Banner Portal
“Educação como prática corporal” dois decênios depois
capa 2023 com foto das primeiras edições da revista impressas
PDF

Palavras-chave

Ensaio
Educação como Prática Corporal
Educação Física
Conhecimento

Como Citar

CARNEIRO, Kleber Tuxen. “Educação como prática corporal” dois decênios depois: (in)compreensões e contribuições (a)temporais. Conexões, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e023022, 2023. DOI: 10.20396/conex.v21i00.8674953. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8674953. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

Trata-se de um texto (crítico/reflexivo) cujo propósito residiu em (re)examinar o livro: Educação como Prática Corporal, de autoria dos professores: João Batista Freire e Alcides José Scaglia, publicado nos primeiros anos do novo milênio, mais precisamente em 2003, a fim de (re)olhar a contextura de sua publicação e seus postulados epistemológicos, na medida em que a referida produção (acadêmica) simboliza, de alguma maneira, o robustecimento didático/científico da Educação Física enquanto componente curricular na esfera escolar, decorrente de um cenário (histórico, cultural e social) idiossincrático da república brasileira. Portanto, escrutiná-la, por intermédio do “retrovisor histórico”, identificando seus contributos formativos, suas premissas gnosiológicas e implicações didático-metodológicas podê-lo-ia contribuir (conjecturo) para o processo de consolidação/aprimoramento desta disciplina no tempo presente, ou quiçá reconectar alguns(algumas) ao tecido histórico, ou mesmo introduzir outros(as) ao debate científico e formativo, facultando, por sua vez, observar eventuais flancos inexplorados, sem, no entanto, incorrer em um eventual anacronismo contextual, haja vista tudo o que representou, e segue simbolizando, o livro e seus literatos.

https://doi.org/10.20396/conex.v21i00.8674953
PDF

Referências

BECKER, Fernando. Epistemologia do professor: o cotidiano da escola. Petrópolis: Editora Vozes, 1993.

BECKER, Fernando. Piaget & Freire; epistemologia e pedagogia. Schème. Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, v. 9, n. esp., p. 25-53, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.36311/1984-1655.2019.v11esp2.03.p25. Acesso em: 10 out. 2023.

BECKER, Fernando. Abstração pseudo-empírica e reflexionante: significado epistemológico e educacional. Schème. Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas. v. 6, n. esp., p. 104-128, 2014. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/126295/000970474.pdf;sequence=1#:~:text=A%20abstra%C3%A7%C3%A3o%20pseudo%2Demp%C3%ADrica%20articula,aos%20dados%20obtidos%20pela%20emp%C3%ADrica. Acesso em: 10 out. 2023.

BITTENCOURT, Renato Nunes. Nietzsche intérprete da agonística grega. Controvérsia, v. 6, n. 1, p. 1-15, jan./maio 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dez 1996. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm#:~:text=L9394&text=Estabelece%20as%20diretrizes%20e%20bases%20da%20educa%C3%A7%C3%A3o%20nacional.&text=Art.%201%C2%BA%20A%20educa%C3%A7%C3%A3o%20abrange,civil%20e%20nas%20manifesta%C3%A7%C3%B5es%20culturais. Acesso em: 26 jun. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Resolução nº: 4, de 13 de jul de 2010. Brasília: MEC/CNE/CEB, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=866&id=14906&option=com_content&view. Acesso em: 23 jan. 2023.

BRONZATTO, Maurício; OLIVEIRA, Airton. Jacó; CAMARGO, Ricardo Leite; CARNEIRO, Kleber Tüxen. As demandas contemporâneas da silhueta, o empobrecimento da expressão corporal e a necessidade de formar corpos éticos. In: GOMES, Juarez. (Org.). Combate à erotização e ao abuso sexual infantil: novas propostas. Curitiba PR: Editora CRV, 2018, v. 1, p. 129-146.

BROUGÈRE, Gilles. O Jogo e a educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

Bruhns, Heloisa Turini. A dinâmica lúdica. 1989, 138f. Dissertação (Mestrado em Filosofia da Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1989.

BUYTENDIJK, Frederik Jacobus Johannes. O jogo humano. In: GADAMER, Hans-Georg; VOGLER, Paul. Nova antropologia: antropologia cultural. São Paulo: EPU/Edusp, 1977. Volume 4.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens. Lisboa, Portugal: Cotovia, 1990.

CARNEIRO, Kleber Tüxen. O jogo na educação física escolar: as concepções atuais dos professores. São Paulo: Phorte, 2012.

CARNEIRO, Kleber Tüxen. Por uma memória do jogo: a presença do jogo na infância das décadas de 20 e 30. 2015. 273f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) - Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2015.

