, n. 10, p. 869-883, jan. 2011.

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues. et al. Esporte olímpico e paralímpico: coincidências, divergências, e especificidades numa perspectiva contemporânea. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 365-377, out./dez. 2009.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). World population prospects, the 2015 revision. 2016. Disponível em: https://esa.un.org/unpd/wpp/. Acesso em: 22 ago. 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. National accounts main aggregates database. 2015. Disponível em: http://unstats.un.org/unsd/snaama/dnllist.asp. Acesso em: 22 ago. 2016.

SANTOS, Silvestre Cirilo; COSTA, Lamartine Pereira; SILVA, Carlos Henrique Vituoso. Rio 2016 e o plano Brasil medalhas: seremos uma potência olímpica? Podium: sports, leisure and tourism review, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 66-87, jan./jun. 2012.

RATHKE, Alexander; WOITEK, Ulrich. Economics and the summer olympics: and efficiency Analysis. Journal of Sports Economics, v. 9, n. 5, p. 520-537, dec. 2008.

THE WORLD BANK. GDP Ranking. 2016. Disponível em: http://data.worldbank.org/data-catalog/GDP-ranking-table. Acesso em: 22 ago. 2016.

Downloads

Publicado

2017-09-30

Como Citar

Pinto, G. M. C., Cantorani, J. R. H., Pedroso, B., Picinin, C. T., & Pilatti, L. A. (2017). Desempenho olímpico e paralímpico: uma análise comparativa entre países nos jogos Rio-2016. Conexões, 15(3), 319–337. https://doi.org/10.20396/conex.v15i3.8648195

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)