Escalada indoor como possibilidade de conteúdo para a educação física escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v17i0.8654409

Palavras-chave:

Esporte de aventura, Educação física escolar, Prática pedagógica

Resumo

Objetivo: conhecer e discutir a percepção dos alunos sobre a escalada indoor como mais uma possibilidade pedagógica para o ensino da Educação Física na escola. Metodologia: foi realizada entrevista com 23 alunos (14 meninos e 9 meninas), de uma turma do 5º ano do Ensino Fundamental de uma escola particular. Resultados e discussão: os resultados evidenciam motivação dos alunos em participar das aulas, pois na concepção deles é um conteúdo novo e contribuiu na superação do medo de escalar devido à presença do risco, além de não evidenciar o sexíssimo entre os participantes. Conclusão: a escalada indoor se mostrou um conteúdo possível de ser trabalhado nas aulas de Educação Física escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe da Silva Triani, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutorando em Ciências do Exercício e do Esporte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Atua como docente do curso de Educação Física no Centro Universitário Gama e Souza e na Universidade Estácio de Sá, além de Tutor na UNIASSELVI. 

Felipe Tomaz da Silva, Universidade do Grande Rio

Graduando em Educação Física pela Universidade do Grande Rio.

Jairo Antonio da Paixão, Universidade Federal de Viçosa

Doutorado em Educação pela Ibero-Amercican University (2018). Professor do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa na linha de pesquisa Educação pública: sujeitos e práticas. 

Referências

ALMEIDA, Luiz Guilherme Veiga de. Ritual, risco e arte circense. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2008.

AURICCHIO, José Ricardo. Escalada na Educação Física Escolar: orientação adequada para a prática segura. EFDeportes - Revista Digital, Buenos Aires, Año 14, nº 139, Diciembre de 2009.

ARMBRUST, Igor; SILVA, Sheila Aparecida Pereira dos Santos. Pluralidade cultural: Os esportes radicais na Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 01, p. 281-300, 2012.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 5ª ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

BERRIA, Juliane et al. O gênero nas aulas de Educação Física: questões e conflitos. EFDeportes - Revista Digital, Buenos Aires, Año 15, nº 143, Abril de 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3º e 4º ciclos do Ensino Fundamental: Educação Física. Brasília/DF: MEC/SEF, 1998.

BRUHNS, Heloísa Turini. Esporte e natureza: o aprendizado da experimentação. In.: SERRANO, Célia Maria de Toledo (Org.). A educação pelas pedras: ecoturismo e educação ambiental. São Paulo: Chronos, 2000.

CARA, Sabrina; SAAD, Michel Angillo. Os motivos de desinteresse pelas aulas de Educação Física dos alunos da 1ª série do ensino médio de uma escola de Xanxerê, SC. EFDeportes - Revista Digital, Buenos Aires, Año 16, nº 160, Septiembre de 2011.

CARDOSO, Fernando Luiz; MARINHO, Alcyane; PIMENTEL, Giuliano Gomes de Assis. Questões de gênero em universitários praticantes de esportes de aventura. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 24, n. 4, p. 597-608, 2013.

CARVALHO, Isis Santos Moreira et al. Esportes radicais nas aulas de Educação Física: uma experiência no ensino médio. Anais do XIX Congresso brasileiro de ciências do esporte – CONBRACE, VI Congresso Internacional de Ciências do Esporte – CONICE, Vitória, ES, Brasil, p. 1-3, 2015.

COICEIRO, Geovana Alves. O imaginário social de aventureiros do extremo: o universo simbólico dos praticantes de provas de ultra-resistência. 136 folhas. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 2007.

CLOKSIN, Brian. High adventure activities in elementar physical education. Teaching Elementary Physical Education, North Market Street, v. 17, n.4, p. 16-21, 2006.

DARIDO, Suraya Cristina. A Educação Física na escola e o processo de formação dos não praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 61-80, 2004.

DIAS, Cleber Augusto. Lazer e esportes na natureza face à educação ambiental: entre o possível e o necessário. Journal of Applied Behavioural Science, v. 35, n. 2, p. 163-187, 2004.

FRANCO, Laércio Claro Pereira; CAVASINI, Rodrigo; DARIDO, Suraya Cristina. Práticas Corporais de Aventura. In.: GONZÁLEZ, Fernando Jaime; DARIDO, Suraya Cristina; OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bássoli de. (Orgs.) Lutas, capoeira e práticas corporais de aventuras. Maringá: Eduem, 2014, p. 101-136.

HYDER, Martha. Have your students climbing the walls: the grownth of indoor climbing. Journal Physical Education, Recreation and Dance, v. 70, n. 9, p. 32-39, 1999.

LE BRETON, David. Risco e lazer na natureza. In: MARINHO, Alcyane; BRUHNS, Heloísa Turini (Org.). Viagens, lazer e esporte: o espaço da natureza. Barueri, São Paulo: Manole, p. 94-117, 2006.

LE BRETON, David. La sociologie du risque. Paris: Presses Universitaires de France, 2012.

MACHADO, Thiago da Silva et al. As práticas de desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 16, n. 02, p. 129-147, 2010.

MORLEY, Lauril et al. Conviction of the heart: implementing leave-no-trace principles in outdoor recreation: here is a model for teaching students to respect the outdoor. Journal of Physical Education, Recreation and Dance, Renton, v. 79, n. 7, p. 29-34, 2008.

NEIRA, Marcos Garcia; GRAMORELLI, Lilian Cristina. Embates em torno do conceito de cultura corporal: gênese e transformações. Pensar a Prática, Goiânia, v. 20, n. 2, 2017.

