Ensino secundário: a hegemonia do ensino académico

Autores

  • Liliana Rodrigues Universidade da Madeira Departamento de Ciências da Educação

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v10i38e.8639758

Palavras-chave:

Ensino Secundário. Ensino Técnico. Educação capitalista

Resumo

O ensino secundário tem por objectivos fundamentais o desenvolvimento do raciocínio, dareflexão e da curiosidade científica. Assenta ainda na facultação de contactos eexperiências com o mundo do trabalho e, como tal, procura favorecer a orientação eformação profissional dos jovens, através da preparação técnica e tecnológica, com vista àentrada no mundo do trabalho. Nesse sentido esse trabalho busca apresentar historicamenteo desenvolvimento do ensino secundário e sua hegemonia com o ensino acadêmico emPortugal e na Europa. Apresenta também que a diferenciação uniformizadora do ensinosecundário não passa de uma integração situada entre o cientismo e a publicidade. Serámais importante repensar modos de introdução do pensamento crítico no mundo do queinstruir para a função especializada no mercado de trabalho. É o momento em que aeducação capitalista se assume como adestramento. Quem melhor assegura os resultadosneste tirocínio é a ideologia. Por ela são construídos significados por conveniência política,social e económica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliana Rodrigues, Universidade da Madeira Departamento de Ciências da Educação

Universidade da Madeira
Departamento de Ciências da Educação

Referências

ALTHUSSER, L. (1974). Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. Lisboa: Ed. Presença

ALVES, M. J. (1999). Crises e Dilemas do Ensino Secundário – em busca de um novo paradigma. Porto: CRIAP – Ed. ASA

ALVES, M. J. (2000). O primeiro de todos os ofícios. Porto: CRIAP – Ed. ASA CORREIA, J. A. (1996). Sociologia da Educação Tecnológica. Lisboa: Universidade Aberta

CORREIA, M. A. (1995). Escolas profissionais: entre o mercado de trabalho e o mercado escolar – estudo de caso. (policopiado). Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação.

UNIVERSIDADE DO PORTO. (dissertação de mestrado).

GOODSON, F. I. (1997). A Construção Social do Currículo. Lisboa: Educa

GOODSON, F. I. (1999). Currículo: Teoria e História. Petrópolis: Ed.Vozes

GOODSON, F. I. (2001). O Currículo em mudança – estudos na construção social do currículo. Porto: Porto Ed.

SILVA, T. T. (1999). O Currículo Como Fetiche – a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Ed. Autêntica

SILVA, T. T. (2000). Teorias do Currículo, uma introdução crítica. Porto: Porto Ed.

SILVA, T. T. (org.) (1998). Alienígenas na sala de aula – uma introdução aos estudos culturais. Petrópolis: Ed. Vozes. 2a ed.

SILVA, T. T. (org.) (2000). O Sujeito da Educação – Estudos Foucaultianos.Petrópolis: Ed. Vozes. 4a ed.

SILVA, T. T. (org.). (2000). Identidade e diferença – a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Ed. Vozes

STOER, S., STOLEROFF, A. e CORREIA, A., (1990). O Novo Vocacionalismo na Política Educativa em Portugal e a Reconstrução da Lógica da Acumulação, Revista Crítica de Ciências Sociais, n.o 29.

Downloads

Como Citar

RODRIGUES, L. Ensino secundário: a hegemonia do ensino académico. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 38e, p. 191–205, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i38e.8639758. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639758. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos