Atividades aquáticas espontâneas e processos proximais entre crianças

uma análise a partir da teoria ecológica de desenvolvimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v17i0.8654672

Palavras-chave:

Desenvolvimento humano, Natação, Criança, Atividade motora

Resumo

Objetivo: Investigar as interações sociais, papéis sociais, atividades realizadas e atributos das crianças durante atividades aquáticas espontâneas segundo os pressupostos da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano. Metodologia: Foi realizado uma pesquisa de campo com design ecológico, participaram do estudo 27 crianças entre 8 e 11 anos de idade. Durante 45 minutos as crianças realizaram atividades motoras livremente na piscina. Resultados e Discussão: Os resultados principais revelaram que as crianças estabeleceram um total de 93 interações sociais, predominantemente de participação conjunta, cinco tipos diferentes de papéis sociais (nadador, mergulhador, boiadeiro, cavalinho e apresentador de Tv), 13 tipos de atividades realizadas na piscina, principalmente mergulhos, propulsão de membros inferiores no estilo Crawl com apoio do espaguete nas mãos, arremessos e recebimentos de uma bola, saltos e mergulhos dentro de um arco. Durante a maior parte das atividades espontâneas as crianças demonstraram atributos positivos de iniciativa, convite e encorajamento dos colegas. Conclusão: Conclui-se que o microssistema de análise foi facilitador e motivador de processos proximais positivos entre as crianças, além disso, as atividades no meio aquático estimularam a ludicidade e os diferentes aspectos do desenvolvimento infantil. Sugerem-se mais pesquisas utilizando esse delineamento, porém adotando observações longitudinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Antonio Cerignoni Coelho, Universidade Federal do Tocantins

Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins. Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Metodista de Piracicaba.

Rute Estanislava Tolocka, Universidade Metodista de Piracicaba

Mestrado e doutorado em Educação Motora, na Universidade Estadual de Campinas (FEF-UNICAMP). Coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Desenvolvimento Humano na Universidade Metodista de Piracicaba- SP (UNIMEP).

Referências

BRONFENBRENNER, Urie; EVANS, Gary. Developmental science in the 21 Century: emerging questions, theoretical models, research designs and empirical findings. Social Development, v. 9, n. 1, p. 115-125, 2000. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/2000-13615-007.

BRONFENBRENNER, Urie. Ecological systems theory. In: VASTA, Ross. (Org). Six theories of child development: revised formulations and current issues. London: Jessica Kingley Publischer, 1992, p. 133-185.

BRONFENBRENNER, Urie. A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BRONFENBRENNER, Urie. The bioecological theory of human development. In: BRONFENBRENNER, Urie. (Org.). Making human beings human: bioecological perspectives on human development. Sage Publication Inc, 2005, p. 106-173.

BRONFENBRENNER, Urie; MORRIS, Pamela. The ecology of developmental process. In: LERNER, Richard. (Org). Handbook of child psychology: theoretical models of human development. New York: John Wiley & Sons, v. 1, 1998, p. 993-1028.

CLEARFIELD, Melissa. Learning to walk changes infants' social interactions. Infant Behavior & Development. v. 34, n. 1, p. 15-25, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20478619.

COELHO, Vitor Antonio; TOLOCKA, Rute. Interações sociais e características pessoais em jogos de arremessos na educação física infantil. Pensar a Prática, v. 17, n. 3, p. 718-733, 2014. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/25363.

COPPETI, Fernando. O desenvolvimento de crianças de teutonia, interpretado através do paradigma ecológico-humano. 1996, 173f. Dissertação (Mestrado em ciência do movimento), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1996.

COPPETI, Fernando. Atributos pessoais de crianças que se engajam na prática esportiva: um olhar orientado pelo modelo bioecológico. In: KREBS, Ruy Jornada. et al. Os processos desenvolvimentais na infância. Belém: GTR Gráfica e Editora, 2003.

COPETTI, Fernando; KREBS, Ruy Jornada. As propriedades da pessoa na perspectiva do paradigma bioecológico. In: KOLLER, Silvia Helena. (org.) Ecologia do desenvolvimento humano: pesquisa e intervenção no Brasil. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

DAMASCENO, Leonardo. Natação, psicomotricidade e desenvolvimento. Brasília: Secretaria de Desportos da Presidência da República, 1992.

DE MARCO, Ademir; DE MARCO, Melissa Cecatto. A educação física na educação infantil: relações interpessoais e emoções. In: MAFRA, Jason; FREITAS, José; BAPTISTA, Ana Maria. (Org.). Educação básica: concepções e práticas. São Paulo: BT Academica, 2015, p. 11-262.