CARNEIRO, Kleber Tüxen; ASSIS, Eliasaf Rodrigues de; BRONZATTO, Maurício. Da necessidade à negação: a percepção da crise epistemológica na educação física a partir da compreensão docente. Revista brasileira de ciência e movimento, v. 24, n. 4, p. 129-142, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.18511/rbcm.v24i4.6825. Acesso em: 10 out. 2023.

CARNEIRO, Kleber Tüxen. Por uma memória do jogo: a presença do jogo na infância das décadas de 20 e 30. Curitiba, PR: Appris, 2017a.

CARNEIRO, Kleber Tüxen; CAMARGO, Ricardo Leite; BRONZATTO, Maurício; ASSIS, Eliasaf Rodrigues de. A terceira margem do rio: uma perspectiva equilibrada da competitividade no âmbito do ensino da educação física. Corpoconsciência, v. 21, n. 2, p. 80-92, maio/ ago., 2017b. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/4964. Acesso em: 10 out. 2023.

CARNEIRO, Kleber Tüxen; SILVA, Bruno Adriano Rodrigues da; DOS REIS, Fábio Pinto Gonçalves. Liames contextuais e epistemológicos entre o jogo e a educação física escolar. Corpoconsciência, [S. l.], v. 24, n. 2, p. 71–81, 2020. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10802. Acesso em: 10 out. 2023.

CHARLOT, Bernard. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. Revista da FAEEBA - Educação da Contemporaneidade. Salvador, v.17. n.30, p. 17-31. jul/dez 2008.

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. 2. ed. São Paulo: Summus, 1987.

DAOLIO, Jocimar. Educação física brasileira: autores e atores da década de 80. 1997. 97f. Tese (Doutorado em Educação Física) Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1997.

DARIDO, Suraya Cristina. Educação física na escola: questões e reflexões. Araras, SP: Topázio, 1999.

DELEUZE, Gilles. Espinosa: filosofia prática. São Paulo: Escuta, 2002.

FAGUET, Émile. A Arte de Ler. Campinas: Ed. Kryon, 2009.

FALCÃO, Dudu; LENINE, Oswaldo Macedo Pimentel. Paciência. In: LENINE. Acústico MTV. São Paulo: Sony BMG, 2006. 1 CD-ROM.

FERREIRA, Maria Angélica Martins; CARNEIRO, Kleber Tüxen. A (im)pertinência da avaliação da aprendizagem no processo de escolarização docente: entre o não mais e o ainda não. Devir Educação, [S. l.], v. 7, n. 1, e–708, 2023. Disponível em: https://doi.org/10.30905/rde.v7i1.708. Acesso em: 10 out. 2023.

FINK, Eugen. Spiel als Weltsymbol (EFGA 7). Freiburg: Karl Alber, 2010.

FINK, Eugen. A metafísica nietzscheana do jogo. In: COLI, Anna Luiza; GIUBILATO, Giovanni Jan; WEBER. José Fernandes (Orgs.). Phenomenology, Humanities and Sciences, Curitiba, v. 1-3, p. 518-524, 2020. Disponível em: https://phenomenology.com.br/index.php/phe/article/download/69/54#:~:text=A%20nega%C3%A7%C3%A3o%20nietzscheana%20da%20metaf%C3%ADsica,morte%20e%20difamat%C3%B3ria%20do%20mundo. Acesso em: 10 out. 2023.

FISCHER, Thomas Guido; SILVA, Luis Felipe de Nogueira; SANDOVAL, Gabriel Orenga; FABIANI, Débora Jaqueline Farias; GODOY, Luis Bruno de; SCAGLIA, Alcides José. Como se aprende futebol: evidências da pedagogia da rua na história de vida de ex-jogadores profissionais. Corpoconsciência, [S. l.], v. 27, e15301, 2023. Disponível em: https://doi.org/10.51283/rc.27.e15301. Acesso em: 10 out. 2023.

FREINET, Celestin. A educação do trabalho. São Paulo: Martins Fontes, 1974.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da Educação Física. São Paulo: Editora Scipione, 1989.

FREIRE, João Batista. De Corpo e Alma: O discurso da motricidade. São Paulo: Summus, 1991.

FREIRE, João Batista. Pedagogia do futebol. Londrina: Ney Pereira, 1998.

FREIRE, João Batista. Investigações preliminares sobre o jogo. 2001. 200f. Tese (Livre Docência). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2001.

FREIRE, João Batista. O jogo: entre o riso e choro. Campinas: Autores Associados, 2002.

FREIRE, João Batista; SCAGLIA, Alcides José. Educação como prática corporal. São Paulo: Editora Scipione, 2003.

