Banner Portal
O fetiche do capital intelectual: a ideologia do conhecimento e da adaptação no contexto da reestruturação produtiva do capital
PDF

Palavras-chave

Reestruturação produtiva. Ideologia. Capital Intelectual. Sociedade doconhecimento

Como Citar

ALVES, Giovanni; BATISTA, Roberto Leme. O fetiche do capital intelectual: a ideologia do conhecimento e da adaptação no contexto da reestruturação produtiva do capital. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 38e, p. 154–174, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i38e.8639756. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639756. Acesso em: 19 abr. 2024.

Resumo

Neste artigo apresentamos uma discussão acerca do fetichismo do capital intelectual, aoanalisar a ideologia do conhecimento e a exigência de adaptação do trabalhador no contextoda reestruturação do capital nas últimas décadas. Para tanto, analisamos a emergência dessaideologia – através dos conceitos de sociedade do conhecimento, sociedade da informação,capital intelectual, entre outros – em alguns autores da área de gestão de recursos humanos, nasequência apresenta a crítica desse ideário a partir da análise de alguns autores do pensamentosocial crítico. Finalmente nos posicionamos no sentido de afirmar que se trata de uma novaversão do fetichismo na era da mundialização do capital.
https://doi.org/10.20396/rho.v10i38e.8639756
PDF

Referências

ALVES, Giovanni. A condição de proletariedade: a precariedade do trabalho no capitalismo global. Londrina: Práxis; Bauru: Canal 6, 2009.

ALVES, Giovanni. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. Londrina: Práxis; Bauru: Canal 6, 2007.

ALVES, Giovanni; BATISTA, Roberto Leme; CAMMARANO GONZALEZ, Jorge Luis (Org.). Trabalho e educação: contradições do capitalismo global. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2006.

ANTUNES, Ricardo. Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

BATISTA, Roberto Leme, TUMOLO, Paulo Sérgio (Org.). Trabalho, economia e educação: perspectivas do capitalismo global. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2006.

BATISTA, Roberto Leme; ARAUJO, Renan (Org.) Desafios do trabalho: capital e luta de classes no século XXI. Londrina: Práxis; Maringá: Massoni, 2003

CANÁRIO, Rui. “A aprendizagem ao longo da vida”: análise crítica de um conceito e de uma política. In: CANÁRIO, Rui (Org.). Formação e situações de trabalho. Porto: Porto Editora, 2003.

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 2. ed. Campinas: Autores associados, 2001.

FIGARI, Claudia; ALVES, Giovanni (Org.). La precarización del trabajo em América Latina: perspectivas del capitalismo global. Londrina, Práxis, Bauru, Canal 6, 2009.

FONSECA, Vitor da. Aprender a aprender: a educabilidade cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 1998.

GRAMSCI, Antonio. Americanismo e fordismo. In: Obras escolhidas. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

MORAES, Maria Célia Marcondes de. Incertezas nas práticas de formação e no conhecimento docente. In: MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa; PACHECO, José Augusto;

GARCIA, Regina Leite (Org.). Currículo: pensar, sentir e diferir. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PAPADOPOULOS, George S. Aprender para o século XXI. In DELORS, Jacques (Org.). A educação para o século XXI: questões e perspectives. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SOTELO, ADRIÁN. La reestruturación del mundo del trabajo: superexplotación y nuevos paradigmas de la organización del trabajo. México, D.F. Universidad Obrera de México; Editorial Itaca; Morelia, Mich: Enat, 2003.

STEART, Thomas A. Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

STEWART, Thomas A. A riqueza do conhecimento: o capital e a organização do século XXI. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.