NOVIKOFF, Cristina. Dimensões Novikoff: um constructo para o ensino-aprendizado da pesquisa. In.: ROCHA, José Geraldo da; NOVIKOFF, Cristina. (Orgs.). Desafios da práxis educacional à promoção humana na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Espalhafato Comunicação, p. 211-242, 2010.

OYAGUE Grace Puertas; LUSAR, Ander Chamarro; CERCÓS, Josep Font. Propriedades psicométricas del cuestionario de habilidades psicológicas en escalada deportiva. Cuadernos del Psicologia del Deporte, v. 5, n. 1, p. 1-2, 2005.

PAIXÃO, Jairo Antônio. Esporte de aventura como conteúdo possível nas aulas de Educação Física escolar. Motrivivência, v. 29, n. 50, p. 170-182, 2017.

PAIXÃO, Jairo Antônio. O instrutor de esporte de aventura no Brasil e os saberes necessários a sua atuação profissional. Curitiba, PR: CRV, 2012.

PEREIRA, Dimitri Wuo. Montanhismo e Escalada. In: BERNARDES, Luciano Andrade. Atividades e Esportes de Aventura para Profissionais de Educação Física, São Paulo: Phorte, 2013.

PEREIRA, Dimitri Wuo. A escalada chega na escola. Coleção Pesquisa em Educação Física, Jundiaí, vol.5, n.1, p. 31-38, 2007.

PEREIRA, Dimitri Wuo; ARMBRUST, Igor. Escalada em rocha como Educação Física no ensino médio. In: Congresso Brasileiro de Atividade de Aventura, Governador Valadares, 2, 2007.

PEREIRA, Dimitri Wuo; ARMBRUST, Igor; RICARDO, Denis Prado. Esportes radicais, de aventura e ação: conceitos, classificações e características. Revista Corpoconsciência, Santo André, v. 12, n. 1, p. 18-34, 2008.

PEREIRA, Dimitri Wuo; CARVALHO, Gisele Santos de; RICHTER, Friedrich. Programa de escalada em rocha como Educação Física para alunos do ensino médio. Coleção Pesquisa em Educação Física. v. 7, n. 1, p. 397-402, 2008.

PEREIRA, Dimitri Wuo. Atividades de aventura: em busca do conhecimento. Várzea Paulista, SP: Fontoura, 2013.

PEREIRA, Dimitri Wuo; ARMBRUST, Igor. Pedagogia da aventura: os esportes radicais , de aventura e de ação na escola. Jundiaí, SP: Fontoura, 2010.

SCHWARTZ, Gisele Maria; FIGUEIREDO, Juliana de Paula; PEREIRA, Leonardo Madeira; CHRISTOFOLETTI, Danielle Ferreira Auriemo; DIAS, Viviane Kawano. Preconceito e esportes de aventura: a (não) presença feminina. Motricidade, Ribeira de Pena, v. 9, n. 1, p. 57-68, 2013.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23º Edição. São Paulo: Editora Cortez, 2007.

SPINK, Mary Jane. Tópicos do discurso sobre risco: risco-aventura como metáfora na modernidade tardia. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 17, n. 6, p. 1277- 1288, nov./dez. 2001.

SILVA, Renata Laudares. As emoções das atividades de aventura na natureza e a ressignificação do papel feminino. Dissertação (Mestrado em Ciências da Motricidade) – Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2002.

SILVA, Renata Laudares; MARINHO, Alcyane; SCHWARTZ, Gisele Maria. A aventura de ser mulher nas atividades físicas de aventura na natureza. EFDeportes, Buenos Aires, ano 10, n. 84, p. 1, 2005.

SILVA, Mauro Sérgio; BRACHT, Valter. Na pista de práticas e professores inovadores na Educação Física escolar. Kinesis, Santa Maria, v. 30, n.1, p. 80-94, 2012.

TAHARA, Alexander Klein; DARIDO, Suraya Cristina. Práticas corporais de aventura em aulas de Educação Física. Conexões, Campinas, v. 14, n. 2, p. 113-136, 2016.

TRIANI, Felipe da Silva; FREITAS, Willian Costa de; NOVIKOFF, Cristina. Educação Física escolar: as representações sociais. Conexões, Campinas, SP, Vol. 14 n. 1 p. 130-137 jan./mar. 2016.

TRIANI, Felipe da Silva; MARTINS, Cassio; ALVES, Marcelo Paraíso. Escalada indoor como possibilidade pedagógica para a Educação Física. Anais do IX Congresso Brasileiro de Atividade de Aventura – III Congresso Internacional de Atividade de Aventura: “uma aventura olímpica”, Lavras, MG, p.58, 2016.

VENTURINI, Gabriela Rezende de Oliveira et al. Gênero e Educação Física Escolar. EFDeportes - Revista Digital, Buenos Aires, Año 15, nº 147, Agosto de 2010.

WHITE, Robert. A sociocultural investigation of the efficacy of outdoor education to improve learner engagemente. Emotional and Behavioural Difficulties, London, v. 17, n. 1, p. 13-23, 2012.

Downloads

Publicado

2020-03-01

Como Citar

TRIANI, F. da S.; SILVA, F. T. da; PAIXÃO, J. A. da. Escalada indoor como possibilidade de conteúdo para a educação física escolar. Conexões, Campinas, SP, v. 17, p. e019036, 2020. DOI: 10.20396/conex.v17i0.8654409. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8654409. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original