FREIRE, João Batista. Métodos de confinamento e engorda (como fazer render mais porcos, galinhas, crianças...) In: MOREIRA, Wagner Wey (org). Educação física & esportes: perspectivas para o século XXI. 14 ed. Campinas: Papirus, 2013.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

GRILLO, Rogério de Melo. (Re)Construindo as pontes de Castália: algumas reflexões sobre o lúdico. In: GRILLO, R. M.; SCAGLIA, Alcides José; CARNEIRO, Kleber Tüxen. Em defesa do jogo: diálogos epistemológicos contemporâneos. Curitiba, PR: Appris, 2022. p.159-208.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 8. ed. São Paulo: Perspectiva, 1999.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4386868/mod_resource/content/1/Jogo%2C%20brnquedo%2C%20brincadeira%20e%20educa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 10 out. 2023.

LE BOULCH, Jean. A Educação Psicomotora: a psicocinética na idade escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.

LIBÂNEO, José Carlos. Políticas educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 159, p. 38–62, 2016.

LOBATO, Monteiro. America. São Paulo: Companhia Editorial Nacional, 1932.

MANSUTTI, Maria Amabile; ZELMANOVITS, Maria Cristina; CARVALHO, Maria do Carmo Brant de; GURIDI, Verônica. Educação na segunda etapa do ensino fundamental. In: Cadernos CENPEC, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 7- 45, jul./dez. 2007. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v2i4.12. Acesso em: 10 out. 2023.

MONTOYA, Adrián Oscar Dongo. Pensamento e linguagem: percurso piagetiano de investigação. Psicologia em estudo, Maringá, v. 11, n. 1, p. 119-127, jan./abr. 2006.

NEIRA, Marcos Garcia. O currículo cultural da Educação Física: pressupostos, princípios e orientações didáticas. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 4-28, jan./mar. 2018.

PEREIRA, Fabiana de Paula; CARNEIRO, Kleber Tüxen; SILVA, Bruno Adriano Rodrigues da; DOS REIS, Fábio Pinto Gonçalves; RESENDE, Nathália Maria. O que revela o decênio (2008-2018) de produção científica sobre avaliação na educação física escolar? Comunicações, v. 27, n. 2, p. 233-252, maio-ago. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v27n2p233-252. Acesso em: 10 out. 2023.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PIAGET, Jean. A Formação do Símbolo na Criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

RETONDAR, Jeferson; ESPÍRITO SANTO, Wecisley Ribeiro do; CARNEIRO, Kleber Tüxen. O jogo e a estética do movimento. São Paulo: Pimenta Cultural, 2023.

SADI, Renato Sampaio. FREIRE, João Batista. Pedagogia do futebol. Londrina: Ney Pereira, 1998. Pensar a Prática, Goiânia, v. 5, p. 123, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.5216/rpp.v5i0.50. Acesso em: 10 out. 2023.

SCAGLIA, Alcides José. O futebol que se aprende e o futebol que se ensina. 1999. 255 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

SCAGLIA, Alcides José. Inquietações pedagógicas: o jogo-trabalho na Educação Física. In: Escola Curumim: tateios pedagógicos. Campinas: Escola Curumim, 2001.

SCAGLIA, Alcides José. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. 2003, 164f. Tese (Doutorado em Pedagogia do Movimento) – Faculdade de Educação Física, Universidade de Campinas, Campinas, 2003.

SCAGLIA, Alcides José. O Jogo: um sistema complexo. In: VENÂNCIO, S.; Freire, J. B. (Org.). O jogo dentro e fora da escola. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SCAGLIA, Alcides José. Pedagogia, Futebol... e Rua. Editora Talu Educacional, 2021.

SCHILLER, Friedrich. A educação estética do homem numa série de cartas e outros textos. São Paulo: Editora Iluminuras, 2002.

SOARES, Carmen Lúcia; CASTELLANI FILHO, Lino; TAFFAREL, Celi Nelza Zülke; VARJAL, Elizabeth; ESCOBAR, Micheli Ortega; BRACHT, Valter. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

TANI, Go; MANOEL, Edison de Jesus; KOKUBUN, Eduardo; PROENÇA, José Elias De. Educação Física escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU/EDUSP, 1988.

VASCONCELLOS, Maria José Esteves de. Pensamento sistêmico: O novo paradigma da ciência. 9. ed. Campinas: Papirus, 2010.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem: práticas e mudança por uma práxis transformadora. 9.ed. São Paulo: Libertad, 2013. (Coleção Cadernos Pedagógicos do Libertad; v. 6).

WOODS, Peter. Teacher skills and strategies. London: The Falmer Press, 1990.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Conexões

Downloads

Não há dados estatísticos.