FARIA, Maria Catarina M.; BROLO, Ana Lúcia Ratti; HORITA, Kelly Yukari; TOLOCKA, Rute Estanislava; SANTOS, Denise Castilho Cabrera; SILVA, Junior Vagner Pereira da. Atividades motoras cotidianas e suas influências no desenvolvimento de pré-escolares. Movimento, v.16, n.1. p.113- 130, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/4991.

FREIRE, Marília; SCHWARTZ, Gisele. Atividades lúdicas em meio líquido: aderência e motivação à prática regular de atividades física. Lecturas Educación Física y Deportes, v. 10, n. 83, p. 1-8, 2005. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd83/ludicas.htm.

KREBS, Ruy Jornada. Urie Bronfenbrenner e a ecologia do desenvolvimento humano. Santa Maria: Casa Editora, 1995.

KREBS, Ruy Jornada. Teoria dos sistemas ecológicos: um paradigma para a educação infantil. Santa Maria: Kinesis, 1997.

KREBS, Ruy Jornada. A criança e o esporte: reflexões sustentadas pela teoria dos sistemas ecológicos. In: KREBS, Ruy Jornada. et al. Os processos desenvolvimentais na infância. Belém: GTR Gráfica e Editora, 2003. p. 91-99.

LEME, Vanessa Barbosa Romera; DEL PRETTE, Zilda Aparecida Pereira; KOLLER, Silvia Helena; DEL PRETTE, Almir. Habilidades sociais e o modelo bioecológico do desenvolvimento humano: análise e perspectivas. Psicologia & Sociedade, v. 28, n. 1, p. 181-193, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-71822015005015001&script=sci_abstract&tlng=pt.

MACIEL PORTES, João Rodrigo; VIEIRA, Mauro Luís; CREPALDI, Maria Aparecida; MORE, Carmen Leontina Ojeda Ocampo; MOTTA, Cibele Cunha Lima da. A criança com síndrome de Down: na perspectiva da teoria bioecológica do desenvolvimento humano, com destaque aos fatores de risco e de proteção. Boletim Academia Paulista de Psicologia, v. 33, n. 85, p. 446-464, 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1415-711X2013000200015.

NOBRE, Francisco Salviano; BANDEIRA, Paulo Felipe; VALENTINI, Nadia Cristina. Atrasos motores em crianças desfavorecidas socioeconomicamente: um olhar bioecológico. Motricidade, v. 12, n. 2, p. 59-69, 2016. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-107X2016000200008.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

RAMALHO, Maria Helena. O recreio pré-escolar e a motricidade infantil na perspectiva da teoria da ecologia do desenvolvimento humano. 1996, 196f. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1996.

RUBINSTEIN, Sofia; RAMALHO, Maria Helena; NETO, Francisco. O desenvolvimento da criança com paralisia cerebral. Movimento, v. 8, n. 3, p. 33-45, 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2648.

SPESSATO, Barbara; VALENTINI, Nádia Cristina; KREBS, Ruy Jornada; BERLEZE, Adriana. Educação infantil e intervenção motora: um olhar a partir da teoria bioecológica de Bronfenbrenner. Movimento, v. 15, n. 4, p. 147-173, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/5617.

STODDEN, David; GOODWAY, Jacqueline. The dynamic association between motor skill development and physical activity. Journal of Physical Education, Recreation & Dance, v. 78, n. 8, p. 33-49, 2007. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/07303084.2007.10598077.

TREVISAN, Claudia Maria. O processo interativo da criança portadora de necessidades especiais: uma análise ecológica da pré-escola como contexto de desenvolvimento. 1997, 185f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1997.

TOLOCKA, Rute; BROLLO, Ana Lúcia. Atividades físicas em instituições de ensino infantil: uma abordagem bioecológica. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 12, n. 2, p. 140-147, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1980-00372010000200009&script=sci_abstract&tlng=pt.

TOLOCKA, Rute; HORITA, Kelly Yukari; OLIVEIRA, Camila Bruzasco de; COELHO, Vitor Antonio Cerignoni; SANTOS, Denise Castilho Cabrera. Como brincar pode auxiliar no desenvolvimento de crianças pré-escolares. Licere, v. 12, n. 1, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/884

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Formação social da mente o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Martins Fontes: São Paulo, 1984.

ZAJONZ, Ricieli; MÜLLER, Alessandra; VALENTINI, Nadia Cristina. A influência de fatores ambientais no desempenho motor e social de crianças da periferia de Porto Alegre. Revista da Educação Física, v. 19, p. 159-171, 2008. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3220.

Downloads

Publicado

2019-07-29

Como Citar

COELHO, V. A. C.; TOLOCKA, R. E. Atividades aquáticas espontâneas e processos proximais entre crianças: uma análise a partir da teoria ecológica de desenvolvimento. Conexões, Campinas, SP, v. 17, p. e019012, 2019. DOI: 10.20396/conex.v17i0.8654672. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8654672. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)