Banner Portal
Organizando as ações ofensivas
PDF

Palavras-chave

Levantamento
Voleibol
Leitura de jogo
Tomada de decisão
Praxema
Praxiologia motriz

Como Citar

OLIVEIRA, Raquel Valente de; LANES, Bruno Minuzzi; RIBAS, João Francisco Magno. Organizando as ações ofensivas: informações provenientes do levantador que orientam a atuação de companheiros e adversários no voleibol. Conexões, Campinas, SP, v. 18, p. e020009, 2020. DOI: 10.20396/conex.v18i0.8657939. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8657939. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

Introdução: O levantamento caracteriza-se como um dos momentos do voleibol, cujo responsável é o levantador, o qual tem por objetivo organizar ofensivamente sua equipe e deixar seus atacantes nas melhores condições. Objetivo: A pesquisa tem como objetivo sistematizar os elementos não praxêmicos e praxêmicos, identificados na produção científica da área, que orientam a leitura de jogo e a tomada de decisão dos jogadores em relação ao levantador, considerando as interações comunicativas e contracomunicativas estabelecidas no voleibol. Metodologia: Realizou-se uma pesquisa teórica, na qual foram utilizados artigos científicos, dissertações, livros e teses que têm como temática principal o Voleibol e a leitura de jogo, selecionados em cinco fontes de pesquisa. Resultados: Foi possível constatar que ambos tipos de elementos se complementam no contexto do jogo, sendo capazes de nortear a leitura e a tomada de decisão dos jogadores que estabelecem interações motrizes de cooperação e oposição com o levantador, mediante as mais variadas situações do jogo. Considerações Finais: Com esta pesquisa, pretendeu-se construir um instrumento teórico com o intuito de auxiliar profissionais da área da Educação Física em sua prática pedagógica, conforme a realidade de seu aluno ou atleta, seu contexto de inserção e seu nível de aprendizagem.

https://doi.org/10.20396/conex.v18i0.8657939
PDF

Referências

ARRUDA, Danilo; MARQUES JUNIOR, Nelson Kautzner. Estudos dos fundamentos de jovens jogadoras do Voleibol feminino. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 9, n. 56, p. 730-751, nov./dez. 2015.

COSTA, Gustavo C.; MAIA, Mariana P.; ROCHA, Augusto C.; MARTINS, Leonardo R.; GEMENTE, Flor R.; CAMPOS, Mario H.; MILISTETD, Michel; FREIRE, Auro B. Associação entre o efeito dos procedimentos de recepção e jogo no Vôlei brasileiro de alto nível: o caso da equipe feminina campeã da Superliga. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 19, n. 6, nov./dez. 2017.

COSTA, Gustavo C.; CECCATO, Juliana S.; OLIVEIRA, Alexandre S.; EVANGELISTA, Breno F.; CASTRO, Henrique O.; UGRINOWITSCH, Herbert. Voleibol masculino de alto nível: associação entre as ações de jogo no side-out. Revista da Educação Física, Maringá, v. 27, n. 1, p. 1-15, 2016.

COSTA, Gustavo Conti; BARBOSA, Renato Vieira; GAMA FILHO, Jurandy Guimarães. A modulação do ataque no Voleibol de alto nível: o caso da Superliga feminina 2011-2012. Revista da Educação Física, Maringá, v. 24, n. 4, p. 545-557, 2013.

DEMO, Pedro. Pesquisa e construção de conhecimento: metodologia científica no caminho de Habermas. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2009.

FAGUNDES, Felipe M.; OLIVEIRA, Raquel V.; LANES, Bruno M.; RIBAS, João F. As interações motrizes do Saque e da Recepção e suas influências no Voleibol: uma compreensão praxiológica. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, n. esp., p. 225- 242, dez. 2017.

FAGUNDES, Felipe Menezes; RIBAS, João Francisco. A dinâmica do Voleibol sob as lentes da Praxiologia Motriz: uma análise praxiológica do levantamento. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 25, n. 3, p. 134-149, 2017.

FRANCO, Maria Laura. Análise de Conteúdo. 4. ed. Brasília: Liber Livro, 2012.

GAYA, Adroaldo. Projetos de pesquisa científica e pedagógica: o desafio da iniciação científica. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2016.

LANES, Bruno Minuzzi. Ensino-aprendizagem-treinamento do Voleibol: Proposições a partir da Praxiologia Motriz e o Método Situacional. 2018. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

MACHADO, Afonso Antonio. Voleibol: do aprender ao especializar. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

MARQUES JUNIOR, Nelson Kautzner. Evidências científicas sobre os fundamentos do Voleibol: importância desse conteúdo para prescrever o treino. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 7, n. 37, p. 78-97, jan./fev. 2013.

MATIAS, Cristiano Juliano Alves. Construção do conhecimento e a estruturação das decisões do Levantador de Voleibol no núcleo do sistema ofensivo na ação situada e incorporada. 2015. 257 f. Tese (Doutorado em Ciências do Esporte) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

MATIAS, Cristiano Juliano Alves. O conhecimento tático declarativo e a distribuição de jogo do levantador de Voleibol: da formação ao alto nível. 2009. 260 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Esporte) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

MATIAS, Cristiano Juliano Alves; GRECO, Pablo Juan. Conhecimento tático-estratégico dos levantadores brasileiros campeões de Voleibol: da formação ao alto nível. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 513-535, jul./set. 2011b.

MATIAS, Cristiano Juliano Alves; GRECO, Pablo Juan. De Morgan ao voleibol moderno: o sucesso do Brasil e a relevância do levantador. Revista Mackenzie da Educação Física e Esporte, v. 10, n. 2, p. 49-63, 2011a.

MOLINUEVO, Javier Sampedro. Análisis praxiologico de los deportes de equipo: una aplicación al futbolsala. 1996. 928 f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Universidad Politécnica de Madrid, Las Palmas de Gran Canarias, 1996.

OLIVEIRA, Denize Cristina. Análise de Conteúdo Temático-Categorial: uma proposta de sistematização. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, p. 569-576, out./dez. 2008.

OLIVEIRA, Raquel V.; RIBAS, João Francisco; GOMES-DA-SILVA, Pierre Normando. Relação entre o Praxema e as Interações Motrizes: implicações nos processos de leitura de jogo e tomada de decisão nos jogos esportivos. Pensar a Prática, Goiânia, v. 21, n. 2, p. 473-483, abr./jun. 2018.

PARLEBAS, Pierre. Juegos, deporte y sociedad. Léxico de Praxiología Motriz. Barcelona: Paidotribo, 2001.

RAMOS, Marcel H.; NASCIMENTO, Juarez V.; DONEGÁ, André L.; NOVAES, Artur J.; SOUZA, Robson R.; SILVA, Tiago J.; LOPES, Adair S. Estrutura interna das ações de levantamento das equipes finalistas da Superliga masculina de Voleibol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 12, n. 4, p. 33-37, dez. 2004.

RIBAS, João Francisco. Praxiologia Motriz e Voleibol: elementos para o trabalho pedagógico. Ijuí: Unijuí, 2014.

ROCHA, Cláudio Miranda; BARBANTI, Valdir J. Uma análise dos fatores que influenciam o ataque no Voleibol masculino de alto nível. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 303-314, out./dez. 2004.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.